domingo, 28 de junho de 2020

Nova operação encontra mais de 1 mil hectares de desmatamento em Cavalcante-GO



A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) encontrou mais de 1 mil hectares de desmatamento em uma propriedade rural de Cavalcante, região nordeste de Goiás. O proprietário foi autuado em R$ 2,1 milhões pela supressão irregular de 1.029 hectares. Desses, mais de sete estavam dentro de Área de Proteção Permanente.

A ação integra a Operação Presença, que descobriu desmatamento em área pertencente à comunidade kalunga, que reúne famílias remanescentes de escravos. Na ocasião, ao menos 530 hectares de mata virgem foram devastados.

Realizada pela Semad com apoio do Grupo Tático 3, polícias Civil e Militar, a operação começou na segunda-feira (22), menos de 20 dias depois da descoberta de minerações sem qualquer licenciamento e supressões vegetais irregulares em áreas públicas e particulares.

Uma delas pertence ao prefeito de Cavalcante, Josemar Saraiva Freire (PSDB), que, segundo a Semad, emitiu licenças sem validade para o desmatamento de propriedades de sua posse.

A Reportagem entrou em contato com o prefeito às 9h32, por mensagem, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Área kalunga

No último dia 4, a Semad já havia localizado um pedaço de terra nativa pertencente ao território kalunga sendo desmatado. Na ocasião, mais de 500 hectares foram destruídos.

À época, a Semad havia informado que multou os responsáveis em R$ 300 mil. Porém, o órgão atualizou os valores nesta quarta-feira (24). No total, as multas somam mais de R$ 5 milhões.

Na primeira operação, além de embargar a área, os fiscais também apreenderam 300 toneladas de calcário, minério usado para preparar o solo para o plantio.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário