A1

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

José Eliton descarta participação nas prévias do PSDB para prefeito de Goiânia



No sétimo andar de um prédio comercial na Avenida 136, no Setor Marista, o ex-governador José Eliton (PSDB) recebe aqueles que buscam o advogado para assuntos jurídicos e, não seria diferente, atualizar os assuntos da política. Entre decisões sobre o atendimento do escritório jurídico, orientações sobre a condução da fazenda que tem em Posse, ele demonstra que está sintonizado com os fatos da política goiana.

Ele foi citado pelo deputado Tales Barreto (PSDB) como um dos prováveis nomes para a disputa eleitoral de 2.020 para prefeito de Goiânia. Questionado de forma direta, ele respondeu em curtas palavras: Não vai disputar as prévias agendadas pelo PSDB para o final de fevereiro.

De forma realista, avalia que outros nomes devem apresentar um perfil melhor para a disputa. Ele cita o próprio deputado que se figura como o nome mais provável e avalia que a ex-secretária da Educação de Goiás, Raquel Teixeira, que foi candidata a vice governadora com ele em 2018, com um perfil mais conectado com a cidade de Goiânia.

Éliton reconhece que, finalizado o governo, após a derrota eleitoral, não há condições políticas para que ele entre neste tipo de disputa.

Em reunião conjunta, conduzida pelo presidente do diretório regional do PSDB, Jânio Darrot, com o diretório municipal de Goiânia, foi definida a realização de prévias para a escolha do candidato a prefeito da capital pelo partido.

Na prática, hoje, o PSDB só tem a candidatura do deputado Talles Barreto.

O livro, a montanha e a planície

Na política, o uso do termo  planície refere-se àqueles que passam um tempo no poder (a montanha) e voltam para vida normal. Éliton está finalizando um livro em que conta a versão dele sobre os fatos e bastidores da política que vivenciou.

Questiono se ele vai contar histórias que ninguém contou até agora e ele abre o sorriso, tentando esconder o conteúdo para evitar a antecipação. Sem escapatória, diante da insistência, vai contar sobre reuniões que nunca foram abordadas. Uma delas tratou da decisão que analisou a expulsão de Demóstenes Torres do DEM no ano de 2012. Então deputado federal, Ronaldo Caiado participou da reunião.

Eliton recusa a gravação de uma entrevista em áudio para evitar polemização, principalmente com assuntos relativos à sua gestão em comparação com a administração de Caiado. Mas, rapidamente saca do celular as imagens da construção da unidade de saúde de Posse.  Ele explica que já foi apelidada de AME (Ambulatório Médico Especializado), depois virou USE (Unidade de Saúde Especializada) e, agora, foi nomeada como POLICLÍNICA pela atual gestão (A inauguração está programada para o fim de fevereiro). A obra foi construída com recursos do Goiás Na Frente, programa que ele coordenou na gestão de Marconi Perillo (PSDB).

Fonte: Diário de Goiás

Nenhum comentário:

Postar um comentário