terça-feira, 10 de abril de 2018

Com oito mortes confirmadas, Goiás antecipa campanha de vacinação contra H1N1 para sexta-feira



O secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela, anunciou que a campanha de vacinação contra a gripe H1N1 vai começar na sexta-feira (13) em Goiás. O Ministério da Saúde anunciou a antecipação do envio de 650 mil doses para o estado. Segundo o último boletim, 63 casos da doença foram confirmados e oito pessoas já morreram.

O secretário informou que as doses chegam na quarta-feira (11) e, no dia seguinte, serão distribuídos para todo o estado. Só para Goiânia, onde aconteceram metade das mortes pelo vírus, serão encaminhadas 191 mil doses, o que representa metade do número destinado ao município.

A imunização começa 10 dias antes da campanha nacional, prevista para 23 de abril, em decorrência do aumento no número de mortes pelo vírus. O pedido de antecipação para a campanha de vacinação em Goiás foi feito após o aumento no número de casos no estado.

"Nós tivemos um comportamento anômalo. Em março, nós tivemos o surto na São Cottolengo e vários outros casos notificados e confirmados. É uma situação que não acontece no resto do país, por isso Goiás vai ser o único estado do país que começa no dia 13. Nós vamos começar em virtude dessa situação anômala do estado", disse o secretário.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a vacinação será, nesse primeiro momento, somente para trabalhadores da saúde, idosos e pacientes com doenças crônicas.

Casos confirmados e mortes

O todo, já foram confirmados 63 casos de H1N1 em 15 cidades do estado este ano. Desse total, oito pessoas morreram, sendo cinco mulheres e três homens. As últimas mortes causadas pela doença foram registradas em 2016, quando 90 pessoas vieram a óbito.

Além das mortes por H1N1, a Secretaria Estadual de Saúde registrou uma morte por H3N2, outra variação do vírus da Influenza A. O órgão ainda investiga outros 26 casos.

Goiânia - 35 casos registrados, sendo 4 mortes
Hidrolândia - 1 morte
Jaupací - 2 casos registrados, sendo 1 morte
Trindade - 10 casos registrados, sendo 2 mortes
Anápolis - 2 casos registrados
Aparecida de Goiânia - 4 casos registrados
Bela Vista de Goiás - 1 caso registrado
Caturaí - 1 caso registrado
Goianira - 1 caso registrado
Inhumas - 1 caso registrado
Luziânia - 1 caso registrado
Nerópolis - 1 caso registrado
Porangatu - 1 caso registrado
Rio Verde - 1 caso registrado
Valparaíso de Goiás - 1 caso registrado

A gripe H1N1

O médico infectologista Boaventura Bras explica que os principais sintomas da gripe H1N1 são os mesmos de um estado gripal comum, como febre que dura entre 3 e 5 dias, tosse seca, secreção e dores no corpo. A forma mais eficaz de evitar a transmissão do vírus é a higienização das mãos, principalmente com álcool gel. Também é recomendável cobrir a boca e o nariz ao expirrar.

Caso a pessoa tenha algum sintoma da doença, ela pode procurar qualquer unidade de saúde e, lá, será dado o encaminhamento adequado a ela, de acordo com a gravidade da doença.

Quem pode se vacinar?

Podem se vacinar bebês a partir de 6 meses de idade. A vacina é contraindicada apenas para aqueles que têm alergia a ovo, segundo o médico infectologista.

Quem já teve H1N1 pode contrair a doença de novo?

“Pessoas que já tiveram comprovadamente a gripe H1N1 têm uma resistência maior ao vírus, então seria mais difícil contrair novamente. Porém, o vírus sofreu modificações e ele também pode ser infectado por outros vírus dentro da influenza”, explicou o médico.

Além disso, familiares de pacientes com o vírus também precisam tomar cuidados especiais. “Os parentes também precisam tomar o mesmo medicamento, mas em uma dose menor, mas tudo com orientação médica”, completou.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário