quinta-feira, 25 de julho de 2019

Grupo de ciclista de Brasília inicia a primeira expedição ciclística Brasília a São Domingos/GO




Um grupo de seis ciclistas de Brasília dará inicio a uma grande aventura neste sábado 27/07/2019. Os ciclistas Solon, Rosilene, Thiago, Filipe, Bruno e Magela, sairão por volta das 04h00min de Brasília e percorrerão 465 km de bicicleta até a cidade de São Domingos GO. Serão quatro dias de viagem, com previsão de chegada ao destino final no dia 30/07/2019 por volta das 13h00min.

Para Solon, que é filho de São Domingos e idealizador da expedição, será a realização de um sonho, pois sempre se imaginou viajando para a sua cidade natal de bicicleta, mas tinha medo, pois não tinha registro que alguém já havia realizado tal aventura. Tem o objetivo também de abrir as porta da cidade para o cicloturismo, pois São Domingos é uma cidade linda e cheia de lugares atrativos para o cicloturismo.

O aventureiro e, comerciante Solon de 46 anos está pronto para essa grande aventura, juntamente com sua esposa (Rosilene), seus dois filhos (Thiago e Filipe) e dois amigos (Bruno e Magela), percorrerão por volta de 115 km por dia. Ambos equiparam suas bicicletas com garupeira, equipamentos de manutenção, alimentos e pouca roupa para encararem a viagem.

A PREPARAÇÃO:

Desde o inicio de 2018, venho pensando nessa viagem, quando falei que eu iria para São Domingos de bicicleta, muitos diziam que era loucura e não concordavam. Meu filho caçula Filipe, sempre falou: “eu vou com meu pai”. Com o passar dos meses, minha esposa e meu filho mais velho compraram a ideia e, juntaram-se a nós nessa loucura. Convidamos dois amigos Bruno e Magela e, eles prontamente aceitaram o convite.

Sem dúvida, a preparação começa meses antes da partida, além da preparação dos pousos, locais de abastecimentos, alimentação em quantidade ideal, existem também a preparaçãofísica e psicológica. Manter o corpo e a mente em alerta é indispensável para os possíveis imprevistos. Disse Solon.

Continuando, Uma boa viagem de bicicleta começa sempre pelo planejamento. Decidir previamente o roteiro de sua viagem e traçar o cronograma ideal para realização da viagem.

Durante a viagem o ciclista esta sujeito a muitos imprevistos e isso é normal, mas o mesmo não pode descuidar da manutenção de sua bicicleta e principalmente de sua segurança. É indispensável a utilização de capacete, luvas, roupas e iluminação adequada. Andar sempre no acostamento e jamais na conta mão. Finaliza o aventureiro.



Caiado reclama da Enel por atraso na abertura de Policlínica em Posse/GO



O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), reclamou do atraso na instalação de energia elétrica na Policlínica de Posse (GO).

A previsão era de inaugurar a estrutura na virada de julho para agosto. No entanto, quando o governo solicitou a Enel Distribuição, a ligação de energia elétrica do local, a reposta foi que vai demorar, um prazo de 120 dias para que a instalação seja feita.

A questão desagradou o governador que reclamou e prometeu ir a órgãos de controle mais uma vez reclamar da Enel. “Vou tomar as devidas providências neste momento, vou levar isso ao conhecimento da Aneel, como forma de dizer que nós não vamos admitir algo parecido e vamos exigir uma resposta imediata”, disse.

Caidado reafirmou que a Policlínica precisa de um nível diferenciado de energia para suportar todos equipamentos e criticou o prazo de 120 dias. “Então você vê o acumulo de problemas que nós estamos tendo no dia a dia. Até a estrutura de Estado está sendo impedida, por uma ineficiência completa dessa empresa”, criticou.

Em nota, a Enel Goiás informou que o o projeto para a construção da rede elétrica está em desenvolvimento e aguarda a instalação do transformador que é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde.

Confira a nota na íntegra:

A Enel Distribuição Goiás informa que o projeto para a construção da rede elétrica que vai atender a Policlínica de Posse está em desenvolvimento. A distribuidora esclarece que para a energização do local, aguarda a instalação do transformador que vai atender o hospital, que é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde. A distribuidora ressalta que segue os prazos regulatórios definidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Fonte: Sagres

Governo de Goiás publica edital de concurso com oferta de 500 vagas para agente prisional



O Governo de Goiás publicou, nesta quarta-feira (24), o edital do concurso público para 500 vagas de agente de segurança prisional. Os salários são de quase R$ 5 mil. Só para a Região Metropolitana – Goiânia e Aparecida de Goiânia —, são 97 vagas distribuídas para homens e mulheres, inclusive para candidatos para com pessoas com deficiência.

As demais vagas são para unidades prisionais de Goianésia, Caldas Novas, Rio Verde, Itaberaí, Formosa, Palmeiras e Luziânia, este último no Entorno do Distrito Federal.

As inscrições deverão ser feitas exclusivamente via internet, pelo site , entre os dias 29 de agosto e 13 de outubro deste ano.

De acordo com o Diário Oficial do Estado, o concurso público será realizado pela Secretaria de Estado da Administração (Sead), com organização do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades).

As provas objetiva e discursiva serão aplicadas, de acordo com o edital, no dia 24 de novembro deste ano, no Distrito Federal e nas seguintes cidades do Estado de Goiás: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Catalão, Formosa, Itumbiara, Luziânia, Rio Verde e Uruaçu.

Na publicação feita no site do Iades, consta também que, havendo indisponibilidade de locais suficientes ou adequados nas localidades mencionadas, as provas e etapas poderão ser aplicadas em outras cidades.

Os candidatos nomeados ficarão sujeitos à carga horária de 40 (quarenta) horas semanais, podendo ser, preferencialmente, em regime de plantão, de acordo com a Lei nº 15.674/2006. A remuneração mensal é de R$ 4.891,25, fora possíveis benefícios.

O número de vagas para ampla concorrência e para os candidatos com deficiência estão estabelecidos no edital.

A divulgação do resultado final da prova objetiva e divulgação dos candidatos que terão a prova discursiva avaliada ocorre no dia 31 de janeiro de 2020, sendo que a publicidade do resultado preliminar da prova objetiva está prevista para o dia 17 de dezembro de 2019.

Veja as etapas do concurso:

prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório;
prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório;
avaliação médica, de caráter eliminatório;
avaliação da equipe multiprofissional, de caráter eliminatório e exclusiva para os candidatos que se declararam com deficiência;
avaliação física, de caráter eliminatório;
avaliação psicológica, de caráter eliminatório;
investigação social, de caráter eliminatório

Fonte: G1

MP ingressa ação contra Estado para que obrigue policiais a preservar cenas de crimes até a chegada de peritos



O Ministério Público de Goiás (MP-GO) ingressou uma ação civil pública contra o Estado para que as forças policiais sejam obrigadas a preservar cenas de crimes até a chegada de peritos criminais. O objetivo é preservar a integridade das provas para que, assim, sejam realizadas perícias no Instituto de Criminalística de Goiânia.

Assinada pelo promotor de Justiça Marcelo Celestino, a ação também requere que haja obrigação nas apurações das condutas e aplicação das devidas punições aos agentes que violarem ou não preservarem a cena do crime.

Marcelo destaca que a classe dos peritos vêm reclamando, constantemente, sobre prejuízos nas perícias devido à falta de preservações dos locais dos crimes. Segundo o MP-GO, peritos lotados na Polícia Técnico-Científica repudiam a ação dos policiais.

A reportagem procurou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e, por meio de nota, alegou que não procede a informação de que locais de crimes não são preservados. Ainda destacou que “eventuais erros de procedimento são apurados rigorosamente. Todos os casos são investigados individualmente.” A texto também aponta que “em alguns casos, é necessário o manuseio de armas por motivos de segurança dos policiais e dos próprios cidadãos que se aglomeram nestes locais.” Leia nota completa na íntegra.  

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informa que não procede a informação de que a preservação de locais de crimes não é adotada pelas autoridades policiais que chegam primeiro. Todas as providências necessárias são tomadas pelas forças policiais neste sentido.

A SSP também ressalta que eventuais erros de procedimento são apurados rigorosamente. Todos os casos são investigados individualmente.

Cabe destacar que houve uma grande melhora na redução de incidentes, uma vez que a SSP, por meio da Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), tem realizado treinamentos para policiais civis, militares, bombeiros militares e até mesmo servidores do SAMU.

A SSP também informa que, em alguns casos, é necessário o manuseio de armas por motivos de segurança dos policiais e dos próprios cidadãos que se aglomeram nestes locais.

Os próprios laudos de perícia criminal informam em cada caso o ocorrido em relação à preservação, as eventuais falhas, os prejuízos à investigação, e os nomes dos policiais que isolavam o cenário. Tudo para que se possa apurar as condutas, isso quando pertinente. Secretaria de Segurança Pública.

Fonte: Mais Goiás

Fazenda de 620 alqueires a venda em Campos Belos/GO, por R$ 15,5 milhões




Uma fazenda em Campos Belos está sendo negociada pelo preço de R$ 15.500.000.

São 620 alqueires, que sai por R$ 25 mil cada um deles.  Veja as informações:

Fazenda 620 Alqueires Região Campos Belos - GO*
(Própria para criar Gado)

* Fazenda Toda formada em; Braquiária, Monbasa, Andropogon.

* Fazenda com várias divisões de pasto, todos enumerados.

*Logística:*
Fica a 07 km do asfalto.

*Hidrografia:*
* Contém 13 Barragens distribuídas em toda a fazenda.
* 02 córregos nascem dentro dela e corta toda a fazenda.
* 01 barragem em frente a sede.

*Benfeitorias:*
* 01 retiro com casa e curral.
*Várias casas pra funcionários.
* Curral Completo, Capela, Oficina.
* 03 tanques de peixes próximo a sede, Barracão etc.

*Casa sede com vários quartos e suíte, Quiosque, churrasqueira etc.*

* Documentação completa (Geo e Car)

*Preço de Venda: R$ 15.500.000,00 (Quinze milhões e Quinhentos mil reais)*
(Sai a 25 mil o Alqueire)

*Negocia e aceita Proposta.Estudamos possibilidades de pegar imóveis como Parte de Pagamento.*

Contato:
Antonio Silva
061 - 9 9400 - 2023 - ZAP

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Moradores de Goiás podem negociar dívidas da conta de energia no site da Enel



A partir deste mês, moradores de Goiás podem negociar as dívidas na conta de luz por meio da Agência Virtual da Enel, companhia responsável pela distribuição de energia em Goiás. O procedimento pode ser feito todo pela internet.

Os clientes beneficiados com o sistema são os que têm dívida de até R$ 10 mil. De acordo com a Enel, a proposta é oferecer um canal rápido e de fácil utilização.

Com o portal de negociação, o cliente pode selecionar o pagamento em até nove parcelas. Também há o valor mínimo de entrada estabelecido conforme o perfil do consumidor, mas o internauta pode aumentar a quantia da entrada, se desejar.

Veja o passo a passo para fazer a negociação:

Acesse o site da Agência Virtual da Enel;
Preencha com o número da unidade consumidora e o CPF ou CNPJ;
Clique na opção “Parcelamento”, que fica do lado esquerdo da tela;
Escolha qual a forma de pagamento e o valor da entrada;
Clique em simular proposta;
Quando escolher a opção desejada, clique em “Aceitar Proposta”.

O legado de Paulo Ramos



O mês de junho terminou bruto com a morte de Paulo Ramos, e julho entrou ainda mais carniceiro, pelo menos aqui em Posse, onde eu, como Greta Garbo, estou me acabando… quem diria?

No primeiro dia desse mês, logo de manhã, eu ajudei enterrar Ado Hans, muito moço, nem trinta anos teria, e o corpo foi acompanhado por uma dezena de cavaleiros, encharcados de uma dúzia de conhaque Paratudo, um vinho ordinário, muito consumido aqui no interior.

O enterro de Ado foi o silêncio do inocente.

À tarde, outro enterro de um homem de 94 anos. Joaquim Barreto, um excelente contador de casos, um exímio atirador e, por isto,  caçador de muitas estórias.

Com Joaquim Barreto encerrou-se o mais forte capítulo da história das tropas – e ele foi tropeiro de Goiás para Januária, em Minas Gerais, e foi boiadeiro também, no coice de boiadas curraleiras, daqui para a Bahia.

Homiziado em Posse, recebi a notícia da morte de Paulo Ramos por telefone do médico Laerte Guedes. Laerte é um médico humanista, intelectual de primeira água e um excelente caráter. Sua clínica no setor Aeroporto é o muro de amparo aos pobres, desvalidos e deserdados. A clínica do dr. Laerte é um imenso SUS.

A vida romanesca de Paulo Ramos, o seu jeito abusado de merecido , sua pose de milionário deslumbrado, tudo isto exercia um fascínio incontido no dr Laerte que via em Paulinho o símbolo do otimismo, “se todos fossem iguais a ele, o mundo seria melhor…”

No telefone, o dr. Laerte: “Santa Cruz, estou lhe telefonando para lhe dar notícia da morte de Paulo Ramos”. E foi logo perguntando e deixando patente a sua admiração sempre explícita: “Qual o legado de Paulo Ramos para a nossa e para as gerações futuras?..”

E eu me lembrei: os puxas saco sempre falam no legado de Marconi e no legado de Iris.

Ora, o legado de Paulo Ramos pode ser muito mais abrangente, mais amplo e mais universal, porque Paulinho foi original, originalíssimo.

Um homem que teve a admiração do dr. Laerte não podia ser um homem medíocre,  tinha que ter  muitas qualidades e defeitos demais. Dr Laerte tem um senso crítico apurado, e homem sem pecado e sem defeito é coisa mal resolvida de protestante raivoso. O homem só é homem porque é o resultado do pacto entre Deus e o diabo. Paulinho não era um homem comum. Ele era feito de outro barro.

Eu, o dr. Laerte e milhares de admiradores vamos falar sempre do seu legado, mas os moralistas de plantão, despeitados, vão desconhecer e subestimar o legado de Paulo Ramos à nossa e às gerações futuras, o seu imenso legado.

Dr. Laerte, agora eu vou lhe contar um pouco da vida romanesca de Paulo Ramos. Eu sei que você sabe muito mais dele, e quero ouvir as aventuras maravilhosas em que esse nosso Lancelot goiano  se envolveu. Com todos os desaforos e a superioridade com que tratava os homens comuns. Dr.Laerte, eu sei muito pouco de Paulo Ramos, mas vou lhe contar esse pouco que sei. O muito você me conta, porque muito você sabe.

Paulinho só tinha uma paixão, o Vila Nova. O resto ele matava no peito e carimbava a trave. Era homem de pouca leitura ou quase nenhuma, mas era jornalista, e dirigiu com maestria diversos jornais.

Ele não era Maçom, mas editou um jornal da Maçonaria. Não era espírita e dirigiu jornal do espiritismo. Não era comunista, mas participava de reunião do glorioso Partidão, e ao final das reuniões, sempre fazendo deboche e provocação:

-“Três bandeiras vermelhas que não vão pra frente em Goiás: a do Vila Nova, do Divino Pai Eterno e do Partido Comunista – insultava.

Quando Bernardo Elis foi sagrado na Academia Brasileira de Letras, e foi homenageado na Academia Goiana de Letras, Paulinho estava lá, sem ser convidado, pois ele dispensava esse cinismo  pequeno burguês.

Não se sabe como, mas o certo é que Paulo Ramos apareceu na tribuna daquela vetusta instituição. Pior: “Estou aqui nesta tribuna que não tem importância nenhuma para a sociedade. Não deveria sequer existir. E eu pergunto: ‘Se poeta fizer greve o que acontece? Nada. Se escritor fizer greve também não acontece nada’, e a plateia se levantou de indignação e protesto, e um mais afoito propôs um persona non grata a Paulo Ramos.

E  na tribuna da Casa,  ainda rosnou alto, insultando mais ainda os imortais: “Eu ficaria ofendido,   se esta confraria de compadres me considerasse persona  grata. Vocês não existem, e ainda tem o nome de imortais. Imortais, porque são fantasmas. O escritor de livros é um ser tão pretensioso, para não chamá-lo de idiota, que publica livros em um país, cujo povo não lê sequer bula de remédio. E mais: e ainda faz coquetel para vender as suas idiotices”.

Nesse momento, o presidente da sessão desligou o som, e Paulo Ramos continuou falando sozinho, e ficou roxo de tanto gritar pelo ” sagrado direito de expressão”, ameaçando  levar para “instâncias superiores o gesto fascista e tirano da presidência,” – e arrematou:

“Quando eu começava a falar a verdade, somente a verdade, calaram-me a palavra, porque a verdade dói”

O filósofo alemão Bertolt Brecht tinha  nojo e ódio aos banqueiros e os via assim: “Reunir-se para fundar  um banco é crime muito mais grave do que reunir-se para assaltá-lo”. Assaltar banco é coisa de ladrão pequeno roubando ladrão grande.

Ele, que nunca ouvira falar de Brecht, tinha ojeriza também aos banqueiros, e os enfrentava a unhas e  dentes , e fechou mais de uma agência do Bradesco, no sentido literal da palavra. Ele fazia gerente de banco chorar.

Paulo Ramos morava em uma fazenda no município de Guarani de Goiás, uma das menores cidades do Brasil, e lá instalou-se uma agência do Bradesco. Ele era o maior cadastro da agência, com várias escrituras.

O gerente, um paulistinha com alma de dez por cento, treinado nas artimanhas de  Amador Aguiar, era pixote na mãos de Paulo Ramos.

A fazenda de Paulinho era um banquete permanente

sob o comando de Emília, a grande paixão de Paulo Ramos, sua mulher, namorada e companheira, e que punha gosto gostoso em todo prato em que  tocava.

E o gerentinho do Bradesco não saía da mesa de Paulo Ramos, ele e a família. Era frango ao molho pardo, carneiro mamão, leitoa  à pururuca.

E tome cerveja, e tome cachaça de alambique fabricada na própria fazenda. E o papo? O mais agradável do mundo. E o homem de finanças embriagado e maravilhado com os contos das Mil e Uma Noites que só aquele anfitrião das Arábias sabia contar. Não sem razão, o crédito de Paulo Ramos no Bradesco do Guarani não tinha limites.

Um dia, chegou um outro representante do Bradesco, vindo da Cidade de Deus, em São Paulo, com a demissão do gerente na pasta. Era um inspetor do Banco. Convocou Paulo Ramos, por escrito, a comparecer no outro dia em horário marcado.  E no outro dia, antes do horário marcado, as calçadas da praça do Banco tremiam de gente.

Eis que o carro de Paulo Ramos surge do outro lado da praça, e ele desce de terno branco, gravata borboleta, carregando uma pasta de couro. Entrou na agência, o povo se amontoou na porta, e o inspetor levantou-se de lá para recebê-lo. Antes que o bancário falasse, Paulo Ramos foi pra cima dele.

 -Eu sou Paulo Ramos. O senhor trabalha no Bradesco?

-Sim, eu sou inspetor do banco, e vim aqui só para falar com o senhor…

O  inspetor nem terminou a frase, e Paulo Ramos o cortou no pé do cartucho:

-O senhor então é meu funcionário…

E para espanto do inspetor e perplexidade dos curiosos, tirou da pasta um maço de papéis e mostrou: ‘Essas aqui são ações que provam que eu sou acionista do Bradesco, então o senhor é meu funcionário, e como funcionário, o senhor é quem me deve explicação. É a primeira vez que eu vejo o empregado convocar o patrão em hora marcada. O senhor vai responder por falta disciplinar. E passar bem…’ Girou em cima do calcanhar e entrou no carro, batendo a porta , cobrindo o Bradesco de poeira.

Só se ouviu o grito rouco do inspetor:

-Fechem as portas…fechem esta agência!…

  -O prestígio de Paulo Ramos no Bradesco de Guarani de Goiás atravessou a Bahia e foi bater no Piauí, na cidade de Curimatá, cidade tão pequena quanto a goiana, cujo prato principal ainda era zabelê, uma ave silvestre dos vastos campos do vale do Bruguéia.

Na época do fechamento do Bradesco do Guarani, eu passei por lá, e me hospedei em uma pensão, onde recebi a visita de um cidadão que chorava aos cântaros. Era o gerente do Bradesco da cidade.

-O senhor é da terra de Paulo Ramos, por favor, diga a ele  que venha pagar o cheque que eu, de boa fé, liberei cujo valor é mais do que possuo. Estou perdendo o emprego. E mais choro…

 Agora, vamos à morte do advogado.

O advogado Carlson Paniago foi assassinado barbaramente em Posse, e o seu corpo foi encontrado todo mutilado, sem dentes e sem outros órgãos. Até hoje, não se sabe quem o matou.

Paulo Ramos, que era seu inimigo, e falava demais, dissera que iria matar o advogado. E falou isto até para o próprio promotor de Justiça, o dr. Jales. As autoridades então já sabiam que era o autor. Conversando com o dr. Jales, ele me disse que Paulo Ramos era o autor do homicídio. E eu garanti a ele que não, pois os assassinos raptaram a vítima em camioneta de luxo e de alto custo, usando escopeta e outras armas sofisticadas. E Paulo Ramos, nessa época, estava quebrado e andando a pés.

-Dr. Jales, mesmo que Paulinho confessar que matou o advogado, não acredite, porque não é verdade.

O delegado era o dr. Divino que veio de Águas Lindas de encomenda. Paulo Ramos então foi intimado a comparecer à Delegacia de Polícia no outro dia, às 8 horas. E lá estava no horário.

O delegado viajou para Alvorada, disposto a retornar lá pelas 4 horas da tarde, “para quebrar a resistência do depoente”. E Paulo Ramos descobriu isto por conversas de funcionários. Ele entrou na sala do delegado e começou a usar o telefone, fazendo interurbanos internacionais, para Portugal e até para a África, onde se falava o português.

Aí, ligaram para o dr. Divino e falaram das ligações internacionais. Era um telefonema atrás do outro. O delegado resolveu antecipar a sua volta. E foi logo para o interrogatório. Depois da qualificação, veio a primeira pergunta:

– Perguntado ao depoente, o senhor sabe quem matou o dr. Carlson Paniago?

-Sei…

– Diga então o nome ou os nomes dos assassinos…

-Os assassinos são três: o padre, o juiz e o delegado…

-O senhor está mentindo!

-Igual o senhor que disse que fui eu quem o matou. É mentira também. Aqui é mentira contra mentira – debochou Paulo Ramos.

Nesse momento, o delegado Divino deu por encerrado o depoimento de Paulo Ramos e até hoje não se sabe quem matou o advogado Carlson Paniago.

Quando passei a palavra para o dr. Laerte, que sabe tudo de Paulo Ramos, uma notícia urgente e gravíssima nas redes sociais interrompeu o nosso diálogo, e o dr. Laerte fica  nos devendo as histórias, as mais lancinantes, da vida romanesca deste Lancelot moderno.

No  dia de sua morte,  o inferno entrou em prontidão máxima, trancando todos os portões, e a capetaiada foi mobilizada com milhões de espetos de fogo para se defender da ameaça iminente.

Enquanto isto, o céu abriu-se todo para recebê-lo. E São Pedro, ingenuamente, até convocou Catulo da Paixão Cearense para homenagear  Paulo, ao som de “O Luar do Sertão”.

Pedro e Paulo sempre foram parceiros e amigos fraternos. Foi só um reencontro. Era Pedro pra lá, Paulo pra cá. Logo, logo Paulinho estava dando ordens para o porteiro do céu.

Mas essa confraternização durou pouco, pois descobriu-se que Paulo Ramos entrara lá no céu levando no bolso um celular.

E tome ligação pra terra e pra outros planetas. Sem qualquer cerimônia, revelava os mistérios de todos os mistérios.

“Dagora em diante, o mundo será transparente, e os Edir Macedos e Valdimiros da vida vão ter que devolver o dinheiro roubado dos incautos, e vão ter de trabalhar ou morrer de fome”- decretou Paulo Ramos.

Admoestado por São Pedro sobre o perigo perigosíssimo do celular, Paulo nem ligou e ainda   deu o troco:

– Pedro, por isto é que Deus não está conseguindo ser ouvido pelo  povo, pois você ainda usa o sino como meio de comunicação. Eu vou ficar no seu lugar. O céu vai se modernizar e o mundo vai ser outro. Muito melhor, porque Deus vai falar em linha direta com o povo. E o povo vai ouvir e entender.

Por Carlos Alberto Santa Cruz, jornalista, do Jornal Hora extra

Ex-prefeitos têm R$ 22 milhões bloqueados por fraude em cooperativa de catadores em Formosa/GO



Dois ex-prefeitos e ex-secretários da prefeitura de Formosa tiveram R$ 22 milhões em bens bloqueados pela justiça. Investigações do Ministério Público do Estado de Goiás revelaram um esquema de fraude nos processos licitatórios e falsidade ideológica na administração pública do município entre os anos de 2012 e 2016.

A quantia milionária é a soma dos bens dos ex-prefeitos Pedro Ivo de Campos Faria, Itamar Sebastião Barreto e dos três ex-secretários de administração Abílio De Siqueira Filho, Eduardo Leonel De Paiva e Gilmar Francisco De Sousa.

Na manhã desta quarta-feira (24), MP/GO e a Polícia Civil deflagraram Operação TREBLINKA, onde foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência de Flavineide Rocha dos Santos, dirigente da empresa Arraial Reciclagem e Cultura.

Esquema ilegal

No ano de 2009 o Ministério Público identificou problemas no lixão da cidade, onde cerca de 20 pessoas trabalhavam como catadores em situação degradante. Na época, o Ministério Público e a Prefeitura de Formosa fecharam um termo de ajustamento de conduta para que fossem contratadas pessoas de baixa renda para trabalhar como catadores de recicláveis no lixão da cidade.

De acordo com o promotor Douglas Chegury, a cooperativa foi regularizada em 2011. No entanto, em 2012, os gestores encontraram uma brecha na lei e começaram a usar o acordo para fazer contratações dispensando os trâmites legais.

Os gestores encaminhavam as pessoas que procuravam uma vaga de emprego para a dirigente da cooperativa, Flavineide Rocha, e ela era responsável por criar micro empresas individuais para que assim, eles prestassem serviço para a cooperativa. “Em torno de mil pessoas celebraram o contrato com o município”, disse o promotor Douglas Chegury.

Essas pessoas atuavam como funcionários públicos e nunca foram catadores. Eles trabalhavam em secretarias municipais, hospitais, escolas, delegacias e outros locais. Porém, de acordo com a legislação, esses cargos só poderiam ser preenchidos mediante realização de concurso público ou com a aprovação na Câmara Municipal.

Em 2012, durante o mandato do então prefeito Pedro Ivo, foi feito o primeiro contrato fraudulento de R$ 1,5 milhão, onde existiam 180 pessoas além dos catadores. Itamar Barreto assumiu o cargo e deu continuidade ao esquema. Em 2013, o contrato com a cooperativa saltou para R$ 3,5 milhões e 350 microempresários. No ano seguinte, para R$ 4 milhões e em 2015, R$ 5,5 milhões. O MP aponta que, ao longo de cinco anos, a fraude chegou a R$ 20 milhões.

Em 2017, quando Ernesto Roller assumiu a prefeitura, cancelou o contrato e acabou com o esquema. Ao serem perderem os empregos, alguns funcionários recorreram à Justiça do Trabalho para receber os direitos trabalhistas. E em função das ilegalidades praticadas pelos denunciados, o município de Formosa já foi condenado ao pagamento de verbas trabalhistas da ordem de mais R$ 2 milhões.

De acordo com nota do Ministério Público à imprensa, todos os seis envolvidos se tornaram réus na ação penal com denúncia criminal recebida pelo juiz Fernando Oliveira Samuel, da segunda vara de Formosa. Segundo o promotor Douglas Chegury, os réus estão sujeitos a penas que podem ultrapassar 10 anos de reclusão.

Fiscalização

Uma das trabalhadoras que foi contratada por esse esquema disse em depoimento que, durante uma das fiscalizações do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM-GO) nas contas da cidade, os réus sugeriram que ela vestisse uma roupa de gari, segurasse uma vassoura e posasse para uma foto na frente do aterro sanitário da cidade. Segundo o promotor, a pessoa não aceitou ser fotografada. Mas Chegury acredita que a imagem seria usada pelos gestores para ludibriar os conselheiros do TCM.

Fonte: MP e O Popular

Incêndio atinge residência em Campos Belos/GO




Um incêndio numa casa quase causa uma grande tragédia em Campos Belos, na última sexta-feira (19).

Bombeiros que estão na cidade para atuar contra os incêndios florestais foram acionados para debelar as chamas, que começaram no início da noite e estavam destruindo a casa de uma família no Setor Bem Bem, próximo ao cemitério municipal.

O fogo atingiu dois quartos da casa, queimando três camas, ventilador, guarda roupa, som, o telhado e o forro.

A garagem também foi atingida e um veículo da marca VW Gol, versão "Bola", foi totalmente destruído.

Felizmente, não houve mortos e nem feridos.

Mas cabe salientar que os bombeiros pouco puderam fazer, precisamente por falta de material, de estrutura.

Não havia caminhão-pipa e nem tão pouco material especializado em combates fogos em edificações.

Na realidade, os militares foram à casa por amor à profissão.

Em Campos Belos não há quartel do Corpo de Bombeiros. Há anos temos falado aqui no Blog sobre esse delicado e seriíssimo problema, que a
qualquer momento poder a causa de uma grande tragédia na comunidade.

O quartel de bombeiros mais próximo está a 300 km distância. Um absurdo. Mas as cobranças das taxas de incêndio são religiosa e rigorosamente cobradas todos os anos, principalmente dos comerciantes. 

"Os militares estão aqui na cidade como uma brigada de incêndio florestal. Para combater incêndios em residências não há uma mínima estrutura.

Estão sem veículos, sem o caminhão de incêndio e até mesmo equipamentos de EPI (Proteção Individual).

Uma coisa alarmante", conta uma pessoa da comunidade, que conhece bem a área de combate a fogos.

Resta saber até quando as autoridades estaduais irão "dar de ombro" para a cidade de Campos belos e para essa região do nordeste de Goiás.

Fonte: Dinomar Miranda

Polícia prende acusado de homicídio em Cavalcante/GO



A Polícia Civil de Goiás em Cavalcante, nordeste do estado, sob a coordenação do delegado George Aguiar Muniz, fez uma importante prisão nesta terça-feira (23).

Os policiais da delegacia, após investigação, realizaram a captura de um homem de 27 anos de idade, acusado de homicídio qualificado em Minas Gerais.

Ele estavam morando e trabalhando em Cavalcante.

Após contato da Polícia Civil mineira, no sentido da existência de um mandado de prisão preventiva contra o foragido, expedido pela Vara Criminal da Comarca de São Francisco-MG, a Delegacia de Polícia de Cavalcante, juntamente com a Polícia Militar, fez levantamentos de inteligência e localizou o homem.

Ele trabalhava numa oficina mecânica e morava em Cavalcante.

Preso no local de trabalho e após o cumprimento das formalidades de sua captura, o rapaz foi encaminhado ao Presídio de Cavalcante, onde ficará à disposição do Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais.

Fonte: Dinomar Miranda

Chapada dos Veadeiros ganha primeira hospedaria feminista e LGBT



Embora as mulheres lutem pela igualdade de direitos, ainda são muito questionadas e não experimentam uma liberdade completa quando o assunto é viajar sozinha. O mesmo vale para o público LGBT. Os dois estão expostos por questões que envolvem preconceito e discriminação de gênero.

Ao menos na Chapada dos Veadeiros, ambos os grupos poderão se sentir mais seguros. No último fim de semana, a região ganhou a primeira hospedaria exclusivamente feminista e LGBT.

Batizado de A Casa Delas, o empreendimento fica no centro de Alto Paraíso, município de apenas 8 mil habitantes que está entre os programas bate-volta preferidos dos brasilienses.

No comando da hospedaria estão três mulheres: Milka Fonseca, Priscila Marília Martins e Melissa Maurer.

“Pelo momento político, sentimos a necessidade de acolhimento, de nos fortalecermos”, conta Melissa.

Segundo ela, o espaço não é um hostel nem uma pousada. “A intenção é que as pessoas interajam. Não é só sobre contratar um serviço na Chapada, mas sobre troca de experiências”, define.

A casa é pequena, mas acolhedora. Tem dois quartos para casais, um quarto triplo e um quarto “coletiva” – no feminino, propositalmente. Os hóspedes podem compartilhar os dois banheiros, a cozinha, a sala de estar e a área externa, com ducha, churrasqueira e espaço para fogueira. Há também uma lavanderia.

Leia completo aqui

terça-feira, 23 de julho de 2019

Grupo suspeito de desviar recursos públicos é alvo de operação em Formosa/GO



Um grupo suspeito de desviar recursos públicos de 2012 a 2016 é alvo de uma operação, nesta terça-feira (23), do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com as investigações, o prejuízo foi de mais de R$ 9 milhões.

A ação conta com o apoio da Polícia Civil (PC) e já cumpriu quatro mandados de busca e apreensão na casa dos ex-secretários de administração Rodrigo Melo da Natividade, Abílio de Siqueira Filho, Marcelo Pedro Ribeiro de Magalhães e também na residência da ex-gestora do Fundo Próprio de Previdência Thaís Cardoso Martins.

Segundo as investigações, os desvios eram feitos através de gastos fraudulentos de 1440 copos descartáveis por dia. Além disso, fingiam pedir 7 toners de impressora, 10 rolos de papel higiênico e cinco vassouras. Todos por dia entre os anos de 2012 e 2016.

De acordo com o MP-GO, a Thaís e o Abílio já eram alvos da operação Miquéias, realizada pela Polícia Federal (PF), também em combate a improbidade administrativa.

A operação recebeu o nome de Mossad que é o serviço de inteligência e operações especiais de Israel, considerado um dos mais eficientes e temidos do mundo. Ele foi responsável por centenas de operações, dentre elas a captura do oficial nazista Adolf Eichmann na Argentina para ser julgado em Jerusalém na década de 60.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa dos citados.

Fonte: O Popular

segunda-feira, 22 de julho de 2019

I Copa Regional de Handebol aconteceu em Posse/GO




No dia 20 de julho de 2019, ocorreu na cidade de Posse – Goiás a I Copa Regional de Handebol – Juvenil Masculino, No Ginásio de Esportes da Cidade contando com algumas equipes da Região.

APEC Handebol A – Posse, APEC Handebol B – Posse, Mustangs– São Domingos, Magnatas – Mambai.

O Intuito da competição e incentivar a prática do handebol na base para região Nordeste de Goiás, e preparação para competições da Federação Goiana de Handebol (FGHB) que acontecem no próximo semestre.

RESULTADOS:

APEC A    18  X  18  APEC B
MAGNATAS 15  X  17 MUSTANGS
APEC A    26    X   19  MAGNATAS
APEC B   23  X   22  MUSTANGS
APEC B  01   X 00  MAGNATAS
APEC  A 39  X 30 MUSTANGS

Seleção do Campeonato:

Melhor Goleiro – Guilherme Augusto – APEC Handebol
Melhor Ponta Direita – Laion Dionatas – APEC Handebol
Melhor Ponta Esquerda -   Alysson Castro   - Magnatas
Melhor Central – Ruan Domingos – Mustangs
Melhor Armador Direito – Carlos Eduardo – APEC Handebol
Melhor Armador Esquerdo – Alyan Texeira - Magnatas
Melhor Pivô – Ruan Rodrigues – APEC Handebol
Artilheiro – Ruan Domingos – Mustangs

APEC A E APEC B se consagraram campões do evento, mostrando hegemonia e um ótimo trabalho da equipe no projeto que está sendo realizado na cidade de Posse.




36ª Vaquejada de Divinópolis de Goiás acontece de 25 á 28 de julho




A Vaquejada de Divinópolis de Goiás é considerada uma das maiores e tradicionais vaquejadas do estado de Goiás, a cidade recebe milhares de visitantes, um evento grandioso que movimenta a economia da cidade durante os dias da festa mais esperada pelos Divinopolinos.

Em 2019 a festa terá quatro dias e acontece nos dias 25, 26, 27 e 28 de julho no parque de vaquejadas Domingos José dos Santos.

Em Divinópolis de Goiás a vaquejada teve inicio em 1983, quando dois amigos trouxeram esta novidade para a cidade, Generino e Jaime (baiano de Santa Maria) começaram a organizar as primeiras festas de Vaquejada.

Desde então a festa vem crescendo em grandes proporções, com uma ótima estrutura para as disputas de vaquejadas, bailes e shows para o público, a premiação entre os vaqueiros esse ano chega a 70.000,00.

Na quinta-feira (25) começa a disputa dos amadores, os profissionais só devem iniciar a disputa na sexta-feira (26).

Durante toda festa a população é animada com música ao vivo, cerveja, barracas e o tradicional churrasco de espeto na famosa barraca do vaqueiro com musica ao vivo.

As atrações musicais serão diversas nessa 36º edição do evento, na quinta-feira (25) tem o Forró A3, na sexta-feira (26) tem a dupla Robson & Raphael e Roni & Ricardo.

No sábado (27) a consagrada dupla Israel & Rodolfo e a atração principal da festa, atualmente a dupla está estourada com a música ‘conselho’. No mesmo dia a banda SPX também fará um grande show.

Domingo (28) dois grandes shows para empolgar o público, a dupla Hugo & Guilherme, que está estourada com a musica ‘Namorada reserva’ e a consagrada banda Forró Boys.

A barraca do vaqueiro terá musica ao vivo todos os dias. Haverá ainda local com som automotivo.

Vista com muita atenção, a vaquejada de Divinópolis de Goiás é o grande desafio para os organizadores, pois já é considerado um evento de grande porte e a cada ano o público deseja sempre uma festa melhor.






Tirolesa a 55 km/h é atração radical na Chapada dos Veadeiros



O Voo do Gavião é realizado na Fazenda São Bento, a 8 km de Alto Paraíso, a capital da Chapada dos Veadeiros.

Sob dois cabos de aço paralelos, entre morros da Serra Almécegas e do Mirante da Fazenda São Bento, a experiência é um sobrevoo de quase um minuto e meio, sobre florestas do cerrado e com vista para atrativos naturais da região, como o Morro da Baleia e a Serra da Boa Vista.

“É um voo mais panorâmico e contemplativo porque a tirolesa não tem muita inclinação”, explica Amana Suriara Lima, coordenador dessa atividade que tem sua estabilidade garantida por conta dos dois cabos de aço da estrutura.

Conhecida pela variedade de atividades de aventura, com opções que vão de cachoeiras de fácil acesso a longas travessias, a Chapada dos Veadeiros é favorecida por sua geografia irregular.

Segundo o diretor da agência responsável pela atividade, Ion David Zarantonelli, as grandes altitudes e desníveis abruptos da região favorecem a chegada a picos e mirantes sem muito esforço.

A experiência é como ter a sensação de um voo de parapente, de onde é possível ter vista aérea de 360º da Chapada dos Veadeiros, e seu nome foi inspirado nos gaviões carcarás que passavam pelo local, enquanto a equipe montava os equipamentos, em 2010.

Voo do Gavião

A atividade tem uma duração total de cerca de uma hora e acontece apenas nos finais de semana, das 9h às 16h (de 2ª a 6ª apenas para grupos com agendamento prévio). Crianças de até 12 anos podem fazer voo duplo. O passeio custa R$ 100 (sentado) ou R$ 150 (deitado). Informações: www.travessia.tur.br



Fonte: Catraca Livre

Polêmica: Alex Atala e quilombolas divergem sobre Baunilha do Cerrado, que engloba os municípios de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás



Uma polêmica envolvendo produtores quilombolas e o premiado chef Alex Atala tem movimentado a gastronomia brasileira. A discussão tem origem no dia 13 de abril, durante o lançamento da linha Ecossocial Kalunga, com diversos produtos, entre eles a pimenta-de-macaco e gergelim.

Os insumos são produzidos no Território do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, maior quilombo do Brasil, que engloba os municípios goianos de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás. No entanto, a disputa entre o mais famoso cozinheiro do Brasil e os produtores se daria em torno da Baunilha do Cerrado.

De um lado, os quilombolas ouvidos pela reportagem alegam terem sido lesados pela medida do chef de registrar o uso do nome da iguaria no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). Por meio do Projeto Baunilha do Cerrado, porém, o cozinheiro afirma, por meio de nota, que tomou a decisão para proteger “preservar o projeto, proteger a baunilha de uma possível super exploração em estado selvagem e cumprir com o convênio com a Fundação Banco do Brasil”.

Kalungas

O projeto foi beneficiado com aportes de R$ 424 mil, voltados a “ajudar os quilombolas a formar uma cadeia produtiva da espécie”. A Fundação Banco do Brasil, parceira na empreitada, garantiu pouco mais de R$ 382 mil dessa verba, que deveria ser usada em melhorias e capacitações para os kalungas.

No entanto, Associação Quilombo Kalunga (AQK), parceira local de Atala na execução das atividades, alega não ter sido convidada para o lançamento de abril e receber apenas 10% dos benefícios obtidos com o projeto. A advogada da entidade, Andrea Gonçalves, reconhece o desgaste entre o chef e os quilombolas.

“Caiu muito mal na comunidade a notícia do lançamento, de ter visto os produtos com uma identidade visual que ela não ajudou a elaborar, mas que carrega seu nome, quando oficinas e outras promessas não aconteceram como tinha sido combinado”, disse ao portal De Olho nos Ruralistas.

No meio da gastronomia, o assunto tem gerado debates. Carmen Virginia, do Altar em Recife, pronunciou-se em seu Instagram a favor dos quilombolas, reclamando da apropriação de seu produto pelo chef brasileiro.

Até o momento, Atala se pronunciou por meio de nota. Leia a íntegra:

Fizemos esses pedidos com o objetivo de exclusivamente preservar o projeto, proteger a baunilha de uma possível super exploração em estado selvagem e cumprir com o convênio com a Fundação Banco do Brasil.

Fonte: Metrópoles