A1

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Família tem esperança de achar vivo turista que sumiu ao ser levado por cabeça d'água na Chapada dos Veadeiros: 'Milagre'




A família do analista de sistemas Jacob Vilar Santana, de 31 anos, que sumiu após ser levado por uma cabeça d'água na Chapada dos Veadeiros, mantém a esperança de encontrá-lo vivo, passada quase uma semana do episódio. Cunhada dele, a autônoma Verônica Ribeiro dos Santos Vilar, de 25 anos, disse que ele conhecia bem a região e pode ter se salvado.

"A gente tem esperança que ele possa ter saído da água e esteja vivo e perdido na mata. Nós temos fé, acreditamos em um milagre", disse.

O analista de sistemas sumiu no último domingo (1º), quando visitava o Vale da Lua, que é um local onde há formações rochosas e alguns poços usados para banho. A namorada dele, Jéssica Carmelo Zafalon, também caiu na água, mas foi resgatada.

Verônica, o esposo e uma cunhada - os dois últimos irmãos de Jacob - moram no Gama (DF) e estão em Alto Paraíso de Goiás, no Entorno do DF, desde o dia em que o turista foi visto pela última vez. Eles acompanham as buscas.

De acordo com Verônica, Jacob morava em Brasília, mas se mudou há cerca de um ano para Guarulhos (SP) por questões de trabalho. A cunhada afirmou que ele tinha costume de visitar a Chapada dos Veadeiros.

"Ele já tinha vindo outras vezes. Gostava muito de cachoeira e sempre vinha tanto aqui como em outras lá em São Paulo", destaca.

Buscas

O Corpo de Bombeiros, com a ajuda de voluntários, segue realizando as buscas com o intuito de localizar o turista. A corporação já conseguiu localizar o colete salva-vidas que Jacob usava quando foi levado pela água.

A corporação diz que o perímetro onde as buscas são realizadas é de 10 km pelo leito do rio a partir do ponto onde Jacob sumiu.

Segundo a meteorologista Elizabete Alves Ferreira, chefe do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) em Goiás, o que aconteceu durante o passeio dos turistas é conhecido como cabeça d'água. O fenômeno também é conhecido, popularmente, como tromba d'água, apesar de serem situações diferentes.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário