quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Corpo de noiva morta por sargento da PM é enterrado em Simolândia/GO



O corpo da manicure Josiene Rodrigues de Morais, de 27 anos, morta pelo noivo, um sargento da Polícia Militar, foi enterrado na manhã de terça-feira (16) em Simolândia, no nordeste de Goiás.

Alessandro Rosa dos Santos, de 46 anos, se matou após o crime. A família da jovem ainda está muito abalada com o crime.

“O pai e a mãe dela estão muito chocados, ainda sem acreditar no crime pela forma que ele foi. Ela nunca tinha comentado de nada estranho no relacionamento”, disse o ex-marido da vítima, Marcos Murilo Ramos.

Os dois haviam ficado noivos há uma semana. No domingo (14), os dois estavam em uma distribuidora de bebidas e, segundo testemunhas, durante uma discussão, o PM sacou a arma, atirou conta ela e, na sequência, disparou contra a própria cabeça.

A Polícia Civil suspeita que o crime possa ter sido cometido por ciúmes. “Ele pode ter cometido este crime e se matado por ciúmes da jovem, diante do que relataram os presentes. Mas nós temos que colher novos depoimentos para confirmar esta situação”, disse o delegado Marco Aurélio Euzébio.

A família quer justiça para o crime. “A gente quer os procedimentos cabíveis, porque uma pessoa cheia de saúde morrer dessa forma é muito doloroso, não só para os amigos, quanto para a família”, disse Marcos.

Em nota, a assessoria de comunicação da PM informou que o sargento estava de folga. Disse ainda que Alessandro era lotado no Batalhão das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) e que “os fatos que circunstanciaram o episódio, serão apurados posteriormente”.

Viviam um 'conto de fadas'

Josiene trabalhava como manicure em um salão de beleza em Goiânia. O estabelecimento ficou fechado na segunda-feira. Segundo Sara, amiga de Josiene, o casal tinha ficado noivo há uma semana. Ela conta que a jovem se mudou do interior do estado para a capital e estava empolgada com o relacionamento com o sargento.

“Ela estava vivendo um conto de fadas”, disse a amiga.

A família de Alessandro informou à TV Anhanguera que o policial era tranquilo e estava na PM há 28 anos. Disse ainda que ele estava solteiro até conhecer Josiene, e que os dois tinham um bom relacionamento.


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário