quinta-feira, 12 de março de 2020

Saneago registra lucro líquido de R$ 315 milhões em 2019



A Saneago registrou no ano passado lucro líquido de R$ 315 milhões, segundo balanço financeiro divulgado na terça-feira (10) aos investidores. O resultado é superior em 186,92% ao obtido em 2018. Porém, grande parte do incremento ocorreu por conta de fatores extraordinários, como o estorno de valores porque houve uma revisão feita por estudo sobre a vida útil econômica dos principais ativos imobilizados da companhia goiana (R$ 164 milhões).

Somado a isso, foi contabilizado também um estorno fruto de uma nova política de contabilização da Perda Estimada para Créditos de Liquidação Duvidosa (PCLD), que se referem a valores para cobrir perdas na realização das contas a receber de clientes. Se não fossem essas alterações nos cálculos, a estatal teria registrado um saldo menor, sustentado por aumento na receita, tarifa e volume faturado.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 573,819 milhões, uma variação de 17,1%. Já sem considerar as reversões, perdas e créditos contábeis a variação foi de 4,78% em relação ao registrado no exercício de 2018. Sendo assim, como explica o economista Sandro Belo, o saldo positivo se manteve em patamar semelhante, o que mantém estável a avaliação da empresa – que pretende abrir parte do capital por meio da oferta pública inicial de ações (IPO).

Por nota, a companhia informou que o resultado é de extrema importância, pois fortalece e possibilita “realização dos investimentos necessários para a universalização do sistema, levando os serviços de água e esgoto a mais pessoas”. A expansão da base de clientes com um aumento na população atendida pelos serviços de água (1,47%) e de esgoto (6,11%) auxiliou no equilíbrio em 2019.

Outro destaque para o faturamento líquido de R$ 2,235 bilhões foi a elevação do volume faturado de esgoto, bem como o reajuste tarifário de 5,79% aplicado nas contas dos consumidores a partir de 1º de julho do ano passado.

Investimento

Apesar de aumentar o lucro, a Saneago reduziu em 30,91% os investimentos. Ao mesmo tempo, as metas para universalização dos serviços foram ainda mais esticadas. No caso de Goiânia, por exemplo, de até 2022 o tempo limite foi para 2031. Na nota encaminhada à imprensa, a empresa diz que “realizou a execução de investimentos já contratados em anos anteriores”, o que somou os R$ 182,1 milhões registrados em 2019.

Afirma ainda que promoveu abertura de novos processos licitatórios que “garantirão a expansão dos investimentos e das operações nos próximos anos”. Controle de custos e de despesas teria culminado na redução de R$32,8 milhões nos gastos totais. O resultado positivo, segundo a empresa, consolida ações de gestão e governança realizadas e estabelece “liquidez necessária para sustentar a forte retomada dos investimentos”.

Por outro lado, houve aumento nos gastos administrativos (18,47%). No balanço financeiro, entre as razões pontuadas está o Plano de Demissão Voluntária (PDV), que levou ao desligamento de 139 colaboradores. O custo foi de aproximadamente R$ 35,3 milhões. Houve também reajuste salarial de 4,78% e acordo trabalhista realizado junto ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (Stiueg) (R$ 10 milhões).

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário