A1

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Mulher é suspeita de contratar "matador de aluguel" por R$ 2 mil para matar Zé Ricardo



A Polícia Civil prendeu, na terça-feira (14), um rapaz e uma jovem, ambos de 22 anos, suspeitos de matar José Ricardo Fernandes Ribeiro, de 44 anos, conhecido como Zé Ricardo, que ficou famoso na web por velar a mãe sozinho. Segundo a corporação, a mulher detida teria ajudado a vítima a juntar R$ 40 mil em doações para tratamento de uma doença renal crônica, combinou de receber parte do valor, mas não teria sido paga.

As investigações apontaram que ela, então, criou um perfil falso em uma rede social e contratou um "matador de aluguel" por R$ 2 mil para ajudá-la a cometer o crime, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

De acordo com a Polícia Civil, apesar dos esforços, a mulher não conseguiu pegar nenhuma parte do dinheiro. Responsável pelo caso, o delegado Carlos Levergger deve indiciar os presos por homicídio com furto.

A reportagem não conseguiu descobrir quem são os responsáveis pela defesa dos presos para pedir um posicionamento sobre o caso. Os nomes deles não foram divulgados pela polícia.

A vítima ficou conhecida há cerca de um ano, após publicar uma selfie mostrando que teve de velar e enterrar a mãe sozinho. Foi nesta época que a investigada se aproximou de José Ricardo para ajudá-lo, sensibilizada com a situação dele, segundo a Polícia Civil.

Planejamento do crime

Os policiais registraram que ela ajudava a vítima com tarefas de casa e a conseguir doações para uma vaquinha online.

As pessoas que ficaram sensibilizadas por terem visto José Ricardo velar e enterrar a mãe sozinho, mesmo passando por muitas dificuldades com a própria saúde, foram ajudando, até que a vaquinha acumulou cerca de R$ 40 mil.

As apurações indicaram que a jovem presa combinara com a vítima de receber parte desse dinheiro, que deveria ser usado no tratamento de saúde de José Ricardo. No entanto, segundo a Polícia Civil, ela não foi paga, o que teria motivado-a a contratar uma pessoa para ajudá-la no crime.

Também de acordo com as investigações, os dois jovens roubaram um aparelho de televisão, celular e carteira da vítima justamente para simular que o homem teria sido morto durante um assalto.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário