segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Pequenos municípios têm receita apertada



Entre 20 municípios com pior resultado no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), 13 correm o risco de serem extintos caso seja aprovada como está a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo. Elas se concentram nas primeiras colocações ao refletir dificuldades com a receita própria, além do descontrole das contas públicas.

O prefeito de Santa Rita do Novo Destino, Edimar de Paula e Souza (PSDB), diz que o município precisa gerar emprego para melhorar e isso significa que é preciso ter empresas por lá. Ele fala em atração de mineradora para extrair alumínio.

“Na crise que o País enfrenta, a gente sabe que se fala em enxugar folha e economizar, mas sou contra porque não se pode tirar da boca do trabalhador”, defende. A cidade é a quarta pior em gestão fiscal no Estado conforme levantamento da Firjan.

Para esses e outros casos, o presidente da Associação Goiana de Municípios (AGM), Paulo Sérgio de Rezende, pontua que mesmo assim reduzir o número de municípios não é a saída para o País. “É preciso ouvir a população dos municípios porque há dificuldades de gestões e é preciso que as receitas do governo federal cheguem”, pontua, ao citar também o desenvolvimento econômico. Sobre descentralização de riquezas, a Secretaria de Indústria e Comércio do Estado informou por nota que o atual governo sabe das dificuldades e tem como meta e prioridade levar indústrias e investimentos para todas as regiões do Estado, especialmente Norte, Nordeste e Entorno do Distrito Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário