A1

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Goiás: Barreiras contra Covid-19 devem ter caráter informativo e não de bloqueio



Barreiras sanitárias devem ter caráter informativo e de identificação de casos suspeitos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e não de bloqueio de passagem. Além disso, medição de temperatura de viajantes não é garantia de que não há transmissão e trabalhadores da barreira devem usar equipamentos de proteção individual, os EPIs.

Essas informações estão em uma nota técnica da Superintendência de Vigilância em Saúde de Goiás, com orientações para as prefeituras que optam por fazer essas barreiras sanitárias no combate ao Covid-19, normalmente com abordagens de viajantes nas entradas e saídas dos municípios. O documento deve ser publicado no site da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) nos próximos dias.

Segundo a nota técnica, as barreiras sanitárias devem ter um caráter de orientação, educação e identificação de casos suspeitos. Para isso, são sugeridas a disponibilização de avisos, panfletos e orientações sobre sinais, sintomas e cuidados básicos de prevenção, além de indicação de isolamento de casos suspeitos.

Quando necessário, deve ser feito o encaminhamento da pessoa abordada para uma unidade de saúde.

A nota técnica não é impositiva e faz apenas orientações e sugestões. Apesar de não haver recomendação de que o município impeça a entrada de pessoas na cidade, há o entendimento da Vigilância de que a prefeitura tem autonomia para fazer esse bloqueio, caso haja evidências de que a entrada dessas pessoas interfere na gestão dos recursos de saúde municipais.

Esse foi o caso, por exemplo, de Pirenópolis. A prefeitura da cidade turística foi uma das primeiras a fechar todas as entradas da cidade com apoio da Polícia Militar. Viajantes tinham que mostrar comprovante de endereço para poder entrar no município. No dia 28 de maio, uma liminar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) liberou a entrada de visitantes, considerando o direito de ir e vir.

Temperatura

A nota técnica da Vigilância em Saúde pede cautela no uso de medidores de temperatura em barreiras sanitárias. A identificação de viajantes com febre é um alerta de caso suspeito de Covid-19. No entanto, não ter febre não é sinal de que há segurança, já que estudos indicam que a transmissão do vírus pode ocorrer mesmo sem sinais e sintomas.

Ainda na nota técnica, é orientado que as barreiras podem ser feitas de forma conjuntas com forças de segurança pública, vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, agentes de saúde, fiscalização de posturas, entre outros órgãos.

Os trabalhadores que participam dessas operações conjuntas, devem utilizar equipamentos de proteção individual e fazer frequente higienização das mãos. A nota técnica não chega a especificar detalhadamente quais os EPIs que devem ser usados. Os mais conhecidos são máscaras, óculos de proteção, luvas e avental.

Demanda

A nota técnica da Vigilância em Saúde da SES-GO com orientações sobre barreiras sanitárias foi resultado de uma demanda do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Cosems-GO). Muitas prefeituras estão realizando barreiras sanitárias desde o início da pandemia, mas ainda faltava uma unificação de orientações da forma mais eficiente delas serem feitas.

Em Formoso, por exemplo, na região norte de Goiás, a secretaria municipal realiza abordagens na rodovia, de motoristas que vem de Santa Terezinha de Goiás, onde passa a rodovia BR-153. Nessas abordagens, há medição de temperatura, entrega de panfletos informativos e entrevista com passageiros.

Foi através dessa barreira, que a prefeitura identificou uma grande quantidade de turistas indo para a região de Minaçu e Cavalcante, onde há lagos artificiais e cachoeiras, durante o mês de abril. A partir dessa percepção, a secretária municipal de Formoso, Marilda Nunes, alertou os gestores das cidades vizinhas sobre essa demanda de novas pessoas chegando.

O texto da nota técnica da Vigilância em Saúde foi aprovado em reunião do Centro de Operações de Emergência (COE) estadual de combate ao novo coronavírus, na quarta-feira (27). O texto reafirma que a melhor estratégia de diminuir o impacto da pandemia de Covid-19 é o isolamento social.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário