quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Goiás tem 42 municípios com alerta de infestação por dengue



A cada 200 imóveis visitados em Goiás, um apresenta foco do mosquito da dengue, que significa um índice de infestação de 0,50%. Os dados são do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) nesta semana e apontam ainda que dos 246 municípios do Estado, 42 apresentam infestações consideradas de alerta pelo Ministério da Saúde (MS), com índices entre 1% e 3,99% incluindo Goiânia e Aparecida de Goiânia. O município com maior alerta de Goiás é Aragarças (3,8%), na Região Noroeste do Estado.

No geral, a situação do Estado é considerada satisfatória conforme os parâmetros do MS. Para o Ministério, de 0 a 0,99% são satisfatórios; de 1% a 3,99% em alerta e acima de 4 casos da cada 100 imóveis, um risco de epidemia. De janeiro a outubro deste ano foram realizadas mais de 16 milhões de visitas para combate aos focos da dengue no Estado e apenas em novembro, foram mais de 1 milhão de imóveis checados. De acordo com a SES, Goiás conta com 2,7 milhões de imóveis e a cada dois meses todos eles são revisitados para combate ao Aedes.

Em Goiânia e Aparecida, os valores são de 1% de acordo com este último levantamento. Isso significa dizer que a cada 100 imóveis, um possui foco de dengue (veja quadro dos 10 índices mais altos). De acordo com a secretaria, a maior parte dos criadouros do mosquito está dentro das casas com destaque para reservatórios de água (tambores, tinas, caixas d’água no solo), lixo, descartáveis e recicláveis, e pequenos depósitos móveis (bebedouros de animais, aparadores e vasos de plantas).

“A chuva chegou e em 2019 todos os números no Brasil extrapolaram em relação à dengue. Goiás também aumentou os casos, mesmo a gente tendo conseguido diminuir a mortalidade. Chuva, água empoçada, mosquito e dengue. Apelo à população que cuide dos seus quintais, plantas, tampinhas de garrafas. No total, 80% dos criadouros estão nos nossos quintais. Objetivo é não termos tantos casos nem tantas mortes em 2020. Dengue precisa ser combatida com o combate ao mosquito”, completa o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino.

Estatísticas

Neste ano, os últimos dados divulgados indicam que houve 69 mortes por dengue foram confirmadas pela SES sendo 12 em Goiânia e seis em Anápolis. Ainda há 61 registros em análise. Já em relação aos casos notificados, já são 144.769 em 2019 até a semana 46 sendo que destes, 100.128 foram confirmados. O número é 47,78% maior que o do mesmo período do ano passado.

Os municípios com maior quantidade de casos registrados de dengue são Goiânia (33.910), seguido de Aparecida de Goiânia (13.208) e Anápolis (13.208). Quando os números são calculados proporcionalmente, a cada 100 mil habitantes, o ranking é liderado por Porteirão, Bom Jardim de Goiás e Edealina.

Na 43ª semana, Goiás já tinha batido o recorde que antes havia sido registrado em 2015. O problema maior é que, dados do Ministério da Saúde revelam que o maior crescimento do número de casos de dengue acontece, geralmente, de outubro em diante, o que coincide com a intensificação do período chuvoso em muitas regiões do Brasil, como é o caso em Goiás.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário