quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Vídeo mostra discussão entre radialista morto em Goiás e prefeito de Edealina/GO há cerca de três meses



O radialista Jefferson Pureza, assassinado na noite desta quarta (17), que trabalhava como locutor da Rádio Beira Rio FM de Edealina, a 154 quilômetros de Goiânia, era uma figura polêmica.

Reconhecido na cidade por "não ter papas na língua" e por "falar o que queria e não queria", ele não escondia o descontentamento com a atual administração. Um vídeo, feito pelo atual prefeito de Edealina, o médico Winicius Arantes de Miranda, 32 anos, viralizou na internet. A filmagem mostra a discussão dos dois logo após o incêndio que consumiu parte da sede da rádio há cerca de três meses.

A reportagem conversou com o prefeito a respeito do vídeo. Ele conta que, diante das críticas que Jefferson Pureza fazia à sua administração, esteve na rádio logo após o local ser consumido pelo fogo temendo que indícios do possível crime fossem apagados.

"Fui avisado do incêndio pelo procurador jurídico da prefeitura e ele me alertou que eu poderia ser apontado como suspeito". Conforme Winícius Arantes, após acionar as polícias Militar e Civil, ele esteve na rádio e foi agredido verbalmente por Pureza.

O radialista apoiava politicamente a adversária política de Winícius Arantes, Dolores Cristina, que perdeu a eleição no ano passado. Ela se candidatou pelo Democratas e enfrentou uma batalha acirrada. Dolores Cristina é a proprietária e diretora geral da Rádio Beira Rio.

O atual prefeito, eleito pelo PTC, sabe que pode ser considerado um dos suspeitos de mandar matar o radialista, mas garante que está tranquilo e continua trabalhando normalmente. "Espero que as investigações sejam rápidas".

O corpo do radialista será sepultado hoje (18), às 19 horas, em Pontalina.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário