domingo, 22 de julho de 2018

Moradores de Niquelândia/GO fazem passeata para pedir justiça pela morte de criança de 3 anos



Família, amigos e moradores de Niquelândia que se sensibilizaram com a morte da Amanda Vitória Soares de Araújo, de 3 anos, participaram de uma passeata pedindo justiça, na sexta-feira (20). O grupo caminhou pelas ruas da cidade, que fica no norte de Goiás, com roupas e balões pretos, representando o luto pela situação.

O corpo da vítima foi encontrado com sinais de abuso sexual e um adolescente de 15 anos foi apreendido e confessou o assassinato.

“Mãe nenhuma deve sofrer o que eu estou sofrendo. Mãe nenhuma no mundo, porque a dor é muito grande, não tem tamanho”, desabafou mãe da criança, Eliane Alves.

Os parentes de Amanda levaram cartazes e fizeram camisetas brancas com o rosto da menina para a ocasião. Eles contam que ficaram consternados com a situação.

“Eu me sentia o melhor pai do mundo. Ela fazia questão de todo dia me abraçar, dizer: ‘Eu te amo, papai’. Todo dia ela falava isso”, lembrou Aguinaldo Viana, com saudades da filha.

Investigação

Amanda foi encontrada na segunda-feira (16) em um matagal próximo à casa onde ela morava. Ela estava com ferimentos na cabeça e sinais de abuso sexual. A criança foi socorrida com vida e levada para Hospital Municipal de Niquelândia. Porém, não restitui aos ferimentos e morreu por volta de 21h45. Ela foi enterrada na noite de terça-feira (17).

Segundo o delegado Bernardo Comunale, responsável pelo caso, um adolescente de 15 anos confessou o ato infracional e não demonstrou arrependimento. Em depoimento, ele não explicou o motivo para ter cometido o fato.

"Nenhum [remorso ou arrependimento]. Acho até, me arriscando aqui e invadindo a área dos especialistas, [que ele tem] alguns traços de psicopatia. Sem remorso, não demonstra emoção, seco nas respostas. Respostas evasivas, sim, não. Difícil extrair até uma história concatenada dele. Ele não demonstra emoção, sentimento, nada", afirma.

De acordo com o investigador, os peritos já revelaram que a causa da morte foi traumatismo craniano. O adolescente nega que tenha estuprado a vítima, mas a polícia ainda aguarda um laudo para confirmar se houve o abuso sexual.

O menor já possui passagens por furto e receptação. Também era usuário de drogas e ficou internado em uma clínica de reabilitação em Goiânia entre novembro do ano passado e o último mês de abril. Ele usava medicamento controlado, mas os pais não souberam informar qual o nome do remédio.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário