quinta-feira, 22 de março de 2018

Provas de desvio de dinheiro em Formosa/GO serão compartilhadas com representante do Vaticano



As provas colhidas até o momento pelos investigadores da operação Caifás, deflagrada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) no último dia 19 serão compartilhadas com representantes do Vaticano. A decisão do juiz da 2° Vara Criminal de Formosa, Fernando Oliveira Samuel, atende pedido feito pelos promotores Douglas Chegury e Fernanda Balbinot, que coordenam a investigação.

Com essa decisão, a Igreja Católica, que é tratada como vítima no processo, poderá usar as informações para realizar sua própria apuração.

No pedido de compartilhamento, os promotores informam que se reuniram com o bispo de Uruaçu, dom Messias dos Reis Silveira para dar detalhes de como andam as investigações. Este confirmou a chegada de dom Paulo como administrador apostólico e responsável por essa ponte entre a diocese de Formosa e o Vaticano.

O bispo de Uruaçu foi informado da necessidade de pedir para a justiça a autorização para o compartilhamento das provas e o religioso confirmou o interesse da igreja em acessar os documentos e áudios coletados.

Os promotores esperam concluir o processo até amanhã, quando expira o prazo de cinco dias da prisão temporária de nove suspeitos de integrarem grupo que agia dentro da administração da diocese de Formosa para desvio de valores arrecadados com taxas, dízimos e ofertas. Entre os presos está o bispo de Formosa, dom José Ronaldo Ribeiro. As oitivas devem ser concluídas até a tarde de hoje.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário