sexta-feira, 24 de abril de 2020

Divinópolis de Goiás: Homenagem aos 100 anos de Mariana Torres Quintanilha


Dona Mariana ao lado de Francielle Rego no lançamento do livro Divinópolis de Goiás Terra da Gente


Dona Mariana Torres Quintanilha, mais conhecida como Dona Maroca, chega aos 100 anos, e é uma das pioneiras da cidade de Divinópolis de Goiás e representa bem a Zona rural deste município.

Nasceu no dia 28 de abril de 1920, na cidade de Monte Alegre de Goiás, filha de Antônio de Torres Quintanilha e Cassiana Cordeiro Vasco.  Aos cinco anos de idade mudou-se com seus pais e dez irmãos para terras desabitadas às margens do rio Manso na época munícipio de São Domingos, GO. Alojaram- se em ruinas deixadas pela escravidão, onde ali o seu pai Antônio de Torres Quintanilha se estabeleceu com sua família, construiu sua morada em frente a um pé de mangabeira, povoou e deu origem ao povoado Mangabeiras (devido à grande quantidade dessa planta de igual nome) hoje munícipio de Divinópolis de Goiás. Dona Mariana em algumas de nossas conversas cita com carinho o nome de alguns de seus irmãos: “Maria, Angelina, Melquida, Paula, Joaquim, Cristina, Joana, Bené, Messias, Quimero, Plácido, Raimundo, Domingo e Lió”.

Aos 14 anos de idade, por obediência aos pais, casou-se com Bernardino José de França. E , por obediência a Deus, foi construindo um amor puro e verdadeiro junto seu esposo com quem teve nove filhos : Ana Rosa Moura,  Ernestina José dos Santos, Cassiana França Moura, Carmelino José de França,  Gessy França de Abreu, Nestor José de França, Liberino José de França,  Anísio José de França e Maria das Graças França Neres. Atualmente com vinte e dois anos de viuvez, tem três filhas e quarenta e quatro netos vivos, e aproximadamente oitenta bisnetos e vinte tataranetos.

Dona Mariana estava organizando a celebração de seus 100 anos de vida junto com seus familiares para o dia 02 de maio de 2020. Onde ela mesma estava confeccionando as lembranças de seu aniversário. Na programação prevista estava marcado uma missa e um almoço com seus familiares.

Devido ao momento de pandemia do novo Coronavírus que se encontra mundialmente essa programação teve que ser alterada. E no dia 28 de abril de 2020 (terça-feira) data do aniversário de 100 anos de Dona Mariana às 17:00 horas será transmitida ao vivo pela igreja São João Batista de Divinópolis de Goiás via Facebook, YouTube a missa em ação de graça a vida de Dona Mariana.

No livro Divinópolis de Goiás Terra da Gente lançado em 2019, eu retratei com muita emoção a história dessa linda e guerreira mulher. Transformei seus relatos de vida em um poema. E hoje nessa data tão especial gostaria de compartilhar esse poema como homenagem a essa   que tão bem representa o nosso povo do nordeste goiano. Essa mulher que viveu momentos de luta nessa região tão esquecida do estado de Goiás. Ela é nossa Cora Coralina que em suas palavras meigas e doce nos conta com lucidez como era viver nessa região.

Uma Guerreira Chamada Mariana
Eu era do pé do engenho
Fiava muito na roda
Tecia muito pano
Fazia muita rede

Tecia muito no tear
Fazia muita calça
Fazia camisa para marido
Todo mundo vestia algodão

Na cozinha cozinhava
Na panelinha de barro
Pegava tiqui no mato
Para fazer sabão dicuada

Na roça agente tinha
Milho, batata, inhame
Era as coisas que agente conhecia
Outra coisa não tinha

Do mato comia
Angelica, cabelo de nego
Xixá, jatobá
Fazia bolo de jatobá

Tinha pouca gente
Naquele tempo
Se caminhava muito
Pousava na estrada
E pouca gente se via
Não tinha carro
Não tinha nada
Era as pernas

Morei na Mangabeira
Morei no Encosta
Morei no Alegrete
O Sal vinha de longe

Sal era Mossoró
O dinheiro para pagar o sal
Era o cobre
O cobre quem fazia era meu tio Pedro

A farinha era feita
Do relado da mandioca
No ralo de angico
Torcia no pano

Para Bahia agente mandava o coro
Lá comprava o sal, o café
Tudo que aqui não tinha

O açúcar era feito de cana
Botava nos cochos
Colocava barro por cima
Aí secava

Quando secava
Tinha um açúcar bem alvinho
Era o doce para fazer o bolo
Bolo de puba, bolo de arroz e brevidade

Eu sou Mariana Torres Quintanilha
Sou Maroca
Sou mulher
Sou guerreira
E nasci no pé do engenho.

Nasci no dia 28 de abril de 1920 e no próximo dia 28 de abril de 2020 comemoro com muita alegria os meus 100 anos de vida.

 Autora -Francielle Rego Oliveira Braz




13 comentários:

  1. Obrigada Antônio Carlos pela singela e amável homenagem a essa guerreira que nos ensina a cada dia a viver com mais amor e cuidado ao próximo. Francielle Deus tem te abençoado com o dom de lidar com as palavras, com as histórias de tantas pessoas importantes de nossa cidade, ler seu poema é “ouvir as histórias de iaiá”. Ela diz assim: “ se você chegar aos 100 anos, você vai ter muita história pra contar “ ( e solta aquela risada gostosa rs). Parabéns minha vozinha pelo seu centenário, como a senhora mesmo diz: Ele (apontando p alto) sabe se vou usar minhas lembranças da festa um dia”. Estamos na torcida que sim e comemoraremos todos juntos, se Deus quiser!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão por ter tido a oportunidade de aprender com sua vó e contar com seu apoio Valéria. Sua vó é uma inspiração de amor e sabedoria para com a vida.

      Excluir
  2. O amor, a paz, a luz. Maravilhado com a grandeza de tantos divinopolinos e divinopolinas.

    ResponderExcluir
  3. Se não fosse o escritor...
    A história morria: nos perderiamos nas incertezas de como viveram nossos antepassados; - o que enfrentaram para enfrentar e vencer os grandes desafios da vida... o legado.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde gostaríamos de saber se a senhora conhece Erginio Torres Quintanilha meu avô? Até onde pesquisamos não sabemos se a senhora é irmã ou tia do meu avô..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, vou pesquisar junto a família de Dona Mariana e envio o retorno.

      Excluir
  5. Boa tarde gostaríamos de saber se a senhora conhece Erginio Torres Quintanilha meu avô? Até onde pesquisamos não sabemos se a senhora é irmã ou tia do meu avô..

    ResponderExcluir
  6. Pergunto pq meu avô é de São Domingos ,inclusive ele tem uma filha chamada Mariana Torres Quintanilha,e já conversei com alguns parentes e disse q ele é parente de meu avô.hoje moramos em Silvânia go..

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus recebi está noticia c muita emoção,moro aqui em Aparecida de Goiania, achei que ñ existia mais nem um tio ou uma tia da parte dos meus pais, estou feliz e orgulhosa de saber que essa guerreira é irmã do meu pai, que ela cita o nome dele como BENÉ. E P minha surpresa ela prima primeira da minha mãe e cunhada, gente pensa que história linda. Se ñ fosse a pandemia eu ia levar minha mãe que vai completar 91 anos, só resta essa duas matriarca dos Torres Quintanilha. C essa idade.q todos nós gostaríamos de chegarmos lá.
    Parabéns minha tia e muitas felicidades. Da sua sobrinha Maria dos Santos Torres Quintanilha. Com muito orgulho carrego esse sobrenome🤗🤗🤗👏👏👏😚😍😚

    ResponderExcluir
  8. Boa noite ,pesquisei mais um pouco ,e os pais do meu avô Erginio Torres Quintanilha , chamava Atanazio de Torres Quintanilha e era casado com Petronilha de Castro e silva,para sabermos melhor o grau de parentesco..

    ResponderExcluir