A1

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Não é uma gripezinha

Cemitério de Manaus

O Brasil registrou 189 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados atualizados neste domingo (26), pelo Ministério da Saúde. Com isso, o total de vítimas da Covid-19 no País chegou a 4.205. Até sábado, eram 4.016 óbitos. O número de pessoas infectadas subiu para 61.888, em razão das novas 3.379 contaminações registradas no período.

Para efeito de comparação, a China, onde surgiu a doença, registra 4.632 mortes e 84,3 mil casos confirmados, segundo as informações disponibilizadas pelos próprios países e reunidas pelo site Worldometers.

Cemitérios de cidades do Brasil passaram a registrar diariamente vários enterros por suspeita do vírus.

São Paulo é o epicentro da pandemia no Brasil. Até este domingo, o Estado tinha 20.715 casos confirmados e 1.700 mortes de pessoas infectadas pelo coronavírus. Outros estados têm situação crítica por conta da alta incidência e da sobrecarga nos sistemas de saúde.

No Rio de Janeiro, são 645 mortes e 7.111 casos. No Ceará, 5.833 contaminações e 327 vítimas. Em Pernambuco e no Amazonas foram confirmadas, respectivamente, 415 e 304 mortes.

Em Goiás o número de casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) sobe de 506 para 573, totalizando 67 novas confirmações em 24 horas. A quantidade de óbitos permanece em 25 vítimas, como publicado no último sábado (25), 3 continuam em investigação, 7.203 casos são suspeitos e 2.297 foram descartados.

O governo brasileiro também enfrenta dificuldades para adquirir respiradores, equipamentos necessários a pacientes com quadro grave de covid-19. A compra de 15 mil aparelhos, negociada com empresa que os traria da China, foi cancelada porque a firma não conseguiu providenciá-los.

Há uma corrida mundial pelos equipamentos. Segundo o ministério informou neste domingo, 26, o governo encerrará o mês com a entrega de 272 respiradores produzidos no Brasil. Para os próximos três meses o ministério afirma que uma rede de empresas atenderá a demanda do Sistema Único de Saúde (SUS), com 14.100 respiradores mecânicos.

De acordo com o ministério, o Brasil tem hoje 65.411 respiradores/ventiladores, dos quais 46.663 estão disponíveis no SUS. A sobrecarga do sistema causada pela covid-19 aumenta a demanda por leitos e por esses equipamentos em pacientes graves.

A Covid-19 tem se mostrado uma ameaça até para pessoas fora dos chamados grupos de risco. Na China, onde as informações oficiais garantem que o pior já ficou para trás, 18% dos mortos tinham entre 20 e 59 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário