sábado, 26 de janeiro de 2019

A agonia das famílias à espera de sobreviventes em Brumadinho/MG



Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), é uma cidade consternada. Rodeada de morros e de mata densa, com seus 39,5 mil habitantes, o município vive um dia de luto e aflição neste sábado (26), mas também de raros momentos de alívio, com a localização de sobreviventes da tragédia na barragem do Córrego Feijão, que rompeu no início da tarde de sexta-feira (25), cobrindo de lama a região.

Até o início da manhã deste sábado, eram nove mortes confirmadas pelas autoridades, mas não tardaria até que um helicóptero do Corpo de Bombeiros pousasse no campo de futebol em frente à Igreja Nossa Senhora das Dores, causando alvoroço: a aeronave trazia mais uma vítima fatal, enrolada em um plástico preto e pendurada em uma rede. Pouco depois, outro corpo, dessa vez coberto de lama, teria o mesmo destino.

Foram dois intermináveis minutos até que as equipes em solo recebessem o primeiro corpo, sob o olhar desesperado de quem buscava informações.

Outras famílias dividiam a mesma agonia, enquanto cinco helicópteros se revezavam nos trabalhos de resgate. O barulho das hélices era ouvido de longe, algo incomum na região.

Os trabalhos devem prosseguir por todo o dia, na esperança de encontrar mais sobreviventes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário