terça-feira, 3 de julho de 2018

“José Eliton quer empréstimo para terminar rodovia que dá acesso a sua fazenda no Nordeste Goiano” denunciou o senador Ronaldo Caiado



Em entrevista na última sexta-feira (29) a rádio Sagres 730, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) denunciou que o governador de Goiás, José Eliton, quer empréstimo da Caixa Econômica Federal para concluir obra de rodovia no Nordeste goiano que dá acesso a fazenda do mandatário.

Caiado rebateu críticas do governo de que o parlamentar estaria prejudicando Goiás ao pedir esclarecimentos no Senado a respeito do empréstimo ilegal em curso entre o estado e a Caixa, no valor de R$ 510 milhões. O senador reiterou que o empréstimo fere a Constituição e recomendação do Tribunal de Contas da União porque não tem o aval da União. O senador afirmou que os reais interesses do governador são pessoais: finalizar o trajeto a até sua propriedade e pagar empreiteiros aliados ao governo tucano.

“Nós temos aqui uma rodovia que está asfaltada, que vai de Posse a cidade de Guarani. E depois de Guarani de Goiás nós temos aqui uma estrada de terra que vai até o parque estadual de Terra Ronca. Veja bem a prioridade do governo. Ao invés de continuar o asfalto de Guarani até a Terra Ronca, o governador fez uma rodovia paralela a esta que já existe por R$ 65 milhões e essa rodovia só passa na fazenda do governador. Onde é que está a condição de um governador de estado que prioriza uma obra de interesse pessoal? E todas as ligações do Nordeste goiano paradas”, atestou.

Ronaldo Caiado reforçou que, ao contrário do que José Eliton prega, como senador tem o dever de zelar pelas contas do estado.

“Como o governador pode dizer que o Ronaldo Caiado está fazendo uma ação politiqueira quando nós sabemos bem como esse dinheiro vai ser usado? São para apenas algumas grandes empreiteiras. Esse dinheiro não é para obra, são para grandes empreiteiras. Porque elas vão receber para viabilizar amanhã uma prática, – caixa dois de campanha, – que a Lava-Jato jato já disse que não será admitida no processo eleitoral de 2018. Como senador da República tenho o dever de cuidar do estado que eu fui eleito para representar. Devo zelar pela saúde fiscal do estado. Devemos dar condições de Goiás sair da crise e não chegar a situação que o Rio de Janeiro chegou. E Goiás está caminhando a passos largos com essa total irresponsabilidade fiscal. “, disse.

Sobre o argumento do governo de que o empréstimo da Caixa seria utilizado em obras, Caiado lembrou o retrospecto da gestão Marconi Perillo-José Eliton no setor. “Nós temos em Goiás hoje mais ou menos 400 obras inacabadas que elas começaram no período pré-eleitoral, pararam um dia após a eleição e estão aí hoje todas deterioradas, todas destruídas. Já pensou bem o prejuízo do estado de Goiás? Então, querem dizer que vão tirar mais R$ 510 milhões da Caixa e que esse dinheiro vem para beneficiar alguns municípios de Goiás? Nós sabemos que, infelizmente, a Agetop está desviando da sua função principal. Na verdade, esses caminhões de terras, caminhões de brita, esse asfalto que está sendo usado, não está sendo bem avaliado, não está sendo bem auditado. Para que aí a gente possa descobrir quais são os verdadeiros interesses de cada vez poder ampliar mais o endividamento do estado de Goiás”, acrescentou”.

Empréstimo

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou na última terça-feira, 26/6, requerimento do senador Ronaldo Caiado para que o presidente da Caixa, Nelson de Souza, e o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, prestem esclarecimentos sobre o empréstimo em andamento. O governo de Goiás requisitou empréstimo de R$ 510 milhões para a Caixa Econômica Federal e colocou no contrato como garantia cotas do Fundo de Participação do Estado (FPE) sem o aval da União, o que infringe o artigo 167 da Constituição.

O governo federal não avaliza o empréstimo porque o estado tem nota “C” no Capag, Capacidade de Pagamento, classificação do Tesouro Nacional sobre a saúde fiscal dos estados, ranking que impede a unidade da federação de contrair novos empréstimos.

“O governador do estado é advogado. Como tal, se diz conhecedor da Constituição brasileira e, neste momento, é importante que todos os cidadãos goianos saibam da realidade fiscal do estado de Goiás. A nossa situação hoje é preocupante pelo nível de endividamento do estado de Goiás. Então, quando um governador do estado diz: ‘olha, o senador Ronaldo Caiado não está agindo de uma maneira adequada ou está prejudicando o estado de Goiás, isso é muito grave, é gravíssimo. Até porque minha conduta sempre foi de defender Goiás e tenho orgulho enorme de ser goiano e defender o estado de Goiás”, afirmou.

“A União disse: ‘nós não podemos emprestar para Goiás porque Goiás não cumpriu todos os indicadores que são obrigados para que um estado possa amanhã recorrer a um empréstimo bancário. Eu, como senador da República, estou simplesmente ouvindo o que o Tribunal de Contas da União disse. Não foi o Ronaldo Caiado, foi o órgão federal responsável por fiscalizar a Caixa Econômica Federal que disse que o banco está fazendo concessões ao estado de Goiás que não poderia estar fazendo”, argumentou.

Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário