sexta-feira, 16 de março de 2018

UEG de Campos Belos/GO e Coordenação do Território Chapada dos Veadeiros se reúnem para elaborar Fórum das Águas no Nordeste Goiano




No ano da água no Brasil, a sociedade ainda dá passos lentos na direção de um estado maduro de consciência sobre o valor da água, bem mais precioso da humanidade. No limiar da realização do Fórum Alternativo Mundial da Água - FAMA, que ocorrerá em Brasília de 17 a 22 de março de 2018, governantes municipais, entidades ambientais, educadores e a sociedade como um todo, se reúnem na região Nordeste de Goiás para debater e encaminhar sugestões de solução para o problema relacionado à água na região.

A Universidade Estadual de Goiás, que cada vez mais vem se firmando como instrumento relevante na formação de pessoas sensíveis às questões ambientais, juntamente com a Coordenação Geral do Território da Cidadania Chapada dos Veadeiros sentaram para elaborar o I Fórum das Águas no Nordeste Goiano. Trata-se de um passo à frente que está sendo dado pelo curso superior de Tecnologia em Agroecologia no intuito de chamar a sociedade ao debate quanto aos perigos que os rios e nascentes da região sofrem com a degradação ambiental.

José Ribamar Alves Pereira Neto, coordenador Território e vice-prefeito de Monte Alegre de Goiás reitera a necessidade de haver uma retomada das ações do Território, apesar das dificuldades enfrentadas, principalmente com retirada dos recursos destinados à políticas públicas da Chapada, segundo relata. Para ele, “uma ação concreta como essa, em parceria com a UEG é da maior importância para a continuidades da luta pela preservação não só da água, mas também de todas os demais aspectos naturais do bioma”, reitera.

A professora Francielle Rego Oliveira Braz, coordenadora do curso de Agroecologia da UEG e uma das proponentes desta ação, afirma que a região já vem sofrendo com desabastecimento de água em vários municípios e que a situação é grave e precisa ser revertida, sob pena de afetar esta e as futuras gerações.

Para a docente, as populações que estão às margens do Parque Nacional e deste berço das águas, devem se envolver cada dia mais nas lutas em defesa dos recursos hídricos e do Meio Ambiente como um todo. “Como filha legítima do Nordeste Goiano sente na pele a necessidade de implementar ações concretas capaz de construir pontes para um futuro seguro na Chapada”.

Colaborador na realização do evento, o ativista ambiental e coordenador de planejamento da UEG de Campos Belos, Marconi Moura de Lima, ressaltou a importância de a Universidade assumir esse papel e celebrar a parceria com sociedade, que é estratégica, em sua avaliação. “As discussões e os encaminhamentos tem de ser concretos e consistir num socorro direto ao meio ambiente e aos recursos hídricos que de fato estão correndo riscos de escassez em um futuro muito próximo”, aponta.

Sinal vermelho para as águas

O apelo desse grupo de educadores, entre eles o vice prefeito de Monte Alegre de Goiás constitui-se de um pontapé com dois vieses. O primeiro deles é o valor da iniciativa e da parceria, que vai na direção do cumprimento das missões tanto da Universidade, quanto da própria coordenação do território. O segundo é a urgência que temos de tomar providências que estejam diretamente atentas à sobrevivência das próximas gerações o planeta terra.

Parafraseando Padre Zezinho, o diretor da UEG, professor Adelino Machado, diz que “os homens [e mulheres] de boa vontade estão começando a ficar, inquietos por causa do rumo que as coisas estão a tomar”, destacou. Para o gestor da UEG, trata-se de a sociedade, em parceria com a universidade, agir em benefício de toda a comunidade planetária. “Durante muitos anos de trabalho e atuação na UEG essa é umas das iniciativas que mais nos mobiliza em busca do que fazer”, mencionou.

O I Fórum das Águas no Nordeste Goiano só se emplaca se houver adesão. E para isso sua pequena equipe organizadora está imbuída e comprometida com essa causa, que na verdade é causa de toda a humanidade. “Ou fazemos algo concreto agora para preservar as nascentes, os mananciais e os rios, ou sofreremos em breve a destruição total da vida no Planeta”, desabafa o professor.

O evento está agendado para acontecer no próximo dia 22 de março [quinta-feira], das 18h às 22h, no auditório da Câmara Municipal de Campos Belos. E os organizadores convidam toda a sociedade para debater e propor ideias ao cuidado com a água.

A atividade conta ainda com o apoio das prefeituras de Monte Alegre e Campos Belos, ambas, pertencentes ao nordeste goiano.

Fonte: UEG Campos Belos

Nenhum comentário:

Postar um comentário