quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Lago Sul: mix de café e atelier valoriza design e produtos da Chapada dos Veadeiros




Foi a vontade de unir paixões – os cafés parisienses, arte, design e a Chapada dos Veadeiros – que levou o artista plástico e gourmet Márcio Rapello a abrir o Atelier Café, no comércio da QI 21, no Lago Sul. Recém-inaugurada, a operação conta com menu recheado de produtos da região, como as cervejas e o mel feitos na fazenda São Bento, cachaças e a castanha de baru, protagonista da carta.

“Me apaixonei pela região [da Chapada] há mais de doze anos e hoje sinto a necessidade de valorizar a produção de lá”, conta o proprietário. “Tudo é criado com técnicas de extrativismo, não prejudiciais ao meio ambiente”, completa o artista, que morou em Paris e frequenta o circuito de design e artes na capital francesa há mais de duas décadas. Não à toa, a casa tem se tornado ponto de encontro de artistas, designers, escritores, produtores e fotógrafos.
Com projeto criado pelas arquitetas Flávia Nasr e Laísa Carpaneda, o espaço abriga ainda uma galeria de arte, chamada Ultravioleta, situada no subsolo.

“Tudo foi pensado para atender ao paladar e cuidar do equilíbrio do corpo. No cardápio há desde uma seleção de vinhos orgânicos até pratos preparados com ingredientes do Cerrado, como flores comestíveis”, explica Márcio. “Gosto de pensar que aqui tudo está em harmonia, os temperos, as cores da paleta do artista, os nutrientes dos alimentos, a estética das obras e os clientes”, diz.

Conexão Saint-Germain-des-Prés e Chapada

A casa oferece café da manhã aos sábados, das 8hs às 14hs. Entre as sugestões, a cesta de pães variados servida com três acompanhamentos como a manteiga de coco aromatizada com baunilha selvagem; a geleia de morango caseira feita pela mãe de Márcio e ovos caipiras mexidos.

Entre os destaques, para abrir o apetite, estão a pamonha salgada servida com requeijão de búfala, brotos e sementes; a burrata italiana e o queijo coalho servido com geleia de cerveja.

As opções de prato principal são variadas e têm preços entre R$ 32 e R$ 58. O Espaguete de Abobrinha com pesto de castanha de caju e tomatinhos é vendido por R$ 44; o Hambúrguer de Baru, trigo germinado, tomilho, broto de alfafa, pasta de berinjela e vatapá de buriti no pão brioche integral, custa R$ 34; enquanto o Ravióli Pink recheado com ragu de rabada light ao molho de pesto de agrião sai por R$ 58.

As sobremesas seguem a mesma linha e têm a baru como queridinha. Experimente o Brigadeiro da castanha, amêndoas, cacau e chia (R$ 19); o sorvete de nata com rapadura servido com calda quente de doce de leite argentino e farofa de castanha de baru (R$ 26); ou a goiabada cascão cremosa quente servida com sorvete de creme de baru (R$ 25).

A carta de cafés conta com doze propostas como o café coado na prensa francesa (R$ 8), o mochaccino (R$ 14) e o cappuccino de Amarula (R$ 18). Para os fãs de coquetelaria, o bartender chileno Diego Guaita assina cinco drinques. Há ainda a possibilidade de harmonizar os pedidos com cachaças e cervejas produzidas na Chapada dos Veadeiros.

Em fevereiro, o chef lançará o Menu Degustação. A opção com entrada, prato principal e sobremesa será vendida por R$180. A sugestão com seis etapas acompanhada de harmonização de vinhos será ofertada por R$ 280. Os rótulos selecionados integram o catálogo da Grand Cru.




Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário:

Postar um comentário