Vacinação

Conceito Fase 1

domingo, 5 de abril de 2020

Em Goiás, pais de mulher morta por coronavírus assistiram enterro a 20 metros de distância



O casal de aposentados Ataliba e Nair fez questão de acompanhar o sepultamento do corpo da filha caçula, a técnica de enfermagem e de laboratório Adelita Ribeiro, na tarde de sábado (4), em Goianápolis, a 32 quilômetros de Goiânia. Não houve despedidas. Tudo foi assustadoramente rápido em razão das circunstâncias. Por estarem no grupo de risco para o Covid-19, os pais assistiram a ação dos coveiros a 20 metros de distância em absoluto silêncio tomados por uma tristeza profunda.

Adelita nasceu em Itapaci (GO), onde os pais ainda vivem, mas se mudou jovem para Goiânia para dar continuidade aos estudos. Fez o curso de Técnica em Enfermagem e trabalhava nas redes privada e pública. O único irmão, mais velho do que ela, vive em Portugal e não pode estar ao lado dos pais neste momento. Ataliba e Nair, logo após o sepultamento, voltaram para Goiânia para cumprir o período de isolamento na casa onde a filha morava sozinha, no Setor Universitário.

De acordo com a prima de Adelita, Maria Claudia Miranda Silva, a pessoa que teve de tomar todas as providências para o sepultamento, o enterro ocorreu em Goianápolis porque lá reside uma familiar que já possui jazigo no cemitério local. Em razão da urgência, a família achou mais viável levar o corpo da jovem para a cidade da região metropolitana de Goiânia.    

A técnica de enfermagem trabalhou pela última vez na unidade do Hemolabor, no Hospital do Coração, no Setor Oeste no dia 27 de março, sexta-feira. Seu turno, conforme a rede de saúde, era de 12 por 36, mas ela não teve condições de reassumir a função no turno seguinte por não estar se sentindo bem. Na segunda-feira, 30, ela chegou a ir ao trabalho, mas teve uma queda de pressão e foi internada no próprio hospital, onde acabou morrendo neste sábado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Colegas contaminados

Conforme o Hemolabor, logo que tomou conhecimento da possibilidade de que a funcionária tinha contraído o coronavírus todo o grupo que trabalhou com Adelita foi afastado. Os cinco colegas da técnica de enfermagem foram submetidos ao teste para o Covid-19 e em três deles o resultado foi positivo. Todos estão isolados e assintomáticos, sendo acompanhados pelo Hemolabor.

Adelita também estava assintomática para o Covid-19. Hoje, como as autoridades de saúde já definiram pela contaminação comunitária, é impossível saber onde e quando ela contraiu o vírus. O Hemolabor informou que logo que soube do teste positivo informou a UPA Novo Mundo, onde Adelita também trabalhava. A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) explicou que todos os profissionais da UPA Novo Mundo estão sendo acompanhados. “Até o momento apenas um apresentou sintomas”, informou a assessoria de imprensa da SMS.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário