terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Grupo faz 'vaquinha' para manter Parque da Chapada dos Veadeiros



Um grupo de 25 empresários aderiu a uma "vaquinha" para ajudar a manter aberto o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no distrito de São Jorge, em Alto Paraíso de Goiás, região norte do estado.

A decisão foi tomada para evitar que o local pare de receber visitantes, uma vez que o turismo é o setor que mais movimenta a economia da região.

O dinheiro arrecadado é usado para pagar os funcionários que trabalham na manutenção do parque. O contrato com a empresa que realizar o serviço venceu e os servidores tinham perdido o emprego.

No entanto, pessoas como a auxiliar de serviços gerais Dejana Barbosa de Barros recebeu o salário de R$ 1 mil. "Agora eu tenho dinheiro que recebi e vou pagar minhas contas se Deus quiser", afirma.

A iniciativa foi do empresário Uíter Gomes Araújo, que vai de empresa em empresa buscar os donativos. Nos últimos dias, ele próprio esteve no parque por sete vezes. "Eu trouxe saco de lixo, água sanitária, desinfetante e papel higiênico", lista.

Em 2016, mais de 60 mil turistas visitaram o parque para conhecer suas belezas. O comércio na região movimentou mais de R$ 70 milhões.

"O parque pra gente hoje, e sempre na verdade, é tudo. É o nosso coração. Então se ele fecha realmente estamos todos perdidos mesmo", pontua Eleni Ferreira da Silva, gerente de uma pousada.

O chefe do parque, Fernando Tatagiba destacou a importância das doações. "Se não fosse o apoio dos parceiros locais, o parque não teria condições de abrir a visitação aos turistas", revela.

Parque fechado

Já no Parque Nacional das Emas, no sudeste goiano, não contou com a ajuda e teve de fechar as portas para visitação. Atualmente, apenas cinco pessoas estão trabalhando no local, que é Patrimônio Natural da Humanidade.

Os contratos dos trabalhadores são de uma empresa terceirizada e foram suspensos por falta de recursos, pelo Instituto Chico Mendes, que é responsável pela administração do parque.

O parque tem mais de 130 mil hectares, distribuídos entre os municípios de Chapadão do Céu, Mineiros e Serranópolis.

O local é a maior unidade de conservação e proteção do cerrado do país e conta com uma grande diversidade de espécies da fauna e da flora, que atraem visitantes e pesquisadores do Brasil e do exterior.

À TV Anhanguera, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) informou que na terça-feira (24) os funcionários da limpeza e da vigilância voltam a trabalhar nos dois parques.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário