sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Nove testemunhas são ouvidas durante audiência sobre desvio de R$ 2 milhões em igreja de Formosa/GO



Nova audiência de instrução e julgamento realizada na quinta-feira (11) ouviu nove testemunhas de defesa sobre desvio de R$ 2 milhões em igreja de Formosa, no Entorno do Distrito Federal. No total, onze pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por enriquecimento ilícito em ação nomeada Operação Caifás.

Entre os acusados estão o bispo da cidade, o juiz eclesiástico, párocos, o vigário-geral, um contador e empresários suspeitos de serem laranjas no esquema.

No documento que confirma a realização da audiência também registra que os advogados de três dos onze indiciados, juntos, dispensaram os depoimentos de mais cinco testemunhas de defesa.

Também consta no termo que uma nova audiência para dar continuidade aos depoimentos já foi agendada para o dia 9 de novembro de 2018, às 8h30, no Fórum de Formosa.

A defesa do denunciado Tiago Wenceslau, juiz eclesiástico da diocese, pediu o desbloqueio dos bens do seu cliente e que o processo não seja redistribuído para outro juiz. O magistrado que presidiu a audiência concedeu ao advogado os dois pedidos, determinando que fossem cumpridos imediatamente.

Advogado de Tiago Wenceslau, Thiago Pádua afirmou que, na visão dele, "ficou claro" para o juízo que o cliente "é inocente", "pois quanto à acusação de falsidade ideológica, as testemunhas ouvidas até agora foram firmes em dizer que eles estava apenas exercendo seu ofício eclesiástico devidamente constituído, em que investigava cinco padres que fizeram perfil falso em redes sociais e outros padres envolvidos em escândalos morais, que poderiam ocasionar a demissão do estado clerical".

Outras audiências já trouxeram depoimentos de testemunhas que falaram sobre os gastos da diocese. Já em uma terceira ocasião, uma testemunha foi dispensada e outra depôs na condição de informante.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário