sábado, 29 de setembro de 2018

Marconi Perillo foi alvo de pedido de prisão



O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) chegou a ser alvo de pedido de prisão preventiva em representação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF-GO) feita na primeira quinzena deste mês à Justiça Federal. O juiz Rafael Ângelo Slomp, da 11ª Vara Cível Federal, faz referência ao pedido na página 37 da decisão relacionada à Operação Cash Delivery.

“Cumpre referir que o pedido de prisão preventiva contém entre os alvos das medidas um dos candidatos ao Senado no pleito eleitoral de 2018. Oportuno consignar que tal pedido foi recebido na iminência de se esgotar o prazo em que a lei eleitoral prevê vedação à prisão de candidato”, afirma o juiz.

Ele completa que “é dever do julgador avaliar os efeitos de sua decisão, sobretudo quando pode ter influência direta e imediata sobre questão tão sensível da sociedade, como é a escolha de seus representantes”. Rafael diz ainda que há necessidade de elementos mais robustos para decretar prisões preventivas.

O POPULAR apurou que, inicialmente, a PF fez pedido de buscas e apreensões e o MPF incluiu solicitação de prisão preventiva contra todos os envolvidos, inclusive Marconi. Isso ocorreu antes do período de proibição de prisão de candidatos.

Antes do julgamento do pedido, a PF conseguiu as provas dos e-mail apagados de Jayme Rincón e fez representação pelas prisões temporárias. O MPF endossou os pedidos de prisões temporárias, mas excluiu o nome de Marconi, já por conta do período de proibição eleitoral - que não permite prisão de candidatos 15 dias antes do pleito até 2 dias depois.

A decisão do juiz é do dia 24 de setembro, quando o prazo já estava valendo. Rafael negou as solicitações de prisões preventivas de todos - contidas na representação anterior - e concedeu as prisões temporárias. Por isso na decisão ele faz referência ao pedido contra o candidato ao Senado.

Segundo apuração do POPULAR junto à PF e ao MPF, houve apreensão de apenas um smartphone do ex-governador com a senha de acesso. A Operação Cash Delivery realizou buscas na casa em que Marconi mora, no Jardins Milão em Goiânia, e em duas fazendas do tucano em Pirenópolis. A assessoria de Marconi não confirmou a apreensão.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário