terça-feira, 15 de outubro de 2019

Alvorada do Norte e Monte Alegre de Goiás estão entre os municípios que mais investiram. Buritinópolis está entre os que menos investiram, diz TCM



De acordo com levantamento do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), nenhum dos 246 municípios de Goiás conseguiu investir mais de 30% da arrecadação municipal em melhorias na cidade.

A prefeitura que mais se aproximou do teto identificado pela côrte foi Israelândia com 27,24% aplicados. O último do ranking foi Santa Rita do Araguaia, com 0,41%. A capital ficou numa posição considerada intermediária, ao utilizar 2,6% dos recursos. O tribunal apurou dados enviados pelas prefeituras em 2018.

O tribunal considera “investimento” o gasto com aquisição de veículos oficiais, máquinas e equipamentos diversos usados na administração municipal.

O líder do levantamento, Israelândia, gastou R$ 3,8 milhões de R$ 14 milhões arrecadados. O gabinete da prefeita informou que os gastos estão em várias frentes de serviços: limpeza das ruas com retiradas de entulhos, construção e manutenção de quebra-molas, pintura dos meios-fios das ruas principais, instalação de novas lâmpadas de LED nos postes de iluminação pública, construção de bocas de lobo e manutenção dos jardins e praças.

O segundo melhor colocado foi Mimoso de Goiás com 22,07% (R$ 3,6 milhões investidos); o terceiro lugar com Cachoeira Alta, 20,87% (R$ 10 milhões); o quarto com Monte Alegre de Goiás, 20,78% (R$ 5,4 milhões) e o quinto, Alvorada do Norte, 20,18%, e R$ 5,4 milhões investidos.

Santa Rita do Araguaia figura na última posição com 0,41% da arrecadação retornada ao bem-estar dos cidadãos; de R$ 18 milhões, apenas R$ 75 mil foram investidos. O segundo pior lugar ficou para Buritinópolis com 0,43% (R$ 69 mil investidos); o terceiro com Planaltina de Goiás, 0,99%, (R$ 1,7 milhão); o quarto lugar com Jaupaci, 1,48% (R$ 178 mil) e o quinto para Itaberaí com 1,7% e R$ 1,6 milhão investido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário