quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Feminicídio: Letícia Pereira de Morais morta com corte profundo no pescoço em Planaltina/DF foi enterrada em Iaciara/GO “Estamos chocados com a brutalidade”, diz irmão




Parentes de Letícia Pereira de Morais Melo, 20 anos, se despediram da jovem assassinada no Setor de Chácaras Jardim Morumbi, em Planaltina, Distrito Federal. O corpo da jovem, encontrado na manhã de terça-feira com um corte profundo no pescoço, foi enterrado na quarta-feira (18/12/2019) em Iaciara, nordeste de Goiás.

O caso é investigado como feminicídio pela 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina), mas a polícia ainda não descarta outras hipóteses.

Letícia deixa um filho recém-nascido. Segundo familiares, a criança deve ser adotada por pessoas próximas, já que eles não têm condições de criá-la. O bebê está internado no hospital desde que a moça deu à luz.

O irmão mais velho da jovem, Mike Morais, 22 anos, conta que todos estão inconformados. “Minha irmã era uma pessoa muito boa e não tinha inimizade com ninguém. Ela não merecia isso. Estamos chocados com a brutalidade”, lamenta. A jovem morava com o irmão e uma avó em Planaltina.

Não é a primeira vez que a dor de perder um familiar de forma trágica atinge Mike e os outros cinco irmãos. Há três anos, a mãe deles, Ana Maria, foi assassinada com cinco tiros em Goiás. “A perda a gente não supera nunca, só aprende a seguir com ela. Esperamos que a justiça seja feita e os responsáveis, presos. Pelo menos assim teremos um pouco de conforto”, afirma o irmão de Letícia.

Amigos de Letícia também pedem atenção das autoridades ao caso. “Uma menina tão boa, nova e com uma vida toda pela frente. Ninguém tinha o direito de fazer isso com ela ou com qualquer outra mulher”, diz a amiga Karine Gonçalves.

“Lêlê era uma pessoa muito dócil, de coração bom e inocente até demais. Não via maldade nas pessoas e por isso foi presa fácil de pessoas ruins”, completa outra amiga, que não quis se identificar.

Investigadores continuam em diligência para tentar identificar os suspeitos do assassinato. “As denúncias pelo 197 sempre são importantes para contribuir com as apurações”, reitera o delegado-chefe da 16ª DP e responsável pelo caso, Diogo Cavalcante.

O caso

Letícia foi encontrada morta por um rapaz de 16 anos, morador do setor de chácaras. O adolescente seguia para a escola quando viu o corpo jogado na estrada de terra. Ele conta que esse não foi o primeiro crime que presenciou perto de casa.

“É comum ouvir barulho de tiro, ver perseguições da polícia, encontrar carro roubado e até incendiados. No ano passado, vi um homem morto com um tiro na testa, só que quem achou foi o vizinho. Sempre morei aqui e até agora foram cinco corpos encontrados na região”, relata o jovem.

Outros vizinhos afirmam que o setor é um local usado para desova de cadáveres, produtos roubados e rota de fuga de bandidos. “Precisamos de solução, de gente olhando por nós, porque aqui parece terra de ninguém. Triste saber que a porta da minha casa, mais uma vez, foi cena de um crime tão brutal”, afirma uma moradora, que pediu para manter o anonimato.

Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário:

Postar um comentário