sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Unidades de saúde são contempladas com R$ 86,5 milhões em Goiás. Policlínica em Posse/GO está em processo de instalação



Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de Goiás na última segunda-feira (23) a previsão de recursos para custeio de serviços, aquisição de material e aparelhamento para unidades hospitalares no Estado. No total, a verba chega a R$ 86,5 milhões, que vão desde financiamento de serviços de média e alta complexidade na capital à compra de equipamento para o Hospital de Câncer Araújo Jorge.

No DOE, está especificado que as resoluções são “ad referendum”, o que significa que ainda deverão passar por aprovação posterior, que neste caso é da Comissão de Intergestores Bipartite (CIB), vinculada à Secretaria do Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). As resoluções que direcionaram as verbas devem ser validadas pela CIB no dia 6 ou 11 de fevereiro, conforme informações da Presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Goiás (Cosems), Verônica Savatin Wottrich, que é a representante municipal da Comissão.

O dinheiro só deve cair para a distribuição para a implementação das melhorias depois da aprovação na CIB. A CIB é um colegiado entre gestores de Saúde do Estado e municípios para pactuação de políticas públicas de saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ela é formada por representantes da SES-GO e do Cosems.

Três das resoluções publicadas no DOE preveem verba de uma emenda parlamentar no valor de R$ 50 milhões, para estruturação de unidades de atenção especializada em Saúde e aquisição de equipamentos para unidades estaduais. A emenda da bancada goiana foi aprovada pelos parlamentares no final do ano passado.

Quase toda essa verba - cerca de R$ 49,5 milhões - será utilizada para aquisição de material e aparelhamento para hospitais estaduais ou policlínicas, compra de um equipamento usado em radioterapia para o Hospital Araújo Jorge e para implantação de UTI Pediátrica e Hemodiálise na Santa Casa de Misericórdia de Goiânia. A unidade não possui leito de UTI Pediátrica e 10 unidades devem ser implantadas no local.

“Sempre no final do ano o governo federal começa a liberar as verbas e Estados que não conseguiram executar também precisam devolver dinheiro que é remanejado. É neste momento que apresentamos propostas com valores disponíveis e eu aproveitei para fazer vários encaminhamentos. Provavelmente teremos ainda mais liberações por vir”, explica o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino.

Policlínicas

Existe a previsão de cerca de R$ 39,1 milhões para hospitais estaduais ou policlínicas. Goiás possui três policlínicas em processo de instalação: em Posse, Quirinópolis e Goianésia. Elas são as antigas Unidades Estaduais de Saúde Especializadas (USEs), criadas pelo ex-governador Marconi Perillo em decreto em outubro de 2017. No decreto, estão previstas seis: além daquelas elencadas, prevê unidades em Goiás, São Luís de Montes Belos e Formosa.

A resolução 236 prevê R$ 39,2 milhões para compra de material e aparelhos para hospitais estaduais ou policlínicas. Ismael Alexandrino afirma que este dinheiro é fruto de emenda parlamentar e que deve beneficiar, de forma imediata, as três policlínicas que começarão a ser entregues em fevereiro de 2020, bem como os Hospitais de Uruaçu e Águas Lindas de Goiás.

Em novembro deste ano, elas tiveram o nome alterado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), mas ele já as havia anunciado como Policlínicas durante a campanha eleitoral do ano passado, tendo prometido a criação de 17 até o fim do mandato para atender todas as regiões do Estado, com exames e diagnóstico de pacientes. Em março do ano passado, Marconi chegou a entregar a USE de Quirinópolis, mas estava inacabada. Em Posse, Quirinópolis e Goianésia, equipamentos já foram licitados e as obras estão em fase final de limpeza e acabamento.

Águas Lindas

O Hospital Regional de Águas Lindas está sendo construído desde 2013. A unidade chegou a passar pela inauguração de uma primeira etapa em abril de 2018, ano de eleições estaduais, mas não chegou a funcionar. Neste ano, as obras foram retomadas, no mês de julho, o secretário de Saúde disse que a previsão era que a unidade iria custar ainda R$ 27,1 milhões. A estimativa é que 1,2 milhões de habitantes sejam beneficiados com a construção do hospital.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário