sábado, 10 de agosto de 2019

Vereador é preso suspeito de usar máquina da Prefeitura de Goianápolis/GO em obra na fazenda de Amado Batista



Um vereador de Goianápolis foi preso em flagrante na sexta-feira (09) suspeita de usar uma máquina da prefeitura para fazer uma obra em uma estrada dentro da fazenda do cantor Amado Batista, que fica no município. Segundo o delegado, Rodrigo Arana, era o próprio político que conduzia um trator esteira.

O vereador não teve o nome divulgado pela polícia. Sem a identificação dele, a reportagem não conseguiu ter acesso à defesa do político. Por telefone à TV Anhanguera, o cantor Amado Batista disse que pediu ao prefeito Francisco de Moraes o trator para realizar a obra, porque sabia que esse empréstimo estava previsto em lei.

A reportagem entrou em contato com o mesmo número de celular do artista para tentar mais detalhes sobre o caso, no entanto a pessoa que atendeu disse ser assessor do cantor e informou que caberia à prefeitura dar as respostas.

Já a Prefeitura de Goianápolis informou que o empréstimo de máquinas está previsto em um artigo da Lei Orgânica da cidade e não caracteriza crime. No entanto, a mesma Lei prevê que haja a assinatura de um termo de responsabilidade, o que não teria sido feito pelo cantor e nem apresentado pelo vereador no momento da prisão, segundo a polícia.

Rodrigo Arana informou que a prisão do vereador aconteceu após uma denúncia anônima feita ao Ministério Público de que o político estaria usando máquinas da em uma estrada particular dentro de uma fazenda do município.

“Um oficial de Justiça e dois agentes da polícia flagraram o vereador dirigindo o trator dentro da propriedade particular. Não era nem uma estrada vicinal, era mesmo dentro da fazenda. Quem deveria estar fazendo o trabalho de fiscalizador, estava em total desvio de função, executando a obra”, falou o delegado.

Rodrigo Arana disse que o vereador não apresentou nenhum documento que autorizasse o empréstimo, como uma ordem de serviço ou comprovação de contrapartida, por isso o político foi preso em flagrante pela suspeita de peculato-desvio, que é um crime cometido por agente público.

“Ele ficou em silêncio no momento do depoimento, mas os agentes conseguiram gravar no momento do flagrante ele imputando a responsabilidade à outra pessoa. Não vamos divulgar ainda o nome do vereador para não atrapalhar as investigações, até mesmo porque precisamos avaliar alguns documentos e ouvir outras pessoas”, comentou o delegado.

O delegado disse ainda que vai verificar por meio de documentos se a propriedade está em nome de Amado Batista e, se confirmado, o cantor deverá ser ouvido nos próximos dias, assim como o gerente da propriedade e representantes da prefeitura.

Arana disse que até o final da tarde desta sexta-feira, o vereador permanecia em uma cadeia da cidade para onde foi levado após o depoimento.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário