sábado, 5 de setembro de 2020

Integrante de grupo de Alto Paraíso de Goiás avalia experiência de mandato coletivo de vereador



Laryssa Galantini, integrante do mandato de coletivo de vereador na Câmara Municipal de Alto Paraíso de Goiás, que foi a primeira iniciativa do tipo no País e cujo exercício se encerra neste ano de 2020, tem uma avaliação equilibrada da experiência e traz pontos negativos e positivos.

A primeira questão colocada por ela é a inspiração que esse mandato trouxe para que outras experiências parecidas surgissem a partir de 2016. “Mesmo que a gente perceba que, em alguns casos, há certo oportunismo, no geral, tem sido bom ver tantas iniciativas coletivas surgirem”, afirma.

Sem disputar a reeleição, ela conta que o foco do grupo, agora, tem sido a formação de outros mandatos nessa modalidade. Com exceção de João Yuji, que é o nome registrado como vereador do grupo de cinco e que, agora, vai disputar o mandato de prefeito da cidade. “Existem vários tipos de mandato coletivo, mas nós vamos explicando como o nosso funciona e tentando dar uma orientação para quem quer começar”, explica.

Para ela, foram anos de muito aprendizado, tanto ruins como bons. “Alcançamos nossas metas com os projetos de Lei e a interação com a sociedade diversa”, pontua.

Por outro lado, ela aponta que a decisão de abrir mão do salário para doações não foi positiva no fim das contas. “Não pensamos na nossa própria sustentabilidade e tivemos muitos problemas por isso”, aponta. Isso, afirma, sem contar as despesas com comunicação que não foi pensada por eles num primeiro momento. “Ficamos muito sobrecarregados.”

Laryssa também avalia que a diversidade do grupo, apesar de ter sido um objetivo, trouxe alguns desentendimentos ao longo da jornada. “Isso prejudicou muito, mas o trabalho continuou e não perdemos em qualidade.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário