quinta-feira, 7 de junho de 2018

Família sequestrada em Campos Belos/GO relata momentos de terror em cativeiro



A família de um gerente de banco foi sequestrada e mantida em cativeiro na madrugada desta quinta-feira (7), em Campos Belos de Goiás, região Nordeste de Goiás.

De acordo com o major Leandro Carvalho, Comandante do 42º Comando Policial do município, o casal e uma filha de 16 anos foram abordados por dois assaltantes dentro de casa, no Centro da cidade. Em seguida, eles foram levados pelos suspeitos até a divisa dos Estados de Goiás e Tocantins, onde passaram a noite sob a custódia de dois homens.

O sequestro aconteceu por volta das 20h de quarta-feira (6) e, de acordo com a Polícia Civil (PC), teria sido motivado por um plano dos suspeitos de obrigarem o gerente do Banco do Brasil da região a abrir a agência bancária pela manhã e entregar o dinheiro para a quadrilha.

Os reféns foram levados para um local que a polícia desconfia ser a região de Paranã, no Tocantins. Após a libertação, a família contou à polícia que permaneceu encapuzada durante toda a madrugada e que teria sofrido ameaças dos dois homens. “Eles disseram que os bandidos colocaram a arma dentro da boca da filha deles e ficaram ameaçando atirar”, conta o Major Carvalho.

As buscas pelos três iniciaram no fim na noite de ontem, quando a polícia foi avisada por vizinhos sobre o sequestro. Carvalho detalha que, por volta das 4h de hoje, uma equipe localizou alguns homens suspeitos na GO-118, sentido Brasília.

“Eles são uma quadrilha de oito a dez homens”, explica. Na abordagem, ele afirma que a viatura dos agentes foi alvejada por disparos de um Fuzil 556, manuseado pelos suspeitos que estavam dento do carro e que a polícia desconfia que façam parte do grupo responsável pelo sequestro em Campos Belos.

Segundo a PC, neste momento, houve troca de tiros e dois suspeitos morreram. Outros quatro teriam fugido a pé pelo matagal nos arredores da rodovia estadual. Dois Fuzis 556 foram apreendidos.

“Aparentemente, o plano deles falhou, por conta da perseguição da polícia”, conta o Major. A família foi libertada pelos suspeitos na região de Santa Maria, no Tocantins, por volta das 8h. “Há cerca de 70 homens fazendo a busca dessa quadrilha, que está dividida”, detalha Carvalho.

Além da Polícia Civil, há o apoio do Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer), que faz o monitoramento da área onde os suspeitos teriam fugido e da região onde a família foi liberada.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário