A1

sábado, 20 de junho de 2020

4 Perguntas para Cleiton Martins – prefeito de São Domingos-GO



O Blog Antônio Carlos iniciou uma série de entrevistas com prefeitos e pré-candidatos a prefeito de municípios do Nordeste Goiano.

A entrevista deste sábado (20) do quadro ‘4 Perguntas’ é com prefeito de São Domingos, Cleiton Martins (PL).

Quando o senhor começou a gestão, qual era o maior desafio e por quê?

Cleiton Martins:

O maior desafio nosso era gerar uma estabilidade politica e administrativa dentro dos preceitos éticos de gestão pública, o município estava desmoralizado, era pagina negativa e jornal o tempo todo, de corrupção, de cassação e troca-troca de prefeitos, com isso havia uma preocupação de estabilizar e gerar a moralidade que geramos e fazer com que a população passassem a acreditar e ter uma esperança, uma luz.

Quais são as principais ações da administração durante seu mandato e qual o balanço o senhor faz da sua gestão?

Cleiton Martins:

Todas as ações foram enfatizadas, no sentido de administrar e enfrentar crise. Nos saímos de um período bom de arrecadação, que foi de 2012 a 2016, os municípios estavam arrecadando bem, em seguida nos sofremos com essa fase que o Brasil todo sofreu com a Lava Jato, penso que era necessário para moralizar o país.

As grandes empresas geradoras de empregos para o aquecimento da encomia pararam, Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, enfim, empresas que estavam fomentando a economia. A gente sabe que quando a pessoa esta empregada ela tende a consumir mais, estabelecer compromissos, seja ela no âmbito a prazo ou a vista e isso fez com que arrecadação do país diminuísse e o desemprego aumentou, o poder de consumo caiu e nossa arrecadação caiu, porque dependemos dos impostos gerados.

Nos vamos fechar nosso mandato na casa de 10 milhões a menos no caixa com essa pandemia. Tivemos uma avalanche de precários no município que é obrigado judicialmente a pagar e com tudo para fazer. Nos temos avanços em todas as áreas, no entendemos que nossa administração faz um balanço muito positivo da nossa gestão.

Primeiro a gente tinha uma cidade intransitável, a cidade não tinha esporte, quem atendia a saúde de São Domingos era Divinópolis, nós não temos histórico de ficar sem médico na nossa gestão, conseguimos grandes avanços na área da saúde, por exemplo: UTI móvel, ambulâncias, colocamos ultrassom no hospital, antes era preciso humilhar para políticos para conseguir, colocamos laboratório de graça no hospital, colocamos as vans equipadas para pacientes, temos casa de apoio em Goiania, suporte para levar nas clinicas, almoço, café da manhã, jantar, tudo de graça. Regulamentamos todos os atendimentos no hospital dentro de nossas especialidades, são poucas, mas temos. Cumprimos com nossos atendimentos em todos os postos de saúde que estava fechados, colocamos a farmácia popular para as pessoas que não tem condições de comprar medicamentos.

Implantamos os programas de combate ao mosquito da dengue, novembro Azul, outubro rosa, fizemos o programa de combate ao tabagismo, também de combate ao suicídio. Reformamos os postos de saúde. Foram muitos avanços na saúde.

Na agricultura, colocamos bacia leiteira na Mata Grande, no São Vicente e estamos colocando agora no Distrito Estiva, colocamos técnico agrícola na pequena propriedade, buscando meios para estabelecer linha de crédito através do pronaf, liberamos mais de 1 milhão de reais para o pequeno produtor comprar gado de leite e de corte, fomentar a economia do pequeno agricultor, implantamos projetos de psicultura e apicultura.

Na Assistência Social, distribuímos mais de 2 mil cestas básicas, colocamos programas educativos e infantis dentro do Pet. Na infraestrutura, retomamos todas as obras que estavam abandonada, creches, postos de saúde, fizemos calçadas, colocamos água nos assentamentos, no Povoado Piteira, colocamos um reservatório 150 mil litros de água no Distrito Estiva. Estamos com um projeto para fazer um clube, fazer uma orla no lago, os recursos já estão disponíveis.

Na parte administrativa, arrumamos toda parte documental com muita transparência, colocamos Ciretran na prefeitura, colocamos uma porta descente para atender a população na prefeitura. Organizamos o Controle Interno, que até então era uma bagunça, colocamos Banco do Povo, Junta Militar, Goiás Fomento, emissão para nota fiscal, sistema de boletos, então reformulamos toda parte administrativa do município.

No esporte, contemplamos com campeonatos em várias modalidades de esporte, futebol, handebol, futsal etc.

Meio Ambiente: organizamos os documentos ambientais, inclusive estivemos com o processo todo pronto para desvincular de Goiânia para gerar independência de licenças ambientais no município, mas não foi estabelecido, o governo cortou, mas estamos acompanhando e fiscalizado. Arrumando estradas o tempo todo, dando condições na garagem da prefeitura.

Fazendo um balanço geral da nossa administração, ela foi muito ampla em todos os sentidos, nós tivemos uma revolução administrativa, em todas as secretarias e pastas, desde Assistência Social, a Educação que conseguimos um aumento do IDEB importantíssimo, reformamos escola e implantamos a língua estrangeira, até  a saúde que o mais precisávamos de cuidar, todas as pastas estavam abandonadas, mas a saúde era a essencial.

Quais são as metas para os próximos meses? No que se refere às finanças, como se encontra hoje a Prefeitura?

Nossas próximas metas é soltar mais obras, nos temos algo em torno de R$ 41 milhões em emendas nos ministérios. Algumas delas já com projetos, ART paga, aguardando só análise da Caixa Econômica para liberar a licitação para iniciar as obras. O nosso trabalho não para, desde o dia primeiro de janeiro de 2017, todos sabem que pegamos a cidade um lixo, nos partimos pra cima e fizemos o trabalho.

Hoje a gente sabe que todos os municípios estão com problemática de recursos financeiros, essa pandemia veio para arrebentar tudo, não está tendo consumo e os recursos vem diminuindo a cada mês, mas estamos com as nossas contas equilibradas.

Quais as ações e como a gestão tem enfrentado o combate ao novo coronavírus no município?

Cleiton Martins:

As nossas ações em relação a pandemia é o que recomenda o Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde, e fazer as barreiras sanitárias, aferindo a temperatura e estabelecendo critérios através de decretos, por exemplo: dando prioridade essências a vida, fazendo as divulgações, distribuindo mascaras, quando tem algum suspeito a equipe da saúde já faz os testes, estamos equipados com respiradores, sala de isolamento, de fato que a gente está com muito cuidado, tudo com muito equilíbrio e cautela, para não acontecer transtornos maiores, a gente sabe do direito de ir e vir e não estamos usando a pandemia para fazer política, estamos fazendo dentro dos critérios legal, através de uma sistemática tranquila e equilibrada.

Para finalizar, enfatizamos a existência da democracia na política, ela é necessária para um desenvolvimento de um processo democrático e estamos trabalho, sou pré-candidato a reeleição e com certeza com a força de Deus e a vontade do povo vamos ser reeleitos e temos um novo degrau a pleitear que é ser deputado estadual representando o município de São Domingos e região por isso nosso trabalho é sério e compromissando, buscando sempre um crescimento absoluto, dentro de um padrão ético, moral e respeitador.

Um comentário:

  1. Parabéns..Vc vai longe prefeito.....👏👏👏🤝🙏🙏🙏🙏🙏

    ResponderExcluir