sexta-feira, 29 de maio de 2020

Justiça penhora R$ 200 mil da prefeitura de Posse-GO para garantir início das obras de regularização do fornecimento de água para a comunidade do Baco Pari



Através de uma ação civil pública de 2017 no Ministério Público Federal, o juiz federal Tadeu José Afonso determinou a penhora R$ 200 mil das contas da prefeitura municipal de Posse, no nordeste goiano.

Cerca de 56 famílias da comunidade Quilombola do Baco Pari, localizada no município de Posse, sofrem com a falta de água.

A penhora dos 200 mil é para garantir o início das obras de regularização e manutenção do fornecimento de água potável na comunidade do Baco Pari.

A decisão proferida pelo juiz atendeu a um pedido da Dra. Juliana de Paula advogada do PTB em ação proposta pelo seu presidente o Sr. Adelmo de Paula.

O prefeito Wilton Barbosa fez um compromisso judicial para fornecer água potável para os moradores da comunidade, mas estava mandando apenas um caminhão pipa por semana para o Baco Pari.

Este blog já postou sobre a falta d’água nesta comunidade, bem como a qualidade da água. A comunidade já chegou a ficar mais de 20 dias sem água.

Um comentário:

  1. Realmente um problema,cuja solução,vem sendo procrastinada há décadas, se vc ler e aplicar os estatutos partidários (partidos políticos), podemos ajudar a encaminhar muitas soluções de politicas publicas em favor de nossa gente. Os partidos políticos devem ser usados não só para arregimentar candidatos às eleições - devem fazer parte do acompanhamento das gestões executivas e legislativas de cada município.
    ÁGUA JÁ! JUNTOS VAMOS RESOLVER ESTA QUESTÃO HUMANITÁRIA NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DO BACOPARI.

    ResponderExcluir