quinta-feira, 2 de abril de 2020

Coronavírus esvazia ruas de Goiânia




Desde que as primeiras restrições de circulação de pessoas passaram a vigorar no Estado, há 20 dias, diante da confirmação dos primeiros casos de Covid-19, a paisagem das cidades mudou. O fechamento de estabelecimentos comerciais, ocorrido cerca de uma semana depois, tornou ainda mais dramático o cenário, com ruas vazias e portas baixadas.

A realidade passou também a ser mensurada por monitoramentos diversos. De acordo alguns destes, após a reclusão chegar ao máximo já registrado até aqui, há pouco mais de uma semana, uma maior parte da população voltou a deixar a quarentena.

Dados de dois levantamentos analisados pelo POPULAR mostram a evolução, que aponta que o isolamento existente não acompanha, necessariamente, o número de casos da infecção pelo novo coronavírus no Estado. O primeiro estudo diz respeito ao deslocamento geográfico de parte da população, calculado a partir de tecnologias de geolocalização da companhia In Loco presentes em aplicativos de smartphones. Segundo a pesquisa, Goiás foi a unidade da federação com o maior isolamento social no País na última terça-feira.

Naquele dia, 63,4% da população monitorada permaneceu em casa. O índice superou a média nacional daquela data (59,3%), mas não foi o maior já alcançado no Estado e foi registrado após queda no dia anterior, quando o número foi menor que 60%. Na mesma data, foi confirmado o 65º caso da doença em território goiano, com uma morte já registrada. Ontem, o Estado chegou a 73 pessoas com Covid-19.

A oscilação na movimentação é observada no Mapa Brasileiro da Covid-19, disponibilizado para o público pela companhia responsável pelo monitoramento. No entanto, dados específicos de dias anteriores à última terça-feira ainda não estão acessíveis. Em levantamento anterior, a In Loco divulgou que entre os dias 22 (domingo) e 27 (sexta) deste mês, Goiás registrou isolamento social médio de cerca de 65%, sendo, àquela altura, o segundo estado no ranking da população em quarentena. No período, a média brasileira foi de 59,33%.

Na referida semana, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incentivou a população a retomar suas atividades durante pronunciamento feito em rede nacional de televisão, no dia 24. O estudo mostrou que a ação impediu que houvesse crescimento no número de pessoas em isolamento, mas não o fez cair.

Transporte coletivo

Dados do transporte coletivo em operação em Goiânia e na região metropolitana da capital também mostraram uma alteração no padrão do comportamento dos usuários após a aplicação das medidas de restrição. Informações divulgadas pela RedeMob Consórcio, responsável pelo serviço, apontam uma queda significativa na quantidade de validações feitas por usuários entre os dias 17, o primeiro após a suspensão das atividades escolares, e 24 deste mês, com redução de 345.234 para 77.180 registros.

Desde então, a quantidade de validações registradas voltou a crescer sucessivamente, chegando a 102.415 na última terça-feira (31). Ainda assim, segundo a RedeMob Consórcio, responsável pelo serviço, o cenário é de “queda drástica sem precedentes” na demanda, com redução de cerca de 80%.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário