terça-feira, 4 de junho de 2019

Alto Paraíso, Formosa/GO e mais 48 municípios correm risco de ficar sem água durante a seca deste ano



Em relatório enviado ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), a Saneago informou que 45 cidades e um distrito de Goiás correm o risco de desabastecimento em 2019 durante o período de estiagem. O MP-GO divulgou o conteúdo do documento nesta segunda-feira (3). Em 2018, o número de cidades que corria o mesmo risco era maior: 67.

Conforme a notificação, o município que deve ser mais afetado é Aparecida de Goiânia, que encontrará dificuldades em seis sistemas de abastecimento (Independente Tiradentes, Independência Mansões, Madre Germana, Lages, João Leite e Meia Ponte). No local, a estatal afirmou que tem investido em campanhas educativas, no combate e redução de perdas, manutenção em limpeza de poços tubulares profundos e perfuração e, também, na Interligação de poços tubulares profundos para reforçar os sistemas, o que ainda está em andamento.

Ainda segundo a planilha, a região Metropolitana de Goiânia será a área mais afetada do Estado. Além de Aparecida, outras oito cidades constam no relatório. O entorno do Distrito Federal também deve sofrer mais com as consequências. Na região, sete cidades correm risco de desabastecimento.

A Saneago relatou no documento solicitado pelo MP-GO que, “visando minimizar os efeitos da escassez hídrica, tem desenvolvido ações contínuas”. Na planilha apresentada, a empresa ainda indicou o que tem realizado em cada município. (Confira aqui).

Decreto de Alerta Hídrico

Vale lembrar que há pouco mais de um mês, no dia 30 de abril, o governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) assinou o decreto de Alerta Hídrico em função da redução do volume de chuvas e queda gradativa da vazão do Rio Meia Ponte ao longo dos anos. A medida tem como objetivo dar mecanismos para gerir uma possível crise hídrica e evitar o desabastecimento de água durante o período de estiagem, que se inicia em maio e segue até o início de outubro.

O documento determina uma série de ações a serem executadas pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e Saneago. Entre as principais medidas estão a de recuperar nascentes, o reforço de instalação e monitoramento de hidrômetros e a elaboração de estudo para definir uma nova fonte de captação para a região metropolitana de Goiânia.

O decreto deste ano, diferentemente do que ocorreu no ano passado, não terá foco na fiscalização. Como informou Caiado na época, as medidas buscam o diálogo com o produtor "ao invés de fazer aquele trabalho punitivo de chegar lá e trancar máquinas". Caiado criticou ainda o que ele chamou de "ação policialesca de fechar motores de captação de água".

O projeto apresentado pela Saneago naquele período previa a recuperação de 84 nascentes e 276 trechos de mata ciliar nas áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do Rio Meia Ponte.

Veja as cidades que devem sofrer com desabastecimento durante o período de estiagem:

Região Metropolitana de Goiânia

Goiânia

Aparecida de Goiânia

Abadia de Goiás

Aragoiânia

Bela Vista de Goiás

Goianira

Guapó

Nerópolis

Trindade

Entorno do Distrito Federal

Cidade Ocidental

Cristalina

Luziânia

Novo Gama

Valparaíso de Goiás

Formosa

Planaltina

Interior

Alto Paraíso

Corumbaíba

Crixás

Mozarlândia

São Luiz de Montes Belos

Araguapaz

Bom Araguapaz Jardim

Carlândia – Distrito De Indiara

Cocalzinho de Goiás

Guarinos

Goiás

Hidrolina

Mata Azul

Montividiu Do Norte

Mundo Novo

Nova Crixás

Novo Brasil

Petrolina De Goiás

Pirenópolis

Sanclerlândia

Santa Isabel

São Luiz Do Norte

Souzalândia

Turvelândia

Uruana

Indiara

Mairipotaba

Morroagudo

Pontalina

Rio Verde

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário