quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Motorista é preso suspeito de se passar por filho de deputado federal João Campos (PRB) para aplicar golpes em Goiás



Um motorista foi preso suspeito de aplicar golpes em várias pessoas, em Goiás. Segundo a Polícia Civil, Tiago Henrique Borges Jacob de Souza, de 39 anos, se passava por filho do deputado federal João Campos (PRB-GO) para endossar seu discurso e enganar as vítimas. A corporação estima que ao menos 30 pessoas tenham sido lesadas.

Thiago foi preso na terça-feira (20) logo após uma audiência judicial em Goiânia sobre, segundo a polícia, um dos quatro processos por estelionato pelos quais já respondia em liberdade.

Em depoimento, conforme a polícia, ele negou as acusações e disse que todos os negócios foram feitos dentro da legalidade.

O advogado dele, Flávio Cavalcante, também negou as acusações. "A defesa está tomando as medidas cabíveis para poder provar, neste caso específico em que ele foi preso, provar a inocência dele", afirmou.

Questionado se Thiago, de fato, se passava por filho do depurado, o defensor disse que "existe uma outra história que será comprovada oportunamente".

A reportagem entrou em contato com o gabinete do deputado, por email, às 8h54 desta quarta-feira (21) e aguarda retorno. À TV Anhanguera, ele agradeceu o trabalho da polícia.

Modo de atuação

De acordo com o delegado André Bottesini, responsável pelas investigações, há vítimas até agora de Goiânia e Caldas Novas, no sul do estado. O suspeito usava o falso parentesco com o político para oferecer benefícios às vítimas em troca de dinheiro.

"Ele vendia veículos com pendências administrativas e dizia que era possível regularizá-las, dizia que conseguia tira pontos de carteiras de habilitação e também que facilitava o porte e o registro de arma de fogo. Tudo isso por ser filho do deputado", disse ao G1.

O próprio parlamentar e o filho dele chegaram a ser ouvidos durante as investigações e relataram ter tido problemas com a situação.

"O deputado prestou depoimento e disse que algumas vítimas do suspeito procuravam seu escritório cobrando benefícios que seu suposto filho teria prometido. Ele apresentava o verdadeiro filho, as pessoas viam que não era a mesma pessoa e notavam que tinham sido enganadas", explica o delegado.

A prisão de Thiago ocorreu em virtude de um mandado de prisão expedido por um dos golpes pelo qual ele é suspeito.

Na situação, ele teria vendido um carro a uma mulher. Ao ser parada em uma blitz, descobriu que o veículo havia sido roubado em Rondônia.

O delegado diz que oito vítimas já procuraram a polícia e outras sete foram identificas. Ele acredita que possam existir ainda outras 15 pessoas lesadas pelo suspeito.

Autuado por estelionato, ele pode pegar, se condenado, a até cinco anos de prisão por cada caso.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário