quinta-feira, 26 de junho de 2014

Movimento Camponês ocupa agências bancárias em Posse/GO e em outras 15 cidades do estado.



Integrantes do Movimento Camponês Popular (MCP) ocupam agências bancárias de 16 municípios goianos desde as 5 horas desta quinta-feira (26). A ação ocorre simultaneamente em cidades da Bahia e do Piauí. Entre as reivindicações do grupo está a inserção de novas famílias no Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR).

Segundo a camponesa Sandra Alves, quem já participa do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR) também enfrenta problemas. “O pagamento do benefício está atrasado há mais de 60 dias. É uma conquista tem sofrido ajustes do governo federal, como a redução de recursos”.

De acordo com os representantes do movimento, os cerca de 2 mil manifestantes só vão deixar as agências bancárias quando forem atendidos. “As famílias camponesas lutam por uma vida digna e não aceitam esperar mais tempo pela reforma, ampliação e construção de moradias. Esperar mais significa ampliar o êxodo rural e os problemas da vida no campo”, disse, em nota, o MCP.

Em Goiás, os camponeses ocupam unidades da Caixa Econômica Federal em Crixás, Santa Terezinha de Goiás, Itapaci, Rubiataba, cidade de Goiás, Jaraguá, Caldas Novas, Catalão, Ipameri, Orizona, Posse, Vianópolis, Itapuranga, Ceres e Uruana. O grupo também manifesta em uma agência do Bando do Brasil localizada em Rubiataba.

Procurados pela reportagem, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e Ministério das Cidades, que é responsável pelo PNHR, não atenderam às ligações até a publicação desta reportagem.



Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário