quarta-feira, 28 de março de 2018

I Fórum das Águas do nordeste goiano aconteceu em Campos Belos/GO





Considerado um evento de médio porte, de cunho científico-cultural e social, aconteceu no último dia 22, I Fórum das Águas no nordeste Goiano.

O evento foi realizado no auditório da Câmara de Vereadores de Campos Belos, e contou com um público de aproximadamente 400 pessoas.

A criação do Fórum surgiu de uma ação do Projeto Plante Seu Próprio Alimento, do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia da UEG- Campus Campos Belos que tem como uma de suas principais ações à recuperação de nascentes e o cultivo de mudas nativas do cerrado.


Estas ações vão de encontro aos anseios do Território Cidadania Chapada dos Veadeiros, que tem como parte de sua missão garantir o direito a água e a conservação do cerrado. Assim, as duas instituições se uniram para realização do I Fórum.

Na mesa de abertura do Fórum estiveram presentes: o professor Geraldo Magela de Paula (representando o Diretor da UEG – Campus Campos Belos – Adelino Soares dos Santos Machado); José Ribamar Neto, vice-prefeito de Monte Alegre de Goiás; Haicer S. P. Lima, Prefeito de Iaciara – GO; a secretária Helena José Ribeiro, representando o prefeito de Campos Belos, Carlos Eduardo Terra; Reinaldo Guimarães (presidente da Câmara de Vereadores de Divinópolis de Goiás) e o Secretário de Meio Ambiente de Campos Belos José Aires.

Na abertura do evento a professora Francielle Rego Oliveira Braz (coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia – UEG – Campus Campos Belos), falou da importância do Fórum não só com relação à conscientização da população, mas também para o encaminhamento de ações concretas na preservação e recuperação das nascentes.

Ressaltou, ainda, que a escassez da água já é um problema sério no Nordeste Goiano e muitos problemas estão relacionados à ação do homem. Disse que já existem no Curso de Agroecologia algumas ações de sucesso nesta região, porém são ações isoladas e que necessitam de uma junção com todos para que possam fazer mais ações na garantia do direito à água.

O senhor José Ribamar Neto vice-prefeito de Monte Alegre e também atua como coordenador geral do Território Cidadania Chapado dos Veadeiros, falou da importância do Fórum para região e agradeceu o apoio dos representantes municipais da região que estavam presentes.

Ele deixou claro que a intenção é manter o fórum permanente para que as ações propostas sejam realizadas.

O prefeito da cidade de Iaciara Haicer, falou da importância da água e exemplificou a crise hídrica de 2017 na zona rural desse município, se colando a disposição para apoiar as ações de recuperação e conservação das nascentes.

Foram ouvidos também o secretário de meio ambiente de Campos Belos, José Aires, a representante do prefeito de Campos Belos, a secretária Helena José Ribeiro, e o presidente da Câmara de Vereadores de Divinópolis de Goiás. Ambos citaram a importância do fórum e o apoio nas ações de recuperação e conservação das nascentes.

Houve um momento cultural com a apresentação do teatro “A importância da Água”, pelos alunos do curso de Licenciatura em Letras da UEG – Campus Campos Belos (Higor, Leonardo, Dieme, Laína e Mirthillene). O cantor Beto interpretou a música Planeta Água de Guilherme Arantes.

Houve entrega de mudas de árvores pelo aluno do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia, Ari.

No segundo momento do evento houve a formação da mesa técnica com a apresentação de profissionais que atuam em órgãos e/ou pesquisam água na região entre eles:

A professora do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia da UEG – Campus Campos Belos – Mariana Siqueira do Carmo, Engenheira Agrônoma, mestre em produção vegetal que iniciou sua fala com o seguinte questionamento: A água no mudo vai acabar?

Explicando na sequência vários conceitos sobre a conservação da água e deixando claro que água que pode acabar é a água potável para consumo humano.

O professor do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia da UEG – Campus Campos Belos, Carloeme Alves de Oliveira, Engenheiro Agrícola, mestre em solos, falou da importância das APP (Áreas de Proteção Permanente) e citou algumas legislações que asseguram estas APPs.

O Analista de desenvolvimento rural da Emater de Campos Belos – Oldemar de Almeida Pinto Filho, Engenheiro Agrônomo, especialista em piscicultura, falou sobre o trabalho de conscientização que a Emater vem fazendo com os produtores.

Explicou detalhadamente sobre a importância das matas ciliares, citou exemplos de solos degradados e deixou claro que se as técnicas corretas não forem aplicadas no plantio muitas nascentes irão desaparecer.

A fiscal ambiental de São Domingos – GO, Júlia Guedes Chaves citou exemplos reais de sua atuação em São Domingos, deixando claro que muita coisa poderia ser evitada se todos cumprissem as leis.

Citou a situação grave de um dos principais rios que abastece Divinópolis de Goiás e São Domingos: o Rio Bonito. Citou os agroquímicos encontrados no Rio São Domingos devido às lavouras do oeste baiano que faz divisa com o município através da serra geral.

Deixando claro que se não houver uma força tarefa maior vamos perder nossa água.

O professor Paulo Pereira Filho – Biólogo, mestrando em Geografia. O mesmo vem pesquisando sobre: A escassez hídrica e conflitos pela água no município de Arraias – TO: Causas e Consequências a partir da bacia do Rio Bezerra.

O professor Paulo explicou claramente sobre a grave situação do Rio Bezerra e apontou a mineração como um de seus principais problemas.

O mesmo também citou a importância e o cuidado que devemos ter com aquífero urucuia, onde parte do nordeste goiano e sudeste tocantinense estão localizados.

Albanita Moura Santos técnica em Saneamento Ambiental da Saneago – GO, falou das estações de tratamento na região e disse que em 2017 a situação de abastecimento ficou crítica nas seguintes cidades: Alto Paraíso, Monte Alegre e Campos Belos.

Explicou que a situação mais grave de abastecimento de água se encontra em Campos Belos, pois o Rio Montes Claros foi acometido por várias ações de crime ambiental em propriedades rurais e que a Saneago já está fazendo alguns cercamentos de nascentes para amenizar o problema.

Citou que para entrar em algumas propriedades necessitou do apoio do ministério público e da polícia militar.

Entre o público presente destacamos: alunos e professores da rede municipal de educação de Campos Belos acompanhados pela Secretária Municipal de Educação e Cultura Geisa Cordeiro; professores de rede estadual de educação e a Coordenadora Regional de Educação de Campos Belos – GO, Maria Suely Pereira de Araújo; alunos do Instituto Federal Goiano de Campos Belos, Alunos e professores da UEG Campus Campos Belos, alunos e professores do Prata (município de Monte Alegre- GO), membros da comunidade Pouso Alto (município de Campos Belos), o gestor de resíduos sólidos do município de Campos Belos Leandro Silva Oliveira, presidente da Cooperamos (Cooperativa de Produtores de Campos Belos e Região), Adolfo Siqueira; professora Odiva Xavier; Vereadores de Campos Belos: Karina, Gilbertinho, Nego da Patrol, Ivone do Touro, Baiano; Vereadores de Divinópolis de Goiás: Reinaldo Guimarães (presidente da câmara de vereadores), Mariano Torres e Maria Aparecida Serrano.

Um dos objetivos principais do Fórum que foi alcançado é a conscientização dos presentes num envolvimento mais especifico e pontual com relação a preservação das nascentes.

Um dos encaminhamentos citados foi à criação de uma lei municipal para de proteção aos buritizais.

E ficou marcada para dia quatro de junho de 2018, a reunião com os representantes municipais para edificação do comitê intermunicipal das águas no nordeste goiano, para que o mesmo possa encaminhar as ações proposta para melhoria dos recursos hídricos da região.

Fonte: UEG Campos Belos


Nenhum comentário:

Postar um comentário