quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Incra emperra entrega de tratores a 29 cidades goianas. Entre elas, São Domingos e Flores de Goiás



Prefeitos de 29 municípios de Goiás estão contrariados com o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Estado, Eurípedes Malaquias de Souza. Cada um deles deveria ter recebido no começo de julho um trator adquirido pelo Incra nacional. Houve até festa no pátio do Ceasa de Goiânia em 25 de junho, onde os tratores estão estacionados desde então. Mas Eurípedes não assinou o termo de liberação dos veículos para os municípios e o maquinário está agora parado e em processo de depreciação. Cada um custou R$ 75 mil.

O prazo final para entrega dos tratores, de acordo com a lei eleitoral, era 6 de julho. A documentação estava toda pronta, porque dias antes o Incra havia liberado tratores para municípios de Minas Gerais num evento similar. Sem maiores justificativas, o superintendente do Instituto em Goiás postergou a cessão dos tratores até que o prazo expirasse.

Há prefeitos que dizem que o que está por trás da não-liberação dos veículos é a disputa por bases eleitorais. Eles afirmam que a entrega dos tratores antes da eleição contrariaria parlamentares a quem o superintendente é ligado.

“Você tem alguma dúvida que foi questão política? Qual outro motivo teria? Não entregou por picuinha de deputado”, afirma a prefeita de Baliza, Fernanda Nolasco Oliveira. “A situação é constrangedora. A gente foi para Goiânia, participamos da entrega, aparecemos na mídia e agora a cobrança da população está imensa. Estamos perdendo força”. Fernanda diz que o trator deveria estar sendo usado para beneficiar 553 família que vivem no assentamento Oziel. Ela sugere uma mobilização de prefeitos para protestar contra o Incra local.

Prefeito de São Domingos, Cleiton Martins, telefonou para o Incra para saber porque o veículo prometido ao município dele não havia sido liberado. “Eu falei com Eurípedes e com Igor [Igor Lelis, funcionário do Incra no Entorno do DF] e eles me disseram que faltava etiquetar e documentar o trator. Nunca soube o que isso significava de fato”, diz Cleiton. “Acho que não tem nada a ver com o calendário eleitoral. Só sei que viajamos para Goiânia, participamos da festa e o benefício não veio”.

Em São Domingos, o trator vai servir a mais de 500 famílias que vivem em quatro assentamentos. O prefeito afirma que o trator é fundamental para cultivar mandioca e que se o maquinário não chegar até o fim de agosto, o ano estará perdido para os agricultores.

Constrangimento

Para Jadiel Ferreira, prefeito de Flores de Goiás, o impasse prejudica o trabalho da administração municipal. “Está dificultando demais a nossa vida. As famílias e os produtores rurais que seriam beneficiados reclamam, perguntam. Todos os dias nós ouvimos ‘cadê os tratores?’ e não temos resposta. Já enviamos os papéis que o Incra nos solicitou assinatura e até agora nada, não nos deram nenhum posicionamento”, afirma.

O prefeito de Água Fria, Dr. Eduardo, reclamou da falta de comportamento do Incra. “Estamos aguardando, ligamos no Incra em Brasília e disseram que o problema é em Goiânia. Ligamos em Goiânia e ninguém soube dizer o porquê do trator que chegaria para a comunidade não ser entregue”, disse.

Fonte: Opção

Nenhum comentário:

Postar um comentário