segunda-feira, 11 de junho de 2018

Polícia prende um dos sequestradores envolvidos na ação criminosa para roubar o Banco do Brasil em Campos Belos/GO



Após quase uma semana de buscas incessantes, a força tarefa da Polícia Militar e da Polícia Civil de Goiás conseguiu prender um dos bandidos envolvidos no sequestro do gerente  e da família dele e na ação criminosa que pretendida roubar o Banco do Brasil na cidade Campos Belos, nordeste de Goiás.

Após informações repassadas por populares, um rapaz de 24 anos, identificado como V.S.C, foi preso e confessou a participação no crime.

A prisão ocorreu na tarde desta terça-feira ( 11), em Campos Belos, numa localidade rural conhecida como "Gameleira", localizada atrás do Posto Asa Branca.

O suspeito estava em um bar, quando foi preso pela polícia.

Após a prisão, o rapaz, que é da região de Itaberaba (BA), confessou que recebeu R$ 10 mil para fazer o transporte do armamento usado na ação, que também resultou em um confronto com militares do Comando de Operações de Divisa (COD), quando dois dos bandidos morreram na troca de tiros.

Segundo o comandante da Polícia Militar em Campos Belos, major Carvalho, que trabalha incessantemente atrás da quadrilha desde a última quinta-feira (7),  o suspeito confessou que chegou em Campo Belos na última quarta-feira (6), véspera do sequestro, trazendo consigo três fuzis e três pistolas.

Ainda de acordo com o major, as informações repassadas pela comunidade estão sendo de muita importância e reforçou a importância do exitoso trabalho de integração entre as forças policiais do estado de Goiás.

Com a prisão do rapaz envolvido na ação, facilitou e muito o trabalho de inteligência da polícia, que poderá agora e com maior facilidade chegar aos nomes dos demais membros da quadrilha e descobrir, inclusive, como se deu a dinâmica da ação criminosa.

Mais detalhes das buscas não puderam ser repassados para não atrapalhar o trabalho de investigação, que prossegue a todo vapor. 

Ainda há entre 6 e 8 bandidos foragidos, segundo o oficial.

Fonte: Dinomar Miranda

Nenhum comentário:

Postar um comentário