quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Seis projetos foram selecionados para territórios quilombolas. Objetivo é desenvolver a sustentabilidade e o bem-estar dos quilombolas, privilegiando cerca de cinco mil pessoas, em 39 comunidades espalhadas por Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás



Dos nove projetos apresentados, seis foram selecionados para serem implementados em territórios quilombolas de Goiás, com o intuito de promover o desenvolvimento econômico sustentável dessas comunidades.

A seleção foi feita por meio de edital de chamamento público realizado pela Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima) e pelo Fundo Estadual do Meio Ambiente (Fema).

O resultado da seleção foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de segunda-feira, dia 06. Foram selecionados os seguintes projetos: Quintais Kalunga, fonte de vida, da Associação dos Pequenos Agricultores Kalunga de Diadema; Viveiro Kalunga: Gerando Sustentabilidade, da Associação Kalunga da Cavalcante; Preservar Nascentes e Recuperar Trilhas, da Associação Kalunga do Engenho II (AKCE); Resgatando a Memória, Construindo o Futuro, dos Moradores do Quilombo Kalunga de Monte Alegre de Goiás; Produção Agroecológica Sustentável no Engenho II, do Instituto de Desenvolvimento Unicerrado; e Produção Kalunga – Cultura e Tradição, da Associação Quilombo Kalunga.

A execução dos projetos tem o objetivo de desenvolver a sustentabilidade e o bem-estar das populações quilombolas, privilegiando cerca de cinco mil pessoas, em 39 comunidades espalhadas por três municípios goianos: Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás. A estimativa é que, no turismo, indiretamente, os projetos beneficiarão cerca de 1.500 pessoas.

O chamamento público visando a seleção de organizações da sociedade civil para apresentarem projetos que visem o desenvolvimento econômico sustentável em territórios quilombolas no Estado atende o que determina a Lei Federal mº 13.019, de 31 de julho de 2014. Com a publicação do resultado, o próximo passo será essas organizações firmarem convênio com a Secima/Fema.

Kalungas

Está em Goiás o maior quilombo em extensão territorial do Brasil, com cerca de quatro mil pessoas abrigadas, em 253 mil hectares de Cerrado. O Estado possui 47 comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Palmares, sendo os Kalungas os maiores representantes, localizados ao Norte da Chapada dos Veadeiros. A área ocupada pelos Kalungas é reconhecida pelo Estado de Goiás, desde 1991, como sítio histórico que abriga o Patrimônio Cultural Kalunga. Hoje, essas comunidades atuam na preservação e conservação da área.

Os quilombolas são comunidades de descendentes de escravos, em situação rural, que mantêm uma profunda relação com a terra, sendo que sua sobrevivência é proveniente do cultivo de mandioca e milho, da criação de gado, do extrativismo de espécies nativas da região, de uma grande variedade de frutas e verduras, além do turismo local e das festas religiosas.

Fonte: Opção

Nenhum comentário:

Postar um comentário