quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Coreia do Sul quer investir em Flores de Goiás, revela Caiado em entrevista



O governador Ronaldo Caiado concedeu na manhã desta quarta-feira (23/1) uma entrevista à Rádio Interativa FM, no programa Falando Sério, onde fez uma radiografia sobre a situação financeira do Estado. De acordo com Caiado, a mudança no Estado será “radical” e a população sentirá a resposta, mas que o “remédio vai ser danoso”. Na entrevista, Caiado adiantou o fato de que a Coreia do Sul tem manifestado interesse em fazer investimentos no município goiano de Flores de Goiás.

Sobre as contas públicas, o governador disse que já pagou 83% da folha de janeiro dos servidores públicos e buscou providências para as dívidas com os hospitais do estado, que superam R$ 300 milhões. Ele aproveitou a oportunidade para voltar a alfinetar a gestão anterior e lembrar em que situação teria encontrado o Estado. “A verdade nua e crua: recebi o governo com R$ 11 milhões em caixa e R$ 3,4 bilhões em dívidas”, disse. Caiado ainda informou que os repasses às prefeituras estão atrasados 13 meses.

“A mudança vai ser radical em Goiás”, afirmou o governador ao se referir às medidas tomadas para tentar recuperar as contas públicas, mas avisou: “o remédio vai ser danoso”. Ele informou ainda que recebeu ligações de empresários comunicando interesse de investir em Goiás. “Estamos expandindo a nossa ação”.

Destacou, também, uma visita de delegação da Coréia do Sul que, segundo ele, tem interesse em fazer investimentos no município de Flores de Goiás. Caiado adiantou que nesta quinta-feira (24/01), receberá delegação com 25 integrantes da Coreia do Sul que conhecerão Flores de Goiás, onde será instalado o maior projeto de sistemas fotovoltaicos do país.

Eles solicitaram 1,5 mil hectares de terras. “É o maior investimento que teremos no estado. É o dobro da estrutura instalada no Piauí, devido à qualidade e à localização da região”, destaca.

O governador Caiado defendeu também medidas punitivas imediatamente após o descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, como aconteceu em Goiás, com a gestão anterior. “São 6,8 milhões de goianos para manter a estrutura do estado, mas que não têm benefício algum. Há desigualdade regional e enormes dificuldades na saúde, educação, infraestrutura”, afirma.

Fonte: Dia Online

Um comentário:

  1. TORÇO PARA DAR CERTO FLORES DE GOIAS PEDE SOCORRO. PRECISA DE INVESTIMENTOS E RENDA PARA CRESCER E GERAR EMPREGOS.

    ResponderExcluir