quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Tião Caroço defende a inocência do filho preso em operação da Polícia Federal em Goiás



O deputado estadual e ex-conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Sebastião Monteiro Guimarães Filho (PSDB), conhecido como Tião Caroço, diz que o filho que foi preso nesta quarta-feira (4) pela PF pegava carona em voos com o ex-prefeito de São Miguel do Araguaia, Nélio Pontes (PSDB), e outros suspeitos de envolvimento com tráfico e, por isso, teria sido envolvido nas investigações. Ele foi solto ainda na noite de ontem, após decisão judicial.

Sebastião Monteiro Guimarães Neto, conhecido como Carocinho Pegoraro, tem 25 anos e é vice-campeão mundial de pescaria. O deputado afirma que a família tem casa no distrito de Luiz Alves, em São Miguel, e o filho costuma ir a pescarias com o ex-prefeito e amigos. Por meio de Nélio, Carocinho conheceu e esteve na casa de Leonardo Dias de Mendonça, também preso na operação. O ex-prefeito apoiou o deputado na campanha do ano passado, mas ele afirma que eles estavam afastados recentemente, embora o filho continuasse como amigo.

Carocinho que já está solto, foi preso em casa, onde mora com a mãe, em Goiânia, e já prestou depoimento à PF. “O advogado (Tito Amaral) me disse que não tem nada de provas contra ele e que ele disse no depoimento que não tinha conhecimento algum sobre tráfico. Ele só pensa em pescaria. A vida dele é isso. E aí andava pra cima e pra baixo no avião e o associaram a isso. Acredito, como todo pai, na inocência dele”, afirmou o parlamentar. Carocinho chegou a cursar Direito, mas deixou a faculdade para se dedicar à pesca, segundo o pai. “É um rapaz muito dócil, muito tranquilo, nunca mostrou nada suspeito”, diz.

Segundo o advogado de Carocinho, Tito Amaral, as viagens de avião eram para pescar em uma fazenda do Pará, devido a amizade com o dono da aeronave, que também teria sido preso. A defesa afirma que os encontros de Pegoraro com Leonardo Dias teriam ocorrido por acaso em restaurantes, mas que ambos não teriam proximidade.

“O Sebastião não tem absolutamente nenhuma ligação com este fato que está sendo apurado. A prisão na verdade foi uma maneira de ouvir todo mundo ao mesmo tempo. A gente acredito nisso, que já vai liberar a maioria das pessoas que foram presas”, defende Amaral.

Ontem, na Câmara Municipal de São Miguel do Araguaia, houve mudança de votação por causa das prisões. Um projeto de lei que homenagearia Carocinho como cidadão São-Miguelense foi retirado de pauta e teve a votação adiada, segundo o presidente da Câmara, Petronio Dias Lima (PTB).

“Foi pedido vista por causa do acontecido, para não constranger nenhum lado”, explicou o vereador. O projeto com votação adiada é do vereador João Severino (PPS), o Lavaginha, que era da base de Nélio Pontes.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário