quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Ações do Gabinete de Políticas Sociais impactam positivamente em Cavalcante, Teresina, Flores e Monte Alegre de Goiás



Transformar a realidade dos cidadãos das regiões mais carentes do Estado a partir da integração, articulação e promoção de parcerias. Este é o foco do trabalho desenvolvido pelo Gabinete de Políticas Sociais (GPS), que está à frente de uma ampla ação do Governo de Goiás responsável por, em apenas seis meses, melhorar as condições de famílias goianas. Nove dos dez municípios que apresentam o maior Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF) apresentaram melhoras nos indicadores de saúde, educação e trabalho, o que indica que foi iniciado o processo de superação da pobreza em todas as dimensões. A quebra da inércia é um movimento fundamental na avaliação de Políticas Sociais.

Dentre as ações levadas pelo Governo de Goiás, vale destacar a cidade de Cavalcante, a mais vulnerável do estado, onde foram realizados serviços de instalação de kits fotovoltaicos, que garantiram energia elétrica a 200 famílias da comunidade Kalunga; ampliação de salas de aula; promoção de atendimento médico com diversas especialidades; além da inclusão digital da população com a oferta de sinal de internet banda larga. “São ações de cada setor do governo, avançando cada vez mais, para fazer com que sejam obras contínuas e não apenas aquilo que chega, acontece, esvazia, vai embora”, ressaltou o governador Ronaldo Caiado durante a apresentação do monitoramento das ações do Gabinete de Políticas Sociais, nesta quarta-feira (8/7).

Coordenadora do grupo, a primeira-dama Gracinha Caiado enfatizou dois sentimentos que são a alma desse trabalho: pé no chão e perseverança. “Os dados de avaliação mostram que muita coisa ainda tem de ser feita. Mas o mais importante é que nós começamos esse trabalho no primeiro dia de governo e mexemos na inércia das cidades”, disse. A estrada é longa, ressaltou, mas não ficamos olhando os problemas de longe. “O governador deu o nome de agenda pé no chão, e eu já tive a oportunidade de estar em muitos desses municípios, na companhia de vários secretários, para conhecer a realidade e as necessidades de cada um. Reconhecemos que as políticas sociais são construções lentas, graduais e que sempre precisam de ajustes, mas já ampliamos a rede de proteção social do Estado”, contou a primeira-dama.

O monitoramento das ações promovidas pelo Gabinete demonstrou ainda que dos 29 municípios da Rede Integrada de Desenvolvimento do Entorno (Ride) – outra região extremamente vulnerável– 25 cidades também alcançaram resultado positivo. “Essa melhora tem coisas pequenas, que muitas vezes não são vistas, mas que realmente fizeram a diferença na vida das pessoas. É um trabalho que tirou a população da inércia, da falta de esperança para que realmente possa acontecer essa mudança”, avaliou Gracinha.

A importância da integração das várias áreas do governo – saúde, educação, economia, desenvolvimento social e tantas outras – e da própria gestão estadual com as prefeituras para alcançar resultados positivos também foi reforçada por Gracinha Caiado. “Fizemos sólidas parceria com prefeitos”, disse. E ao longo do semestre o leque de apoiadores ao Gabinete foi ampliado, com a conquista de aliados como o Ministério da Cidadania, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e o Tribunal de Contas da União.

Perspectivas

Agora, neste segundo semestre, a ação do Gabinete de Políticas Sociais ganha desdobramentos. O governador e a primeira-dama lançaram o “Rede Goiana de Oportunidades”, um grande movimento de integração de vários programas sociais, como a Bolsa Universitária, Jovem Cidadão e os Institutos Tecnológicos de Goiás (Itegos). “Percebemos que o que as pessoas querem realmente é trabalho. Então, buscamos com essa Rede levar um conjunto de oportunidades com base na escola pública, porque acreditamos que não existe cidadania distante da educação”, explicou Gracinha. E garantiu que, com a parceria com as prefeituras e a integração de todo o governo, o Gabinete continuará promovendo um “trabalho para trazer o melhor para Goiás e para os goianos”.

O governador ressaltou outro ponto fundamental: o compromisso social do projeto. “Essa Rede garantirá que a pessoa que recebe um benefício do Estado, que só foi possível ser concedido porque o povo paga impostos, irá retribuir à comunidade com oportunidades. Seja com um trabalho social ou mesmo com emprego. É preciso que haja retorno para o todo o povo goiano. E existe maneira melhor do que formar engenheiros, médicos e professores para nossos municípios?”, enfatizou.

Esta é uma das formas encontradas pelo Estado para incentivar o envolvimento da população goiana na gestão pública, uma vez que, destacou Caiado, não se governa sozinho, mas em parceria com toda a sociedade.

Políticas Sociais

O diretor do Instituto Mauro Borges (IMB), Cláudio Nogueira, explicou todo o trabalho realizado pelo Gabinete de Políticas Sociais, que resultou em impactos positivos na vida das famílias carentes, principalmente as que vivem nos agora onze municípios prioritários, que são: Amaralina, Campinaçu, Cavalcante, Colinas do Sul, Flores de Goiás, Heitoraí, Matrinchã, Monte Alegre de Goiás, Montividiu do Norte e Santa Terezinha de Goiás.

“A pobreza gera um ciclo que se reproduz, de baixa renda, baixa qualificação, poucas oportunidades, o que tende a se replicar ao longo do tempo, a menos que você aplique alguma força que tire esse corpo da inércia”, explicou Cláudio Nogueira. E completou: “A sinalização é que nós mexemos nessa inércia”.

Também participaram da reunião os secretários de Estado Ismael Alexandrino (Saúde), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social), Rafael Rahif (Esporte), Valéria Torres (Comunicação), Fátima Gavioli (Educação), Fábio Cammarota (Governadoria), Edival Lourenço (Cultura); os presidentes Eurípedes do Carmo (Agehab), Pedro Leonardo (Emater) e Elizeth Araújo (ABC); o chefe de gabinete da Saneago, Wajdi Rashad; a diretora geral da OVG, Adryanna Caiado; o superintendente da Sudeco, Nelson Vieira; além dos prefeitos Vandeilson Gonçalves (Amaralina), Milson Alves (Campinaçu), Nilo Adriano Passos (Colinas do Sul), Lúcio Pires (Heitoraí), Jacira Martins (Montividiu do Norte), Antônio Camargo (Santa Terezinha de Goiás) e Josaquim Miranda (Teresina de Goiás).

Fonte: DM

Nenhum comentário:

Postar um comentário