domingo, 12 de julho de 2020

Contra grilagem, Justiça pede reintegração de reserva preservada na Chapada



O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) determinou a reintegração de posse de uma área preservada no município de Alto Paraíso de Goiás, portal de entrada da Chapada dos Veadeiros.

A decisão liminar ocorre após um esquema de grilagem que atua na região com o objetivo de lotear terrenos ambientalmente protegidos, a fim de tentar erguer um condomínio ilegal na região.

Os alvos da ação liminar são os corretores Mauri Carlos de Souza Pias e Nilton Aparecido Gonçalves da Silva, de acordo com a ação, tidos como possíveis autores da criação ilegal de residencial na área classificada como de proteção ambiental.

Os dois são acusados de crime ambiental, parcelamento irregular do solo e venda ilegal de lote sem registro, popularmente conhecida como grilagem de terras. A reportagem tenta contato com os números atribuídos a eles, mas até a última atualização desta reportagem, sem sucesso. O espaço continua aberto para manifestações.

De acordo com o juiz Pedro Piazzalunga Cesário Pereira, da Comarca Municipal de Alto Paraíso, caso a decisão não seja cumprida no sentido de devolver a área aos proprietários – a empresa Pouso Alto Imóveis –, a multa estabelecida pelo descumprimento diário é de R$ 1 mil. O magistrado, contudo, ponderou sobre a presença de moradores no local e afirmou que, por conta da pandemia, a decisão de despejo será postergada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário