domingo, 5 de maio de 2019

Goinfra garante cobertura e manutenção de rodovias danificadas em Goiás



A Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) garante a cobertura, de forma gradual, de 85% da malha viária do Estado que precisa de manutenção, o que corresponde a 21 quilômetros de pista.

Nos locais em que ainda não há contrato com empresas terceirizadas, que são as responsáveis pelos serviços, o órgão declara que iniciou “medidas necessárias para a licitação destinada à contratação de empresas para reparos das rodovias e, até que seja concluída, o órgão estadual atua ainda com a parceria dos municípios”.

Edição recente mostrou as críticas feitas ao estado de algumas rodovias de Goiás. Uma delas é a GO-070 que, de acordo com promotora de Justiça Renata Caroliny Ribeiro, da comarca de Itapirapuã, está com o pavimento asfáltico intransitável e intrafegável e, por conta disso, está colocando em risco a vida de quem trafega pela região. O Ministério Público de Goiás (MP-GO)chegou a expedir uma recomendação à Goinfra para que seja feita a reabilitação e reconstrução da rodovia num prazo de 10 dias.

Na recomendação, a promotora de Justiça citou quatro acidentes cujos condutores teriam perdido o controle da direção dos veículos na tentativa de desviar dos buracos na pista. Renata enfatizou no documento que a má conservação das rodovias atinge dois bens jurídicos distintos: vida humana e a integridade física das rodovias e o patrimônio estadual. Citando julgamentos do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a representante do MP ressaltou que, caso não acate a recomendação, a Goinfra vai responder civilmente por acidentes causados na rodovia devido ao excesso de buracos e à falta de sinalização.

A Goinfra afirma que, após levantamento, constatou que aproximadamente 3.700 quilômetros de trechos críticos de rodovias goianas, pavimentados e não-pavimentados, já passaram por manutenção em todo o Estado. Estão entre os serviços realizados, a roçagem, tapa-buracos, limpeza de elementos de drenagem, recuperação de erosão, patrolamento e outras melhorias funcionais. Segundo a Goinfra, o dado é uma somatória do trabalho executado pelas empresas que prestam serviços de conservação rodoviária - desde a retomada dos serviços na segunda quinzena de março de 2019 -, e dos reparos realizados por 90 prefeituras, iniciados em janeiro deste ano, por meio de Termo de Cooperação.

De acordo com o presidente da Goinfra, Enio Caiado, os serviços executados permitirão, de forma gradual, a cobertura de 85% da malha viária do Estado, composta por mais de 21 mil quilômetros, no que se refere à manutenção. Em locais em que não há contrato com empresas desde 2018, a Goinfra afirma que iniciou as “medidas necessárias para a licitação destinada à contratação de empresas para reparos das rodovias e, até que seja concluída, o órgão estadual atua ainda com a parceria dos municípios”.

Para as empresas contratadas, foi determinado que atuassem prioritariamente em pontos críticos das rodovias. Como exemplo, trechos que saem da capital goiana (GO-010, 020, 040, 060, 070, 462); GO-206 entre Cachoeira Dourada e entroncamento com a BR-452; GO-164 de São Miguel do Araguaia a Cidade de  Goiás; GO-213 entre Caldas Novas e Morrinhos; GO-338 entre Abadiânia e Pirenópolis; GO-306, entre Mineiros e Chapadão do Céu; GO-430 entre Formosa e Planaltina; GO-330 na região do Distrito Agroindustrial de Anápolis; GO-307 entre Ipameri e Corumbaíba; GO-422 e 174 entre Rio Verde e Aparecida do Rio Doce e GO-118, entre São João da Aliança e Alto Paraíso.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário