sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Polícia recupera em Posse/GO veículo que havia sido roubado em Guarani de Goiás



Em uma ação rápida na noite desta sexta-feira (30), a polícia conseguiu recuperar um veiculo que havia sido roubado durante a tarde de hoje em Guarani de Goiás.

O veiculo, uma Fiat Strada foi encontrado no Setor Buenos Aires, em Posse Goiás.

Após entrar em uma residência, a polícia encontrou o veículo, uma televisão e outros objetos suspeito de furto.

Os suspeitos não foram presos, a polícia segue fazendo buscas pela região para localizar e prender os envolvidos.

Participaram da operação, policiais militares de Posse e Guarani, o Genarc e a Polícia Civil de Posse.

Mais uma vez a ação rápida e agilidade da polícia não deu chances para a criminalidade. 

Imagens exclusivas registram morte de atirador que matou o candidato prefeito de Itumbiara/GO e feriu o vice-governador



O jornal O POPULAR conseguiu com exclusividade as imagens que retratam o momento exato em que o atirador Gilberto Ferreira do Amaral atinge o candidato José Gomes da Rocha (PTB), o cabo da Polícia Militar, Vanilson João Pereira, o vice-governador José Eliton e o advogado da Prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende, durante uma carreata na tarde de quarta-feira (28), em Itumbiara.

Os registros são do fotógrafo Jota Eurípedes, que estava trabalhando como freelancer na campanha política.

O flagrante mostra com exatidão a sequência entre os tiros de Gilberto e o revide dos seguranças de José Eliton.



Baleado em atentado, vice José Eliton deixa UTI, mas segue internado



O vice-governador e secretário de Segurança Pública de Goiás, José Eliton Júnior (PSDB), deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi transferido para um leito na Clínica Cirúrgica de um hospital, em Goiânia, nesta sexta-feira (30).

Ele foi um dos baleados durante o atentado em Itumbiara que deixou três mortos, entre eles o candidato a prefeito José Gomes da Rocha (PTB).

O ataque aconteceu na quarta-feira (28) e também deixou ferido o advogado da Prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende. Logo após o atentado, os dois baleados foram transferidos para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), na capital.

Segundo boletim divulgado pela unidade de saúde nesta manhã, o político e o advogado têm estado de saúde similar. Eles estão conscientes e com quadro estável. No entanto, ainda não há previsão de quando vão deixar o hospital.

Na quinta-feira (29), o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, veio a Goiânia para visitar o vice-governador de Goiás. Ele repudiou o atentado e destacou que a Polícia Federal vai ajudar na apuração do caso. O ministro ficou cerca de uma hora no hospital.

José Eliton estava como governador em exercício, já que o governador Marconi Perillo (PSDB) viajou no último dia 19 para uma missão comercial nos Estados Unidos.

A Assessoria da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás informou que o retorno de Marconi Perillo a Goiás foi antecipado devido ao atentado. No entanto, não há informações se ele já está no estado.

Enquanto Perillo não retorna a Goiás, o presidente da Assembleia Legislativa, Hélio de Sousa (PSDB), é o governador em exercício.

Fonte: G1

Aspirante a governador e focado na segurança: quem é o vice de Goiás




José Eliton de Figuerêdo Júnior, 44, está em seu segundo mandato como vice-governador de Goiás. Ele foi baleado nesta quarta-feira (28) em atentado que matou o candidato à prefeitura de Itumbiara (GO), José Gomes da Rocha, naquela cidade. Outras duas pessoas também morreram no ataque, incluindo o autor dos tiros.

Eleito pelo DEM em 2010 na chapa de Marconi Perillo (PSDB), o goiano nascido em Rio Verde já trocou de partido duas vezes ao longo dos últimos anos, tendo também passado pelo PP e entrado para o PSDB em 2015.

A mudança mais recente de partido de Eliton é apontada como um dos sinais de que ele pretende ser candidato ao governo do Estado em 2018 com o aval do atual governador. Na cerimônia de filiação ao PSDB, Eliton recebeu inúmeros elogios de Perillo e também de Aécio Neves, presidente nacional da legenda, que divulgou nota oficial nesta quarta repudiando o atentado.

"É inaceitável que em pleno século 21 a barbárie e a pistolagem continuem a existir no cenário político brasileiro", afirmou o senador em comunicado. "Já fizemos contato com o Ministério da Justiça, que está determinando todas as providências necessárias ao rápido esclarecimento desse crime hediondo para a punição exemplar de todos os que, de alguma forma, dele participaram, em especial seus mandantes."

Presença atuante em campanhas eleitorais

A presença de José Eliton na carreata desta quarta em Itumbiara foi mais uma na série de participações que o vice-governador vem fazendo em cidades do Estado. Na condição de governador em exercício, já que Marconi Perillo está liderando uma missão goiana nos Estados Unidos, Eliton vem participando ativamente das campanhas de candidatos a prefeituras que integram a base aliada do governo.

Na terça anterior ao atentado (20), ele havia apoiado a candidatura de Wilton Barbosa (PSDB) durante comício em Posse, cidade que é seu principal reduto eleitoral e da qual seu pai, José Eliton Figuerêdo, foi prefeito entre 1983 e 1988.

O atual vice-governador entrou para a vida pública ainda na função de advogado, sua formação profissional. José Eliton especializou-se em direito eleitoral e atuou no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Goiás.

Já como vice-governador, acumulou também secretarias de Estado. Foi secretário de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação e desde fevereiro deste ano cuida da pasta de Segurança Pública e Administração Penitenciária.

Líder de pacto de segurança nacional

A atuação de Eliton no comando da área da segurança pública de Goiás tem como foco principal a atenção aos procedimentos de inteligência da polícia. Além de administrar a pasta estadual, o vice-governador também lidera o Pacto Integrador de Segurança Pública, que conta com dez  Estados na tentativa de criar um sistema integrado de dados das polícias estaduais.

Um dos resultados atribuídos ao pacto foi a prisão, em setembro, de um dos líderes do Comando Vermelho no Nordeste, Vicente Antônio de Freitas Filho. Ele foi detido em Goiânia.

Segundo dados divulgados em agosto, Goiás, que vinha acompanhando a alta dos índices de criminalidades que assola o Norte e Nordeste brasileiros nos últimos anos, registrou queda nos números de diversas modalidades de crimes, entre eles furtos em residências, estupros e roubos de veículos.

O índice de homicídios dolosos, por exemplo, caiu 11,7%. No entanto, segundo o Mapa da Violência 2016, o número de homicídios cresceu 70% no Estado entre 2004 e 2014.






Texto: Uol

Alto Paraíso de Goiás sedia seminário internacional




A cidade de Alto Paraíso será palco para o primeiro Seminário Internacional de Gestão Cultural Integrada de Território.

O evento, que acontece nesta sexta-feira, 30, e no sábado, 1º de outubro, é uma estratégia para a articulação e implementação de plataformas de desenvolvimento sustentável na região, e contará com diálogos, proposições discussões e entendimentos para a consolidação de uma cidade do bem-viver, sendo um projeto demonstrativo da reserva biosfera do Cerrado – Goiás / Unesco.

O seminário é parte de um grande projeto do Governo de Goiás que definiu Alto Paraíso como projeto piloto e referencial para centro da implantação a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS-ONU), assim como do Programa Cultivando Água Boa, como projetos demonstrativos da Reserva da Biosfera do Cerrado – Goiás, transformando o município e a região referências em um modelo internacional de sustentabilidade.

O programa está sob responsabilidade e coordenação da Secima, cujo objetivo é gerenciar expectativas e abrir campo a uma estratégia de médio e longo prazo para o município e para a região.

Nesta sexta-feira, dia 30, as atividades vão ocorrer no Auditório do Hotel Chappada, às 19 horas. O destaque fica por conta da palestra O Desafio da Sustentabilidade: Reflexões sobre Perspectivas Mundiais e Intervenções Locais – o Entendimento Global a partir da superação dos dilemas locais, com o professor Luiz Oosterbeek – doutor em Filosofia e PhD em Arqueologia pelo University College London, Presidente do Instituto Terra e Memória (Portugal) e coordenador junto à Comissão Europeia de projetos de Gestão Cultural Integrada do Território – Portugal, Alemanha, França, Lituânia, Itália, República Checa e Espanha.

No sábado, 1º de outubro, o debate será no auditório da UNB-Cerrado, no bairro Cidade Alta. Temas como as plataformas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Reserva da Biosfera do Cerrado e do Programa Cultivando Água Boa serão apresentados pela Superintendente Executiva de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Secima, Jacqueline Vieira.

Haverá também a participação do professor da UFG, Saulo Oliveira, além do professor em Ciências Políticas pela UFMG, Robert Bonifácio. A palestra no sábado vai tratar de Gestão Cultural Integrada de Território novamente com o professor Luiz Oosterbeek. O seminário internacional foi idealizado pela Secima, em parceria com o Instituto Terra e Memória (Portugal), com a Universidade Federal de Goiás e com o Instituto Espinhaço.

Entenda o projeto para Alto Paraíso

A globalização mudou profundamente a realidade em que vivemos em Alto Paraíso, em Goiás, no Brasil e no mundo. Não é mais possível resolver as dificuldades uma a uma, de forma desarticulada e usando apenas a experiência do passado. No nosso dia a dia, precisamos usar os avanços da ciência e da tecnologia, sem esquecer os saberes tradicionais, e precisamos, sobretudo, refletir sobre os dilemas com que somos confrontados, fazendo escolhas, muitas vezes difíceis.

E a primeira escolha a fazermos é atuarmos para guiar a mudança, ao invés de sermos guiados por ela. Nesse processo, precisamos conhecer os recursos de que dispomos, os meios para utilizá-los e as oportunidades que estão associadas ao território. Precisamos atuar sobre os recursos, os meios e as regras de forma integrada, percebendo que o mais importante não é nenhum deles: o mais importante são as pessoas.

Esse é o ponto central da abordagem deste seminário internacional. O Governo do Estado de Goiás propõe, apoiado no encontro de ideias e pessoas, com abordagens inovadoras, contribuir com novas visões sobre as formas como nós, individual e coletivamente, transformamos o território de Alto Paraíso.

A visão do Governo é a de que o desenvolvimento sustentável do território do Estado de Goiás deve ocorrer de forma planejada, integrada, permanente e com horizonte de longo prazo. Esse é o desafio que se apresenta.

Com a estruturação de um projeto demonstrativo de gestão cultural integrada do território, que promova uma efetiva conexão entre os agentes locais de transformação – Prefeitura, organizações da sociedade civil, órgãos de fomento, universidades e grupos de cidadãos e parceiros multidiversos, pretendemos lançar as bases para um novo paradigma de sustentabilidade para Alto Paraíso.

Com o objetivo de organizar e apoiar a implementação de plataformas de sustentabilidade que estão propostas e desenvolvidas para o território de Alto Paraíso, propomos, desde já, fundamentar as bases para um projeto estruturante que tem, na estratégia de GCIT, sua ferramenta mais eficaz. A estratégia de GCIT poderá ser desenvolvida de forma a cooperar com a implementação da plataforma dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), assim como também cooperará para a proposta de Cultivando Água Boa e de outras que estejam em sinergia com os objetivos da Reserva da Biosfera do Cerrado e com a visão de inovação do Governo do Estado de Goiás.

Estratégia de GCIT para Alto Paraíso

Gestão Cultural Integrada do Território é o que faziam as sociedades que no passado foram bem-sucedidas. Num ciclo de mudança sistêmica global, todas as atenções tendem a se concentrar, alternadamente, em apenas um dos seus vetores: ora o financeiro, ora o social, ora o ambiental, algumas vezes o econômico, raras vezes o cultural. E todas essas atenções se vão deslocando de um para outro à medida que suas desilusões constatam que não são mais eficazes e ou suficientes para as soluções setoriais de problemas.alto-234x199

A natureza das dinâmicas humanas e ambientais comporta contradições, implica escolhas e consequências por vezes irreversíveis e se confronta com dilemas, e não apenas com problemas. Em contrapartida, a GCIT propõe uma abordagem transdisciplinar e participativa. O elemento central da GCIT é a formação de capital humano e o combate à alienação no território.

A GCIT é uma estratégia que supera os debates estéreis sobre as opções entre crescimento e desenvolvimento e constrói um quadro de discussão em que a didática dos dilemas é o elemento nuclear, para a elevação das competências críticas dos indivíduos, para que estes possam decidir sobre nosso futuro coletivo. Nesse processo, mais do que ambiente, economia ou cultura é a palavra território que se torna central.

A estratégia de Gestão Cultural Integrada do Território (GCIT) refere-se ao conceito de governança e empoderamento. Por meio da GCIT busca-se compreender os fenômenos territoriais com objetivo de contribuir para o desenvolvimento de programas e ações integradas que respondam às demandas ligadas ao território.

A GCIT também é uma metodologia que inclui e valoriza a vocação natural da região, com um olhar sistêmico e integrado, valorizando a diversidade e o ser humano, incorporando uma variável fundamental: a cultura.

A questão cultural tem um efeito de transversalidade sobre os demais fatores. Ela unifica as dinâmicas econômica, social e ambiental, conferindo uma compreensão integrada a algo até então visto de forma compartimentada. A gestão integrada propõe utilizar a cultura como elo. A GCIT propõe um conjunto de ferramentas que objetiva promover a diversidade e a integração cultural ao equilíbrio da geração de riquezas, manutenção dos recursos naturais e qualidade de vida para a população, partindo da identificação dos dilemas em busca por soluções para o território.

Princípios para uma ação estratégica de GCIT em Alto Paraíso
• compreensão da dimensão cultural dos conflitos e dos dilemas
• identificação e proposição de novas possibilidades num quadro de incertezas

Afirmação territorial: Boas práticas de combate à alienação, à exclusão social e à desestruturação ambiental
Com base em um Projeto Demonstrativo de GCIT, na área da Reserva da Biosfera do Cerrado, propomos uma visão integradora entre a somatória de culturas, saberes, memórias orais, patrimônios naturais, geodiversidade e tradições. Nesse contexto, é objetivo central do esforço do Governo do Estado e de seus parceiros buscar desenvolver e implantar um planejamento focado e alicerçado na Gestão Cultural Integrada do Território de Alto Paraíso, de forma a articular os diversos compromissos estratégicos já assumidos pelo governo do estado de Goiás e integrá-los com a globalidade das políticas públicas, visando a um projeto de desenvolvimento sustentável que esteja assentado no entendimento da centralidade da pessoa humana.

Propõe, com a realização do Seminário Internacional – Gestão Cultural Integrada de Território: Estratégia para Articulação e Implementação de Plataformas de Desenvolvimento Sustentável em Alto Paraíso, implementar os entendimentos essenciais para uma cidade do bem viver.

Esse projeto demonstrativo pensado para o território de Alto Paraíso tem como objetivo específico articular e organizar as plataformas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), além do programa Cultivando Água Boa e as premissas da Reserva da Biosfera do Cerrado – MaB/Unesco.

Fonte: Goiás Agora

Oferecida primeira denúncia contra esquema criminoso na prefeitura de Divinópolis de Goiás



O Ministério Público de Goiás ofereceu nesta sexta-feira (30/9) a primeira denúncia referente à Operação Urano, que desarticulou uma associação criminosa formada por agentes públicos do município de Divinópolis de Goiás, no Nordeste goiano.

Nessa primeira peça acusatória, foram relacionados oito denunciados. Nela, também foi requerido pelo MP o afastamento dos servidores denunciados do cargo que ocupam. Algumas das pessoas presas na ação, deflagrada no dia 21, não estão, contudo, entre os acusados, tendo a lista incluído outros réus.

Entre os denunciados estão três secretários municipais: o de Saúde, Artênio Guimarães Ataídes; o de Finanças, Valdiran Messias dos Santos, e o de Administração, Ismar Batista dos Passos. Também foram relacionados o gestor de Controle Interno, Edmar Alves da Silva; o presidente da Comissão de Licitações, Marcos Antônio dos Santos; o padre Francisco Keison Torres de Lima; o farmacêutico Paulo César e o médico Fábio de Assis Lobo.

Os crimes imputados nessa primeira denúncia incluem associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, dispensa indevida de licitação (artigo 89 da Lei nº 8.666/1993), uso de documento falso e até perigo para a vida ou saúde de outra pessoa (confira abaixo a lista dos acusados e os crimes atribuídos a cada um).

A denúncia destaca que investigações realizadas nos últimos seis meses pela Promotoria de Justiça de São Domingos, comarca da qual Divinópolis é distrito, revelaram a existência de um esquema criminoso instalado na prefeitura, voltado para a prática de crimes contra licitações, falsidade ideológica, corrupção passiva, peculato (desvio de recursos públicos) e associação criminosa. A apuração contou com o apoio do Centro de Inteligência (CI) do MP.

A operação recebeu o nome de Urano, em referência à ação deflagrada pelo exército russo contra as forças alemãs na II Guerra Mundial durante o inverno e que culminou na derrota nazista. A articulação dessa estratégia de guerra teve início em setembro.

Confira abaixo a lista de denunciados e os crimes:

• Artênio Guimarães Ataídes – associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva e dispensa indevida de licitação.
• Valdiran Messias dos Santos – associação criminosa, falsidade ideológica, peculato e dispensa indevida de licitação.
• Ismar Batista dos Passos – associação criminosa, falsidade ideológica, peculato e dispensa indevida de licitação.
• Edmar Alves da Silva – associação criminosa, falsidade ideológica, peculato e dispensa indevida de licitação.
• Marcos Antônio dos Santos – associação criminosa, falsidade ideológica e dispensa indevida de licitação.
• Francisco Keison Torres de Lima – falsidade ideológica, uso de documento falso e perigo para a vida ou saúde de outra pessoa.
• Paulo César – falsidade ideológica.
• Fábio de Assis Lobo – falsidade ideológica.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Posse/GO: Jovem que ganha ‘zerinho ou um’ para matar rival nega crime



O jovem Florisvan Guedes da Silva, de 20 anos, que aparece em um vídeo disputando “zerinho o um” para ver quem mataria um rival, nega que tenha cometido qualquer crime, em Posse, no nordeste de Goiás.

Em um vídeo divulgado nesta quarta-feira (28) pela Polícia Civil, o rapaz diz que, apesar de comemorar ao ser sorteado para matar a vítima, entregou a arma a outra pessoa, que atirou.

Para o delegado Eduardo Carrara, a declaração não muda a investigação e ele continua respondendo por participação em três homicídios.

Florisvan foi preso no dia 14 de setembro e aparece em um vídeo comemorando o fato de ter ganhado um sorteio para matar uma mulher identificada como Joelma.

Outros dois jovens aparecem nas imagens: Douglas Antônio Maciel, de 19, e Tharly Oliveira Silva, de 28. Os dois foram mortos em confronto com a polícia. O vídeo foi feito por uma adolescente de 16 anos, namorada de Tharly.

No vídeo feito pela polícia durante o depoimento, o suspeito aparece algemado e alega que no dia do crime, estava alcoolizado.

“A gente tirou zerinho ou um para ver quem ia atrás de Joelma, porque ela tinha ‘caguetado’ o Douglas. Aí eu ganhei o jogo. A hora que eu entro para dentro com a arma, o vídeo acaba. Eu agacho para pegar o litro de pinga. Aí eu dou a arma para o Douglas. Eu desisti de matar porque eu não sou esse psicopata todo não, delegado, não sou essas pessoa ruim não”, diz.

A polícia também acredita que outros dois homens foram mortos pelo trio que aparece no vídeo, conhecido como “Os Três Patetas”. Em depoimento, a menor que filma o grupo antes da morte de Joelma disse que Florisvan participava do grupo e, em um dos homicídios, ficou vigiando a vítima até ela chegar em casa, avisando para um comparsa o momento de cometer o crime.

“Não temos dúvida nenhuma da participação do Florisvan no grupo. Ele sabia dos crimes, andava com os outros integrantes, então ele é no mínimo partícipe, coautor desses homicídios, mesmo ele negando que foi o autor dos disparos”, esclareceu o delegado Eduardo Carrara.

A polícia também investiga se, além dos três crimes cometidos pelo grupo, eles mataram outras três pessoas. “Aguardamos o confronto de microbalística para saber se as seis vítimas foram mortas pela mesma arma. Isso pode mostrar que o trio é que cometeu os seis homicídios”, disse o delegado.

Florisvan já foi indiciado por três homicídios, além de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. Somadas, as penas ultrapassam 100 anos.


Fonte: G1

Marconi Perillo repudia atentado que matou candidato: 'Barbárie política'




O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), repudiou o atentado que matou o candidato a prefeito de Itumbiara, José Gomes da Rocha (PTB), e feriu o vice-governador, José Eliton (PSBD), na quarta-feira (29). Em viagem aos EUA, ele emitiu um comunicado lamentando o ocorrido e afirmou que está "profundamente abalado e consternado" com o ocorrido.

“Foi um ato de barbárie política que vitimou a mais expressiva liderança da história de Itumbiara e da Região Sul de Goiás. Com certeza teria seu nome consagrado mais uma vez pelas urnas no próximo domingo, tamanha sua capacidade de aglutinação, de liderança e competência para realizações extraordinárias na administração pública", diz o texto.

Além de Zé Gomes, de 58 anos, o cabo da PM Vanilson João Pereira, de 36, também foi assassinado a tiros. O autor dos disparos, identificado como Gilberto Ferreira do Amaral, de 53, também foi morto por seguranças. Já o advogado da Prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende, de 62, foi alvejado e está internado.

Perillo classificou Zé Gomes como companheiro "leal, solidário e sensível". Disse ainda que Itumbiara perdeu "seu maior líder, e, Goiás, um de seus mais destacados políticos".

O governador salientou que cancelou toda sua agenda prevista no exterior e optou por voltar imediatamente à Goiânia para acompanhar de perto o caso.

Por fim, o político se diz solidário às famílias das vítimas, deseja votos de recuperação aos feridos e afirma: "Vamos continuar buscando a paz".

Investigação

O governador destacou ainda que as Forças de Seguranças deram início à investigação para elucidar a motivação do atentado. Os comandantes das polícias Civil e Militar foram requisitados para irem imediatamente à Itumbiara a fim de acompanhar a apuração.

De acordo com o delegado regional de Itumbiara, Ricardo Chueire, os primeiros procedimentos para apurar o caso já foram realizados. "Ainda não temos a motivação. Já ouvimos testemunhas oculares, fizemos uma perícia preliminar e conseguimos imagens de câmeras de segurança", explicou.

Tumulto

Imagens mostram o tumulto e barulho de tiros no momento do atentado (veja vídeo abaixo). Conforme a assessoria de imprensa do Governo de Goiás, o atirador parou na frente do veículo onde Eliton e José Gomes estavam e efetuou vários disparos.

A Assessoria da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás informou, às 20h51, que o estado de saúde do vice-governador era estável e ele não corria risco de morte.

Ainda de acordo com a assessoria, o retorno de Marconi Perillo a Goiás estava previsto para a próxima sexta-feira (30). No entanto, devido ao atentado, ele antecipou a volta e deve chegar a Goiânia na quinta-feira (29).

O ataque

O deputado federal Jovair Arantes (PTB) também estava no veículo que foi alvo do ataque. Ele contou que o atirador estava sozinho em um carro que seguia na pista contrária à do comboio.

"Todo mundo achou que vinha pegar na mão, mostra um papel para o Zé [José Gomes]. De repente, ele sacou a pistola e começou a atirar a esmo. Graças a Deus que um segurança da responsabilidade da vice-governadoria estava presente e matou o cara", afirmou.

A Executiva do PSDB Goiás divulgou nota lamentando o atentado. "José Gomes da Rocha liderava as pesquisas entre os candidatos a prefeito de Itumbiara. Foi um homem honrado, trabalhador e muito querido, sobretudo pela população. A Executiva presta sua homenagem ao segurança Vanilson, também vítima fatal do atirador. Muito triste haver pessoas capazes de atos de tamanha violência e covardia".

Fonte: G1

Vídeo mostra momento que assassino desce do carro e dispara várias vezes. Mata o candidato a prefeito, um cabo da PM e fere José Eliton



Um vídeo mostra o momento em que o atirador desce do carro e dispara contra a caminhonete em que estavam o vice-governador de Goiás, José Eliton (PSDB), de 44 anos, e o candidato à prefeitura de Itumbiara José Gomes da Rocha (PTB), de 58 anos, conhecido como Zé Gomes.

O homem atingiu quatro pessoas e foi morto por seguranças do governo.

O atentado aconteceu durante uma carreata na quarta-feira (29). O criminoso parou ao lado do veículo onde José Eliton e José Gomes estavam e efetuou vários disparos. Segundo a Polícia Civil, o atirador foi identificado como Gilberto Ferreira do Amaral, de 53 anos, funcionário da prefeitura.

Além do atirador e de Zé Gomes, morreu no ataque o cabo da PM Vanilson João Pereira, de 36 anos, que fazia a segurança do vice-governador. Os corpos das vítimas são enterrados em Itumbiara.

O quarto atingido foi o advogado da Prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende, de 62 anos, que também participava da carreata. Ele o vice-governador foram transferidos para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia.

Vice-governador de Goiás, José Eliton, está na UTI após ser baleado



O vice-governador e secretário de Segurança Pública de Goiás, José Eliton (PSDB) está internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) em estado regular.

Ele foi baleado na região do abdômen durante um atentado que matou o candidato a prefeito de Itumbiara José Gomes da Rocha (PTB).

O advogado da Prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende, que participava da carreata e também foi baleado, está na unidade, com o mesmo quadro clínico.

Segundo a assessoria de imprensa do Hugol, os dois pacientes estão conscientes e passaram por vários exames. Os médicos ainda analisam os resultados.

A troca de tiros aconteceu durante uma carreata nesta quarta-feira (28) em Itumbiara, no sul goiano. Também morreram o cabo da PM Vanilson João Pereira, de 36 anos, e o atirador, identificado como Gilberto Ferreira do Amaral, de 53 anos, funcionário da prefeitura.

Logo após o atentado, Eliton foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Modesto de Carvalho, em Itumbiara.

O diretor clínico da unidade, Ernani Oliveira Rodrigues, disse que secretário chegou ao local assustado, mas consciente e lúcido.

Segundo Rodrigues, o vice-governador passou por uma cirurgia exploratória no abdômen ainda em Itumbiara.

“A operação foi feita para procurar alguma lesão interna, alguma hemorragia, mas não foi encontrado nada disso. Ele só teve a lesão muscular, os exames também não mostraram nenhuma bala alojada no corpo”, afirmou.

O médico afirmou que atendeu também o candidato Zé Gomes, que chegou à unidade de saúde já com parada cardiorrespiratória. As equipes tentaram reanimar o político por cerca de uma hora, mas ele não resistiu.

“Ele teve trauma importante na região torácica e cervical, perto da clavícula. Teve uma lesão interna com muito sangramento. Ele foi entubado, medicado, mas sem sucesso. O óbito dele foi declarado às 18h44”, disse.

O diretor contou que o policial militar Vanilson João Pereira também chegou ao hospital com parada cardiorrespiratória, e as equipes tentaram reanimá-lo, mas ele teve uma hemorragia abdominal e não resistiu.

O médico disse ainda que foi possível identificar que duas balas acertaram o PM na região do abdômen. O óbito dele foi declarado às 18h35.

Rodrigues pontuou que o advogado foi baleado na região da coluna, mas ainda seria analisado pelas equipes do hospital.Governo

O vice-governador, que também é secretário de Segurança Pública do estado, estava como governador em exercício, já que o governador Marconi Perillo (PSDB) viajou no último dia 19 deste mês para uma missão comercial nos Estados Unidos.

Enquanto Perillo não retorna a Goiás, o presidente da Assembleia Legislativa, Hélio de Sousa (PSDB), será o governador em exercício. Ainda não há previsão de quando a comitiva volte ao estado.

Investigação

O governador destacou ainda que as Forças de Seguranças deram início à investigação para elucidar a motivação do atentado. Os comandantes das polícias Civil e Militar foram requisitados para irem imediatamente à Itumbiara a fim de acompanhar a apuração.

De acordo com o delegado regional de Itumbiara, Ricardo Chueire, os primeiros procedimentos para apurar o caso já foram realizados. "Ainda não temos a motivação. Já ouvimos testemunhas oculares, fizemos uma perícia preliminar e conseguimos imagens de câmeras de segurança", explicou.

O ataque

Imagens mostram o tumulto e barulho de tiros no momento do atentado (veja vídeo acima). Conforme a assessoria de imprensa do Governo de Goiás, o atirador parou na frente do veículo onde Eliton e José Gomes estavam e efetuou vários disparos.

O deputado federal Jovair Arantes (PTB) também estava no veículo que foi alvo do ataque. Ele contou que o atirador estava sozinho em um carro que seguia na pista contrária à do comboio.

"Todo mundo achou que vinha pegar na mão, mostra um papel para o Zé [José Gomes]. De repente, ele sacou a pistola e começou a atirar a esmo. Graças a Deus que um segurança da responsabilidade da vice-governadoria estava presente e matou o cara", afirmou.

Fonte: G1 Goiás

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Morre ex-prefeito de Iaciara/GO, José Emílio de França Sabath, aos 78 anos



Morreu na manhã desta quarta-feira (28), o ex-prefeito do município de Iaciara Goiás, José Emílio de França Sabath.

José Emílio tinha 78 anos e era fazendeiro.

O ex-prefeito estava indo para Goiânia nesta manhã, quando passou mal próximo a cidade de Vila Boa Goiás. Infelizmente José Emilio não resistiu e faleceu.

José Emílio de França Sabath ocupou o cargo de prefeito por dois mandatos, entre 1983-1988; 1993-1996.

A família Sabath é a uma das mais tradicionais do município com forte influência politica, teve quatro membros da família no comando do município.

O corpo será velado na Igreja Santo Antônio em Iaciara.

Em 2015 o Governo de Goiás apresentou o Programa de Regularização Fundiária do Estado de Goiás e lançou a campanha de vacinação contra a febre aftosa na fazenda Ipueiras, de propriedade de José Emílio França Sabath. Na ocasião estavam o governador Marconi Perillo e o vice-governador, José Eliton.

São Domingos/GO: Carreta não consegue subir a serra Geral




Uma carreta que transportava calcário que vinha de Divinópolis de Goiás sentido oeste da Bahia, não conseguiu subir a serra geral na GO-463.

Segundo informações, a carreta já estava no meio da subida, quando a mesma não teve força suficiente e desceu sentido contrario.

O motorista conseguiu controlar e parar a carreta antes que ela caísse na ribanceira.

Ainda de acordo com as informações, não houve feridos.

A carreta estaria indo para uma fazenda na região oeste do estado da Bahia. A subida da serra é temida pelos motoristas de veículos pesados, e um erro pode ser crucial.

Deputado é expulso do partido em palanque, por apoio a outro candidato em Campos Belos/GO



Deu barraco no último sábado (24), durante comício do candidato Eduardo Terra (PR) a prefeito de Campos Belos, no nordeste de Goiás.

Ao lado da mulher, a deputada federal Magda Mofatto (PR), o presidente estadual do PR, Flavio Canedo, expulsou do partido o influente deputado estadual Claudio Meireles (PR).

O ato de expulsão ocorreu no palanque, durante o comício do partido na cidade.

A expulsão foi motivada porque Claudio Meireles declarou apoio a Zé Cândido, candidato a prefeito pelo PDT.

Aos gritos e sob efusivos aplausos, Flavio Canedo disse que Claudio Meireles, a partir daquele momento, não fazia mais parte do partido, porque, entre outras coisas, não respeitou o candidato do partido na cidade.

Condenado

Tem certos apoios políticos e de palanque que nem é bom declarar que tem.

Flavio Canedo é um velho conhecido do Poder Judiciário, que decidiu condená-lo, em 2013, a seis anos de prisão.

Canedo foi acusado, junto com mais dois homens, de torturar um rapaz na cidade Caldas Novas, em outubro de 2002.

Os réus teriam agido com violência para obter informações da vítima. Flávio Canedo, que tem direito de recorrer em liberdade, assumiu a presidência do PR no lugar de Juquinha das Neves, o ex-presidente da Valec, acusado de corrupção e que chegou a ser preso.

Leia mais sobre o caso Leia mais sobre o caso

Com informações Dinomar Miranda

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Especialistas preveem alto índice de abstenção, voto nulo e fortalecimento de 'antipartidários'



Em eleições municipais o debate eleitoral gira em torno, normalmente, dos problemas do dia a dia dos cidadãos, como a falta de asfalto das ruas, a infraestrutura dos bairros e das cidades.

 Este ano, contudo, os temas locais têm disputado espaço com a repercussão das investigações da Operação Lava Jato, o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a cassação do deputado Eduardo Cunha, e a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O resultado, segundo especialistas, é o aumento da desconfiança do eleitor em relação aos partidos políticos e na política como um todo. Estudiosos do processo eleitoral preveem alto índice de abstenção, crescimento do voto nulo e fortalecimento dos candidatos “antipartidários”.

“Pela experiência que eu tenho, dificilmente alguém vai votar pela escolha partidária. A população em geral está desacreditada dos partidos políticos. A tendência será a opção pelo voto carismático, na pessoa, que é o voto efetivamente pessoal”, avalia o professor de direito eleitoral da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Marcos Ramayana.

De acordo com a professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), cientista política e especialista em comportamento eleitoral, Helcimara Telles, pesquisas recentes mostram que, a pouco mais de uma semana das eleições, a maioria do eleitores, especialmente nos grandes centros, ainda não definiu seus candidatos. Comportamento diferente do verificado em eleições passadas.

“O que explica esse cenário de indecisão: primeiramente, há uma questão clássica no Brasil, que é uma baixa estruturação programática dos partidos. Ao mesmo tempo, temos uma coisa que é bastante conjuntural que são os escândalos midiáticos de corrupção e a disseminação bastante negativa do que é a política e a quase criminalização da política que recentemente tem sido oferecida ao público, sobretudo, pela Operação Lava Jato”, afirma.

Para ela, a “espetacularização” e a “criminalização” da política tem aberto caminho para candidatos “outsiders”, aqueles com estilo e discursos antipartidários, que participam das eleições sem o apoio de grandes partidos nacionais e têm como lema que não são políticos.

“Há um cenário de altíssimo desinteresse na política e as pessoas, no chavão, não querem políticos (nos postos políticos). Querem políticos que dizem que não são políticos. Do meu ponto de vista, tem a ver com a percepção alterada, reenquadrada e sobrerepresentada de que hoje o principal problema do Brasil seria a corrupção”, avalia Helcimara.

Classe Política

Já para a cientista política e professora da Universidade Federal de São Carlos (UFScar), Maria do Socorro Sousa Braga, os escândalos envolvendo políticos têm impactado diretamente na forma como a população avalia a classe política. “Isso é ruim. Temos uma campanha muito mais personalizada por conta dos problemas por trás dos partidos”.

Para Helcimara, inconscientemente, o eleitor descrente, revoltado, que pratica o “voto de protesto”, acaba trocando projetos de longo por outros de curto prazo. Ela ressalta que o enfraquecimento das siglas enfraquece também a própria democracia. [DA CASSAÇÃO]Além dos próprios partidos, a especialista atribui o atual momento de descrença dos eleitores na política à forma como Justiça e MPF têm atuado nos escândalos de corrupção.

Fonte: FolhaExpress

Coligações unem partidos adversários históricos em um a cada três municípios goianos. PMDB e PT apoiam PSDB em Iaciara/GO e DEM apoia PSDB em Guarani de Goiás



Inimigos na capital, adversários históricos nas eleições estaduais e presidenciais. Diferenças que parecem importar menos do que questões locais na disputa por prefeituras do interior do Estado.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) levantados pelo POPULAR mostram que as alianças entre “adversários” ocorrem em 90 cidades goianas. Foram considerados apenas os casos em que um partido “inimigo” apoia um candidato de outro.

Entre os casos que chamam atenção estão alianças entre PT e PSDB, que protagonizam intensas disputas no plano federal há mais de duas décadas. Petistas apoiam candidatos tucanos em Campo Limpo, Edéia e Iaciara. Já tucanos apoiam petistas em Diorama e Goiás, onde Selma Bastos é candidata à reeleição.

O partido do governador Marconi Perillo também se aliou com um adversário histórico, o PMDB do ex-governador Iris Rezende. Assim, PSDB e PMDB estão juntos em 22 municípios. O PMDB dá apoio a tucanos em 17 deles. Já o contrário ocorre em 5.

O caso mais curioso se dá em Luziânia, onde Marcelo Melo, que foi deputado federal pelo PMDB e candidato a vice-governador na chapa irista em 2010, é candidato a prefeito pelo PSDB, e com apoio de sua antiga sigla.

Inusitado

Mas o caso mais inusitado talvez seja a união entre PSOL e DEM, que integram a mesma chapa em Jataí, no Sudoeste goiano. Por lá, o partido de esquerda que tem como ícone o deputado federal Jean Wyllys (RJ) apoia o suplente de deputado estadual Victor Priori (DEM) e ainda fez aliança proporcional com o PSC de Jair Bolsonaro, o polêmico deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Os dados do TSE também mostram que, a despeito da disputa na capital e todo o desgaste envolvendo o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, PT e PMDB estão juntos em 45 cidades. Sendo que o PT conta com o apoio do PMDB em apenas quatro delas - nas outras 41, é o PT quem apoia o PMDB.




Fonte: O Popular

domingo, 25 de setembro de 2016

Goiás: Bombeiros abrem concurso para 290 vagas com até R$5 mil de salário



O Corpo de Bombeiros do estado de Goiás fará concurso para os cargos de Soldado e de Cadete. O edital com as normas deverá ser publicado no Diário Oficial do Estado da próxima terça-feira (27).

Serão oferecidas 290 vagas, sendo 250 para Soldado de 3ª Classe e 40 vagas para Cadete. O subsídio para os aprovados para o cargo de Soldado será de R$ 1.500,00 e de R$ 5.401,43 para Cadete. As provas objetivas serão realizadas nos dia 4 de dezembro, para Cadete, e no dia 11 de dezembro, para Soldado.

As inscrições serão feitas entre 3 de outubro e 7 de novembro, pelo site www.funrio.org.br. O valor da taxa de inscrição está fixado em R$ 110,00 para os candidatos ao cargo de Soldado e de R$ 140,00 para o de Cadete. O pagamento da taxa, que confirma a inscrição, poderá ser feita até o dia 8 de novembro.

A seleção dos candidatos, para os dois cargos será realizada através de provas objetiva e discursiva, teste de avaliação física, avaliação médica e avaliação da vida pregressa e investigação social.

Para obter mais informações ou esclarecer as dúvidas, os candidatos deverão ler o edital na íntegra, que será divulgado no site www.segplan.go.gov.br/concursos, assim que o mesmo for publicado no Diário Oficial do Estado.

Servidores da saúde de Monte Alegre de Goiás não recebem salários e entram em greve



Imagine você estudar muito e passar em um concorrido concurso público.

Imagine você, concursado, servidor público, trabalhar 12 horas de plantão em um hospital, salvando vidas e lutando contra todas as deficiências, como falta de medicamentos e até gazes.

Agora, imagine você, depois de tudo isso, passar quase dois meses sem receber seu mirrado salário e vê suas contas básicas de água, luz, gás e até a conta da padaria se acumularem por falta de dinheiro.

É essa a situação de dezenas de servidores da rede municipal de saúde do município de Monte Alegre de Goiás, no nordeste do estado. 

Enquanto candidatos fazem comícios e promessas nos vários cantos da cidade, os servidores sofrem com a falta de salários até para comer.

Eles entraram em greve nesta semana e afixaram cartazes em vários locais públicos.

Mas até fazer protesto estão sendo proibidos e admoestados.

Por perseguição política, testemunharam pessoas ligadas ao governo arrancarem seus cartazes, que informavam sobre a paralisação da categoria.

"Precisamos da população ao nosso favor, até porque somos funcionários. Mas antes disso somos cidadãos", disse uma servidora, que pediu para não ser identificada.

Ela disse também que a prefeitura só pagou os salários do pessoal da Educação. "Agentes de edemias, enfermeiros do PSF e dentistas, posto comunitários e servidores do hospital, ninguém recebeu", disse a profissional.

É difícil acreditar que este país tenha jeito.

Enquanto os cidadãos pagam alta carga tributária, quase metade de tudo que ele ganha com seu trabalho, não consegue ter acesso a educação decente e tão pouco a um atendimento médico condizente.

Não por menos. Por um lado, vê-se acumularem os escândalos de corrupção, como o da Petrobrás. Por outro, vê a falta de competência dos gestores públicos, em todas as instâncias, em gerir as contas públicas. 

O resultado é esse. Por mais que se arrecada, não sobra dinheiro nem para pagar salários dos enfermeiros dos hospitais.

É um tremendo tapa na cara de todos nós.

Com informações e texto Dinomar Miranda

Conheça o perfil dos eleitores de Divinópolis de Goiás para as eleições 2016



4.971, essa é a quantidade de eleitores aptos para votar em Divinópolis de Goiás nas eleições 2016.

Dentre esses eleitores, a maioria, 26% possui somente o ensino fundamental incompleto, mais da metade (53%) são homens e 12% são adultos entre 30 e 34 anos.

Essa é a cara do eleitorado de Divinópolis de Goiás, que irá escolher os 9 representantes do povo para os próximos quatro anos no legislativo e a escolha também do dirigente do Executivo.

De acordo com dados coletados no site do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, em oito anos o eleitorado divinopolino aumentou cerca de 500 pessoas, em 2008 a cidade possuía 4.468 eleitores aptos, para as eleições regionais daquele ano.

Dois mandatos após, aquele ano, chegamos em 2016 em um pleito para escolher novamente prefeito e vereadores, e encontramos um cenário onde o número de votos válidos chega á 4.971.

Um dos dados mais preocupantes apresentados é que quase metade da população votante possui baixo nível de escolaridade, como foi constatado 1.331 pessoas, correspondente á 26% do coeficiente eleitoral, não concluíram nem o ensino fundamental e 808 pessoas não concluíram o ensino médio.

As pessoas com nível superior completo representam apenas 1,6% (81 pessoas) dessa parcela, e em um cenário lastimável os analfabetos representam 8,7% (434 pessoas) dessa totalidade.

Esses dados mostram como é alarmante a situação da educação no município, já que outros 22% (1.123 pessoas) só sabem ler e escrever.

Quanto a faixa etária a disputa é mais equilibrada, e todos praticamente participam ativamente do processo eleitoral. Neste caso o destaque vai para os adultos entre 30 e 34 anos, que representam 12% parcela significativa nesse cenário.

Os idosos acima de 70 anos não tem mais obrigatoriedade do voto, mesmo assim representam 7,5% (343 pessoas) do eleitorado. E os jovens até 20 anos representam 9% (465 pessoas).

Outras faixas etárias variam entre 2% e 11% conforme imagem abaixo:


TRE-GO recebe mais de 2,7 mil denúncias de irregularidades eleitorais



O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) já recebeu mais de 2,7 mil denúncias de irregularidades e crimes eleitorais em todo o estado. Os registros são feitos por um aplicativo desenvolvido pelo órgão, que analisa todos os casos. A maior parte está ligada a propagandas irregulares.

As regras para as campanhas eleitorais estão mais rígidas. O objetivo é evitar que os candidatos sujem a cidade e comprem votos. Entre as práticas que foram proibidas está a pintura de muros e a distribuição de placas e cavaletes em praças, calçadas ou canteiros centrais de avenidas.

“Antes você olhava para o chão e já via vários papeis, porque a pessoa pega e já joga fora na hora”, aprova a atendente Franciele Almeida.

Com o objetivo de transformar os cidadãos em fiscais das campanhas eleitorais, o TRE desenvolveu um aplicativo chamado Pardal para receber denúncias de irregularidades durante o período eleitoral. Com ele, os eleitores podem fotografar e filmas os problemas encontrados e enviar para o órgão.

Em Goiás, mais de 2,7 mil denúncias já foram feitas. 47% são de propaganda irregular. Existem ainda notificações de uso da máquina pública na campanha, compra de votos e gastos irregulares. Goiânia é a cidade com maior número de denúncias, com 314. Na sequência aparecem Anápolis e Aparecida de Goiânia, com 146 cada uma e Inhumas, com 107.

“O grande avanço é justamente esse. Nós temos uma equipe de cerca de 30 pessoas e agora passamos a 1 milhão de pessoas que são os olhos da justiça em toda parte” disse o chefe do cartório do TRE em Goiás, Breno Prado.

“O candidato está mais atento, porque ele pode ser fotografado, pode ser filmado, e isso pode causar um dano à sua imagem e problemas na Justiça”, contou o coordenador de promotorias eleitorais, Rodrigo Bolleli.

Fonte: G1