sexta-feira, 6 de março de 2020

Deputados Tião Caroço e Diego Sorgatto são expulsos do PSDB



Os deputados estaduais Diego Sorgatto e Tião Caroço foram expulsos do PSDB. A decisão foi tomada em reunião do diretório estadual na manhã desta quarta-feira (4), devido ao fato de os dois terem se aliado à base do governador Ronaldo Caiado (DEM) na Assembleia Legislativa ainda no passado, apesar de o PSDB ser oposição.

De acordo com o líder tucano na Casa, Talles Barreto, foi uma decisão em consenso. “Achamos melhor afastá-los do partido para que ambos seguissem seus caminhos políticos. Foi consenso, sem constrangimentos, até porque eles tomaram outros caminhos, devido a seus grupos locais.” Diego é de Luziânia e Tião, de Formosa. Ambos são pré-candidatos a prefeito.

Com a decisão, o PSDB deixa de ser a maior bancada da Assembleia, passando a ter quatro deputados, mesmo número de parlamentares do DEM, partido de Caiado. Os dois, inclusive, mantêm diálogos com a sigla do governador. Diego também conversa com Republicanos e PSB, legenda do presidente da Assembleia, Lissauer Vieira.

Questionado sobre a redução da bancada na Casa, Talles se diz tranquilo e ressalta o fato de que os dois devem disputar a eleição deste ano. “Então, se eles forem eleitos, o PSDB volta a ter seis deputados, porque sobem os suplentes.” Caso os dois fossem eleitos prefeitos, assumiriam cadeiras na Assembleia o ex-deputado Francisco Oliveira e a vereadora de Goiânia Cristina Lopes, respectivamente primeiro e segundo suplentes da coligação.

Cristina, porém, está saída do partido – vai para o PL para disputar a prefeitura de Goiânia. Nesse caso, poderia assumir o mandato a ex-deputada Eliane Pinheiro. Tanto Francisco quanto Eliane tem forte ligação com o ex-governador Marconi Perillo.

A questão é ressaltada também pelo presidente do PSDB, Jânio Darrot. “O partido tomou a decisão de expulsar, até porque precisava definir quem vai contribuir com o PSDB, que não pode ficar preso a pessoas que já estão ligadas a outros projetos, mas era um processo que já estava sendo anunciado há muito tempo e foi feito sem atritos.”

Segundo ele, “não justificava mais eles ficarem no partido.” “Estavam insatisfeitos e não votavam mais com o partido, o que dificulta nosso trabalho em determinadas cidades, porque as pessoas não entendem. Foi o melhor caminho.”

ACORDO

Tião Caroço disse que foi uma decisão em comum acordo. “Tanto Diego quanto eu estávamos desconfortáveis com o PSDB. Ideologicamente, não tenho nada a ver com o partido. Então, expliquei a situação para a direção e eles entenderam. Não houve um pingo de atrito. O que houve foi uma diferença de ideologia. Não pensávamos do mesmo jeito.”

Questionado sobre seu destino partidário, ele diz que ainda não há decisão. “Vou conversar com as bases para depois tomar decidir.” A respeito da pré-candidatura à prefeito de Formosa, Tião nega. “Quero ser não.”

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário