segunda-feira, 5 de agosto de 2019

A Romaria do Bom Jesus da Lapa de Terra Ronca





Origem- As peregrinações da Romaria do Bom Jesus da Lapa de Terra Ronca iniciaram em 1929 conforme relato do Pe. José Maria Martí: “Visitei Terra Ronca e deixei um pequeno crucifixo de metal que há anos me ofereceram na capital da Bahia. Perante ele rezei 3 padres nosso ao Bom Jesus da Lapa e cantei um bendito com outros visitantes. Fiz tudo isso para não virar lugar de superstição e possa no futuro ser centro de piedade e devoção. Nos dias 26 e 27 de Setembro de 1929 houve missas na Lapa de Terra Ronca. A Romaria “pegou” graças ao Bom Jesus”.

Os padres viajantes no trabalho missionário da igreja chamado de “desobriga” visitavam sempre a gruta e, incentivavam os fiéis a pagarem suas promessas na Lapa de Terra Ronca ao invés de irem fazê-lo na Bahia.  A partir de 1941 o Pe. José de Oliveira marcou pouso naquele local. Fonte: Livro Tombo da Paróquia São Domingos-Goiás.

Conversando com vários moradores de São Domingos eles destacam também o trabalho do saudoso Pe. Geraldo Chiarini Ferracioli a partir dos anos de 1950 que perdurou até meados dos anos 1990, consolidando a importância da Romaria para o povo do Nordeste Goiano.

 A cada ano vinha mais gente de diferentes lugares, principalmente dos municípios próximos entre eles, Guarani de Goiás, Posse, Iaciara, São Domingos, Divinópolis de Goiás.

No entanto, com o advento do Parque Estadual de Terra Ronca em 1989, a Romaria foi inserida nas preocupações ambientais. Eu participei de várias reuniões sobre essas discussões.

Os Romeiros imaginaram que a Festa do Bom Jesus ia acabar por causa das exigências dos ambientalistas, mas eles deixaram bem claro que isso não era a intenção deles e sim adequar o evento dentro da conservação ambiental.

 A partir de então, todos se conscientizaram para algumas questões como, por exemplo: não retirar as pedras que se formam pelo gotejamento, denominadas de estalagmites e estalactites.

Outra questão foram os “foguetes”, os romeiros tinham o hábito de soltá-los durante a cerimônia matrimonial e conscientizaram sobre os danos que causam nas estruturas dessas formações rochosas. A limpeza também foi resolvida com a colocação das caixas de lixo, os banheiros químicos e a conscientização para não jogarem os lixos descartáveis no rio da Lapa.

Com a Administração do Parque Estadual de Terra Ronca trabalhando e coordenando as atividades dos guias no povoado São João e em São Domingos, e com a formação das Associações de Guias, as visitas aumentaram também em outras datas e também nos fins de semana, propagando assim o turismo ecológico.

No que diz respeito à Romaria houve uma grande retração na presença de romeiros, impactados por essas novas exigências que eram necessárias, diga-se de passagem.

A grande “virada” foi a introdução de um elemento importante e que retoma às origens dessa peregrinação: as CAVALGADAS. Inicialmente, formou-se a “Cavalgada de Terra Ronca”, organizada por um grupo de pessoas de Posse - GO.

Em seguida, formou-se a “Cavalgada da Fé” de São Domingos-Go incluindo os povoados do município. Nos últimos anos formaram as Cavalgadas de Guarani de Goiás e Iaciara.

A Romaria do Bom Jesus de Terra Ronca dos anos 2000 “pegou” - parafraseando o Pe. José Maria Martí - e é marcada pelo grande Encontro das Cavalgadas no dia 05 de Agosto às 09:00 horas, onde todos recebem a benção do Padre numa cerimônia de integração e fé do povo do  Nordeste Goiano.

Em seguida, tem início a Missa dos Romeiros, a principal cerimônia da Romaria do Bom Jesus de Terra Ronca, onde o devoto do Bom Jesus agradece as graças alcançadas e renova a sua fé para o próximo ano estar novamente aos pés do Bom Jesus de Terra Ronca.

Texto: Dalvan G. Silva (Agosto -2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário