domingo, 30 de setembro de 2018

Celulares pessoais de Marconi Perillo e da esposa foram apreendidos durante operação da PF



Os celulares pessoais do ex-governador de Goiás e atual candidato ao Senado, Marconi Perillo (PSDB), e da mulher dele, Valéria Perillo, foram apreendidos durante a deflagração da Operação Cash Delivery, segundo o advogado dele, advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

Além disso, um laptop da filha do casal também foi levado durante cumprimento de mandado de busca e apreensão.

A ação investiga, que apreendeu mais de R$ 1 milhão em endereços ligados a Perillo, investiga recebimento de propina de R$ 12 milhões durante dois governos dele, em troca de favorecer empreiteiras em contratos com estado. Cinco pessoas foram presas, entre elas, Jayme Rincón, coordenador da campanha do atual governador, Zé Eliton (PSDB) e candidato à reeleição.

De acordo com o Kakay, os mandados foram cumpridos na casa e em duas fazendas de Marconi. Ele afirmou que as apreensões não o preocupam.

"Na realidade, não foi apreendido basicamente nada. [Foi apreendido] o celular dele, o celular da esposa e o laptop da filha. Ele deu a senha na hora. Na fazenda não foi apreendido nada, só foram feitas fotos. Não temos nenhuma preocupação com o que foi apreendido. O que nos preocupa é o resultado dessa exploração que está sendo feita", afirmou.

Candidato ao Senado, Perillo aparecia com 29% das intenções de voto em pesquisa Ibope do dia 21 de setembro. O ex-governador de Goiás se tornou réu no início de setembro por corrupção passiva.

No pedido para autorização dos mandados, a PF afirmou que não solicitou a prisão de Perillo por causa da lei eleitoral. A legislação determina que candidatos não podem ser presos 15 dias antes do pleito, a não ser em flagrante. Esse prazo começou a contar no dia 22 de setembro.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário