sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

De Arraias/TO: TJDFT dá posse à 1ª desembargadora negra da história da Corte




Com medalhas, condecorações e casos importantes norteando a carreira, Maria Ivatônia Barbosa dos Santos tomou posse nesta quinta-feira (12) como desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

A solenidade que graduou a juíza de direito substituta de 2º grau ao cargo foi realizada no Auditório Ministro Sepúlveda Pertence, localizado no Fórum de Brasília, pelo presidente do tribunal, desembargador Romão Cícero de Oliveira.

A magistrada assume como desembargadora entrando, também, para a história do DF: em quase 60 anos, será a primeira desembargadora negra da Corte. Ela vai ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do desembargador Marco Antonio da Silva Lemos. O magistrado se aposentou em 5 de novembro, e Maria Ivatônia Barbosa foi eleita, de forma unânime, em sessão do pleno do TJDFT, no dia 19 de novembro.

“Prometo cumprir e honrar meu papel como desembargadora”, afirmou Maria Ivatônia durante o juramento na cerimônia. Já o presidente do tribunal elogiou a desembargadora Maria Ivatônia, uma “pessoa muito querida”, disse.

Nascida em Arraias (TO), a magistrada ocupou o cargo de delegada da Polícia Civil de Goiás e ingressou na magistratura do DF em 7 de maio de 1993, como juíza de direito substituta. Em fevereiro de 1996, foi promovida a juíza de direito, e, em abril de 2014 tomou posse no cargo de juíza de direito substituta de 2º grau, que exercia até os dias atuais.

Graduada em direito pela Universidade Católica de Goiás (UCG), a magistrada tem pós-graduação em direito constitucional eleitoral pela Universidade de Brasília (UnB), em direito penal e direito administrativo pela Universidade Católica de Brasília e em direito penal, direito processual penal e direito constitucional pela Universidade Católica de Goiás.

Como juíza substituta, atuou na 2ª Vara de Entorpecentes e Contravenções Penais do DF. Foi titular da Auditoria Militar e da 2ª Vara Criminal de Taguatinga; diretora do Fórum de Taguatinga e do Fórum Desembargador José Júlio Leal Fagundes; e coordenadora da Central de Guarda de Objetos de Crime (Cegoc), tendo sido condecorada com a Medalha do Mérito Policial Civil Juscelino Kubitschek de Oliveira pelos relevantes serviços prestados à frente da Cegoc; entre outras atividades.

No Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), a magistrada ocupou os cargos de desembargadora eleitoral titular e substituta, bem como de ouvidora, e foi condecorada com a medalha do Mérito Eleitoral do DF na classe jurista. Além disso, foi coordenadora da Revista da Escola da Magistratura do Distrito Federal.

Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário:

Postar um comentário